A primeira glória: Há 36 anos o Argentinos Juniors conquistava um inédito título na elite nacional

Os anos de 1984-1986 foi o período em que o Argentinos Juniors fincou seu nome na história do futebol argentino, sul-americano e mundial. Nestas três temporadas, o clube ergueu duas taças nacionais e mais duas internacionais. Assim, a Coluna Catimbando de hoje relembra o início dessa trajetória vitoriosa e conta em detalhes como se deu o primeiro título da elite nacional dos Colorados.

Leia Mais

CONTEXTO

A era vitoriosa do Argentinos Juniors, na verdade tem seu início no ano de 1976. É a partir do surgimento de Diego Armando Maradona no futebol, que os Colorados começam a ser notados no cenário nacional. Foram quatro anos no clube de La Paternal, oito campeonatos disputados, sendo o artilheiro em cinco ocasiões, um recorde até hoje.

Nesse sentido, foi no seu último ano vestindo a camisa colorada, que Dieguito quase conseguiu anteceder o título que viria quatro anos depois. Em 1980, Maradona liderou o Argentinos no torneio Nacional, mas acabou ficando com o vice campeonato. Logo depois saiu para o Boca Juniors. No entanto, o Bicho não sentiu tanto a falta do craque, e em 1983 chegou a ser semifinalista da mesma competição.

Contudo, foi somente em 1984 que o Argentinos chegou à glória máxima na elite do futebol argentino. Aproveitando-se da crise financeira de Boca Juniors e River Plate, e da campanha ruim do Independiente de Avellaneda, o Bicho concorreu com outros times de menor expressão no cenário nacional. Assim, Estudiantes e Ferro Carril Oeste foram as equipes que ameaçaram tirar a taça dos Colorados naquele ano.

ELENCO

As contratações do Bicho naquela temporada foram certeiras. Desse modo, a diretoria do time optou por investir em poucas posições, mas com alguns nomes de peso. O principal deles foi o experiente defensor Jorge Olguín, que era multicampeão por San Lorenzo e Independiente e fazia parte do elenco que venceu a Copa do Mundo de 1978 com a seleção argentina.

Outras peças importantes que chegaram ao Argentinos em 1984, foi o bom goleiro Enrique Vidallé e o armador Emílio Commiso, que veio do River Plate. Dessa forma, os dirigentes conseguiram mesclar a experiência dos novos contratados com a juventude da base, que também tinha nomes importantes como Adrián Domenech e Sérgio Batista.

A CAMPANHA DO ARGENTINOS JUNIORS

A disputa do Torneio Metropolitano era através de turno e returno em um modelo de pontos corridos. Assim, o Argentinos Juniors começou o campeonato com apenas uma vitória nos quatro primeiros jogos. No entanto, o time liderado por Olguín e Commisso logo se recuperou e emplacou uma série de 10 partidas invictas.

Depois de quase dois meses sem perder, os Bichos sofreram uma derrota inesperada para o San Lorenzo por 4 x 2. Contudo, voltou a vencer duelos importantes fora de casa. O 1º turno se encerrou com os Colorados a um ponto do líder Estudiantes. Mas no início do returno a equipe perdeu jogos em sequência e quase se complicou de novo na competição.

No decorrer do torneio, os Colorados tornaram a flertar com a liderança e, na 27ª rodada, após ganhar do Instituto por 2 x 0, o time alcançou o 1º lugar. Entretanto, no confronto seguinte uma derrota para o forte Ferro Carril Oeste, tirou os Bichos do topo da tabela. Porém, uma goleada aplicada sobre o Boca Juniors na partida seguinte fortaleceu o clube de La Paternal, e a equipe ficou sem perder as seis partidas posteriores.

A RODADA FINAL E O DESTINO GLORIOSO DO ARGENTINOS JUNIORS

Faltando apenas uma rodada para o término do Torneio Metropolitano, o Argentinos Juniors estava empatado em número de pontos com Ferro Carril Oeste. Contudo o FCO tinha a vantagem de ter somado mais pontos nos confrontos diretos contra o Colorado. Assim, para se sagrar campeão, os Bichos precisariam vencer o Temperley e torcer para que os Verdolagas não vencessem o Estudiantes.

Para sorte do Argentinos, o Estudiantes também tinha chances de título e jogaria em casa contra o FCO. Dessa forma, a partida truncada entre esses times se refletiu no placar, que ao fim dos 90 minutos apontava um empate de 1 x 1.  Assim, com uma vitória simples sobre o Temperley, os Bichos faturariam a taça inédita.

Naquele momento do campeonato, o Temperley era o 13º colocado e, portanto, não tinha pretensões no torneio. Ainda assim, os Colorados tiveram dificuldades de superar os Gasoleros. Contudo, aos 35 minutos da etapa inicial, coube a Jorge Olguín converter o pênalti que daria o título inédito e também marcaria o início dos tempos dourados do Argentinos Juniors.

Foto Destaque: Reprodução/Futebolportenho

 

 

Enzo Gabriel
Sou o Enzo, sou de Brasília e tenho 20 anos. Completamente apaixonado por futebol e totalmente focado em virar um grande jornalista esportivo. Por enquanto faço sociologia na Universidade de Brasília

Artigos Relacionados