Copa Libertadores

Confira todas as notícias e palpites Libertadores da América na íntegra. A equipe do Futebol na Veia traz todas as principais informações sobre a copa, o prognóstico Libertadores, pós-jogos, transferências e negociações que puder imaginar. Você poderá ficar sabendo todos os detalhes de como está sendo a preparação ou campanha de todas as equipes.

Confira a tabela da Libertadores >

Mas não só clubes, como também jogadores, técnicos, dirigentes, além de suas maravilhosas torcidas serão abordados aqui. Além disso, é claro, polêmicas, opiniões e, principalmente, entrevistas com jornalistas, jogadores, técnicos, dirigentes e até torcedores, brasileiros ou não, que acompanham de perto as competições e palpites Libertadores da América.

História da Libertadores da América

As primeiras competições internacionais pré-Libertadores

Cup Tie Competition

Em primeiro lugar, a Libertadores da América surgiu em 1960, mas, antes disso, um torneio já havia servido de base para a Copa Libertadores de hoje em dia. A saber, tudo começou em 1900, quando Argentina e Uruguai decidiram que seus campeões nacionais disputariam entre si o título internacional de melhor time do Rio da Prata.

Dessa forma, em 1900, surgiu a Cup Tie Competition, que teve sete edições, sendo as quatro primeiras exclusivamente argentinas. Assim, venceram: Belgrano, Alumni, Rosario Athletic e Alumni de novo. Posteriormente, em 1904, começou-se a disputa entre os países. Mas os argentinos seguiram campeões, com Rosario Alumni chegando ao tricampeonato.

Oficialmente em 1907 as federações começaram a organizar em conjunto a competição, fazendo isso até a extinção da mesma em 1919. Por certo, Alumni venceu as três primeiras edições, Montevideo Wanderers deu o primeiro título aos uruguaios em 1911, mas San Isidro voltou a vencer para os argentinos em 1912.

Na sequência, Nacional-URU, River Plate-ARG venceram e então teve uma hegemonia uruguaia, com Nacional, PeñarolWanderers duas vezes, antes do Boca Juniors vencer a primeira de sua história. Então, o torneio foi extinto. A Taça de Honra Cusenier, que era uma competição similar disputada desde 1905, mas concorrente, seguiu.

Taça de Honra Cusenier

Primeiramente, esta sim nasceu desde o início de uma organização dos dois países. Apesar de similar, era organizada por outras federações nacionais, por isso aconteciam paralelamente e concorriam entre si. Em 1905, o primeiro campeão foi o Nacional-URUAlumni Belgrano venceram na sequência pelos argentinos e Wanderers e CURCC (atual Peñarol) foram os vencedores de 1908 e 1909 pelos uruguaios. De fato, em 1910 não houve disputa em nenhuma das copas.

Então, o Peñarol venceu novamente em 1911, seguido do compatriota River Plate. O Racing-ARG deu mais um título aos Hermanos, mas Nacional (3x) e Peñarol ampliaram o favoritismo celeste em tal copa. Por fim, mais uma vez, o Boca Juniors venceu o último título, em 1920, e a competição se encerrou.

Taça Aldao

Certamente, a Taça Aldao foi a mais famosa e considerada precursora da Copa Libertadores da América e também da Champions League, afinal, foi vendo as disputas sul-americanas que surgiu a ideia europeia. Foi disputado entre os times campeões da 1ª divisão da Argentina e Uruguai e, inicialmente, foi disputada uma única partida. A saber, nem todos os anos houve disputas.

O primeiro campeão acabou sendo o Nacional-URU, em 1916, seguido de uma dobradinha do Racing-ARG, antes do bicampeonato do Nacional, em 1919 e 1920. Por certo, o torneio só voltou a acontecer em 1927. Antes disso, em 1923, houve a tentativa de outra competição: a Copa Campeonato del Río de la Plata. Mas aconteceu apenas uma vez e o San Lorenzo-ARG venceu o Atlético Wanderers-URU por 1 x 0.

Por outro lado, a Taça Aldao voltou a ser disputada em 1927, com o San Lorenzo sendo campeão. Bem como o Peñarol venceu em 1928, antes de mais um hiato. Em 1936, o River Plate-ARG conquistou dois títulos, seguido de uma dobradinha do Independiente-ARG e a competição se encerrou com três conquistas do River: 1941, 1945 e 1947.

Campeonato Sul-Americano de Campeões

Antes da Copa Libertadores tomarem conta da América, o Campeonato Sul-Americano de Campeões foi o que chegou mais próximo de uma real Libertadores, afinal, reuniu clubes de vários países e não apenas Argentina e Uruguai.

