Presidente do Santo André diz à torcida "antes de cobrar, deveria participar"

Na tarde desta terça-feira (4), o EC Santo André realizou alguns exames para começar a pré-temporada. Em seguida, concedeu entrevista coletiva para falar sobre a parceria com a rede hospitalar D'Or, e sobre a temporada de 2022 do clube. Sendo assim, quando perguntado sobre como seria a Série D, o presidente Sidney Riquetto disse: “vai depender do torcedor”.

A Série D não pode ser descartada pelo Santo André, pois ficar sem divisão é pior do que ter uma. Contudo, o presidente do clube, Sidney Riquetto, falou que a boa campanha na competição irá depender do torcedor.

“Vai depender do torcedor, será se no campeonato paulista, nós vamos ter 600 pagantes, como nós avinhamos tendo, como se faz futebol profissional dessa forma? O torcedor, antes de cobrar, deveria participar. É óbvio que tudo vai ser feito dentro das possibilidades do clube. Se não tivermos uma situação financeira melhor, nós vamos investir nos atletas que possam ter perfil de série D”, comentou o presidente.

Santo André jogando no Estádio Bruno José Daniel

Na temporada de 2021, o Santo André teve que jogar fora da cidade por conta das obras que estavam sendo realizadas no Estádio Bruno José Daniel. Sendo assim, o presidente Sidney Riquetto enalteceu a força do time em jogar em casa.

“O time não joga em função de 150 torcedores, 200 torcedores, ele vive em função de usar o seu estádio como arma, nós fizemos duas competições duríssimas, como o Paulista, jogando fora de casa. Se você observar os resultados que obtivemos, nós tivemos mais pontos fora de casa, do que nos mando de jogo. Em 2020, nós fizemos 20 pontos, 12 em casa, oito fora. Em 2021, nós fizemos 13, seis em casa e sete fora. Na série D, nós somos eliminados no nosso mando de campo, fizemos mais resultados no mando do adversário”, explica o presidente Sidney Riquetto.

Por fim, o Santo André procura usar o seu estádio reformado como uma forma de alcançar bons resultados, como em 2020 no Campeonato Paulista. Contudo, os diretores e comissão técnica contam com isso para alcançar os objetivos em 2022.

 

Foto destaque: reprodução/ Ivan Garcia/FNV

Ivan Garcia
Me chamo Ivan Garcia. Tenho 21 anos, sou estudante do 8º semestre de jornalismo na Faculdade Paulus de Tecnologia e comunicação - FAPCOM. Fanático por todos os esportes, o futebol é algo que sempre esteve comigo, e desde criança sonhava em fazer parte do ramo esportivo. Acredito que não existe emoção maior que não seja no esporte, você fica feliz e triste em questão de minutos, e é isso que me faz gostar cada vez mais.