Assim, em 1948, sete clubes da América do Sul enviaram seus representantes. Em suma, todos jogariam contra todos no sistema de pontos corridos. Dessa forma, os competidores foram:

  • River Plate (campeão argentino de 1947)
  • Costeiro (campeão de La Paz de 1947)
  • Vasco da Gama (campeão do Rio de Janeiro de 1947)
  • Colo-Colo (campeão chileno de 1947)
  • Emelec (campeão de Guayaquil de 1946)
  • Desportivo Municipal (vice-campeão do Peru de 1947, Atlético Chalaco, campeão, recusou o convite)
  • Nacional (campeão uruguaio de 1947)

Em resumo, depois de seis rodadas, o brasileiro Vasco da Gama foi campeão com quatro vitórias e dois empates. A saber, sua geração ficou conhecida como Expresso da Vitória, que se tornou o primeiro clube campeão sul-americano de fato. Decerto, em 1990, a Conmebol publicou um livro com a história da  Copa Libertadores no qual afirmava que o torneio de 1948 foi o antecessor da competição.

Portanto, em 1996, o Vasco da Gama solicitou a Conmebol que os reconhecessem como campeões sul-americanos e os deixassem participar da Supercopa Sul-Americana de 1997, a qual apenas os campeões participariam. De fato, a confederação reconheceu e o clube cruz-maltino jogou o torneio. O sucesso do Campeonato Sul-Americano de Campeões inspirou a criação da Copa dos Campeões Europeus, em 1955, atual Champions League.

Primeira edição da Copa Libertadores

Antes de mais nada, a Copa Libertadores iniciaram-se em 1960, ainda sob o nome Copa dos Campeões da América. O primeiro representante brasileiro dos palpites Libertadores foi o Bahia. O primeiro campeão acabou sendo o Peñarol, do Uruguai. Inclusive, venceu as duas primeiras edições. A segunda vencendo o brasileiro Palmeiras na final.

Já em 1962 e 1963 o grande campeão foi o Santos, de Pelé e cia. Então houve um monopólio do Rio da Prata, com seis títulos do Independiente-ARG, três do Estudiantes-ARG, um do Racing-ARG e um de cada da dupla uruguaia, Nacional e Peñarol. 

E só em 1978 que outro brasileiro voltou a vencer, com o Cruzeiro. O Brasil, mais tarde, teve outros campeões, como Flamengo, Grêmio, São Paulo, Vasco da Gama, Palmeiras, Internacional, Corinthians Atlético Mineiro.

Clubes campeões da Libertadores

Clube
País
Títulos

Independiente

Argentina

7 (1964, 1965, 1972, 1973, 1974, 1975 e 1984)

Boca Juniors

Argentina

6 (1977, 1978, 2000, 2001, 2003 e 2007)

Peñarol

Uruguai

5 (1960, 1961, 1966, 1982 e 1987)

River Plate

Argentina

4 (1986, 1996, 2015 e 2018)

Estudiantes

Argentina

4 (1968, 1969, 1970 e 2009)

Olimpia

Paraguai

3 (1979, 1990 e 2002)

Nacional

Uruguai

3 (1971, 1980 e 1988)

São Paulo

Brasil

3 (1992, 1993 e 2005)

Palmeiras

Brasil

3 (1999, 2020 e 2021)

Grêmio

Brasil

3 (1983, 1995 e 2017)

Santos

Brasil

3 (1962, 1963 e 2011)

Flamengo

Brasil

3 (1981, 2019 e 2022)

Internacional

Brasil

2 (2006 e 2010)

Atlético Nacional

Colômbia

2 (1989 e 2016)

Cruzeiro

Brasil

2 (1976 e 1997)

Colo-Colo

Chile

1 (1991)

San Lorenzo

Argentina

1 (2014)

Racing

Argentina

1 (1967)

LDU Quito

Equador

1 (2008)

Vélez Sarsfield

Argentina

1 (1994)

Atlético Mineiro

Brasil

1 (2013)

Argentinos Juniors

Argentina

1 (1985)

Corinthians

Brasil

1 (2012)

Vasco da Gama

Brasil

1 (1998)

Once Caldas

Colômbia

1 (2004)

Países mais vencedores da Libertadores

País
Títulos
Vices
Clubes campeões

Argentina

25

12

8

Brasil

22

18

10

Uruguai

8

8

2

Colômbia

3

7

2

Paraguai

3

5

1

Chile

1

5

1

Equador

1

3

1

Tudo sobre apostar na Libertadores na Betano >