Seleçao Brasileira Andressinha

A Coluna Parabéns ao Craque de hoje, 1 de maio, é para Andressa Cavalari Machry, mais conhecida como Andressinha. Ela é uma das inspirações do futebol feminino.

Nascida em Roque Gonzales (RS), desde nova tinha o futebol como paixão e seu pai como espelho, que jogava futebol de várzea e sempre levou a filha aos jogos. Começou a jogar aos nove anos de idade, em um time de futsal, que disputava campeonatos regionais junto com meninos no interior do Rio Grande do Sul.

Em 2009, passou a integrar o elenco do Esporte Clube Pelotas. Apesar de pouca idade, a craque acumula convocações para a Seleção. É Tetracampeã Sulamericana Sub-17 (2010 e 2012) e Sub-20 (2012 e 2014). Com o destaque nas categorias base, como resultado, foi chamada para integrar o elenco principal da Seleção Brasileira, jogando ao lado de gênios, como Marta e Cristiane.

Andressinha recentemente foi repatriada, sendo contratada pelo Corinthians, que inclusive foi parar nos Trending Topics do Twitter, uma vez que foi um dos assuntos mais comentados da rede social no dia do anúncio de sua chegada ao clube alvinegro.

CARREIRA

Em 2009, após peneira realizada em Nova Esperança do Sul (RS), passou a integrar o elenco do Esporte Clube Pelotas, onde disputou o Campeonato Gaúcho. Aos 14 anos, mudou-se para Caçador (SC), para defender o Kinderman, onde foi campeã estadual por quatro anos (2010-2013). Foi artilheira em duas temporadas e nomeada revelação do Brasileiro de 2015.

Logo depois da participação no Pan-americano de Toronto, no Canadá, foi contratada pelo Houston Dash para disputar o final da temporada da Liga Nacional Americana. Defendeu também o escudo do Tiradentes, do Piauí, sendo destaque do time. Voltou ao Houston Dash em em 2016 e 2017. No final do ano, esteve no Iranduba por empréstimo e conquistou o Campeonato Amazonense.

E no ano seguinte, com o draft dos clubes americanos, Andressinha passou a fazer parte do Portland Torns, alcançando o vice campeonato da NWSL. No final da temporada, foi novamente emprestada ao Iranduba, para disputa da Libertadores da América. Na última temporada no Portland Torns, ano passado, ficou um tempo parada, como resultado de uma lesão no joelho.

No início deste ano, foi anunciada pelo time do Corinthians, movimentando as redes sociais, como uma das maiores contratações do clube e do futebol nacional, onde atuou em três das quatro partidas que ocorreram antes da paralisação por conta da pandemia.

SELEÇÃO BRASILEIRA

Marcos Planela Barbosa, coordenador-geral de futebol feminino do Pelotas, na época auxiliar-técnico da Seleção Brasileira Sub-17, buscava atletas a partir de 16 anos para disputar os mundiais sub-17 e sub-20. Encontrou Andressinha, com 13 anos em uma seletiva que a revelou e levou a sua primeira convocação para a Seleção Brasileira sem ao menos ter um time oficial.

REVELAÇÃO COM A AMARELINHA

Foi bicampeã do Sul-americano Sub-17 e a autora do gol que deu o segundo título ao Brasil e considerada uma das promessas do futebol brasileiro, bem como, foi comparada a Marta na época.

“Quando eu era mais nova, ouvia muito “a Andressinha é a promessa da seleção” e comparações com ela. Só que sempre fui muito consciente, e a verdade é que não vai existir outra Marta.” Diz a atleta, em entrevista à revista Glamour.

Foi chamada para o Sul-Americano Sub-20 (2012 e 2014), mais uma vez, conquistou o título nas duas ocasiões. A convocação para o elenco principal veio em 2012, para o Torneio Internacional de Futebol Feminino, que o Brasil foi levou a taça.

Dois anos mais tarde foi escolhida para participar da Copa América, onde a Seleção Brasileira chegou ao hexacampeonato da competição. Ao final do mesmo ano, teve nova participação no Torneio Internacional de Futebol Feminino, que o Brasil ganhou mais uma vez e nessa oportunidade que Andressinha marcou seu primeiro gol com a camisa da Seleção principal, contra a China.

SELEÇÃO PRINCIPAL

No ano seguinte foi convocada na Seleção permanente para se reunir com o grupo em uma preparação de 18 meses para a Copa do Mundo. Contudo o Brasil foi eliminado nas oitavas de final. Logo após o mundial, foi novamente requisitada para o Pan-americano de Toronto, em 2015, sagrando-se campeã. No ano seguinte convocada para as Olimpíadas do Rio de Janeiro, que o Brasil alcançou o 4° lugar.

Posteriormente, continuou sendo relacionada nas listas da Seleção, em amistosos e nas últimas edições da Copa América, ganhando o 7° titulo. E da Copa do Mundo, realizada ano passado na França, todavia, o Brasil foi derrotado pelas donas da casa nas oitavas de final. Com a mudança técnica, Andressinha continua sendo nome constantemente citada nas listas de Pia Sundhage.

Foto destaque: Reprodução/Olimpíada Todo Dia

Erica Viana
Sou Erica, tenho 27 anos e a paixão pelo futebol começou pelo meu time, Corinthians. Fui conhecendo outras modalidades e criando carinho por outros esportes. Sempre que possível, vou ao estádio assistir jogos do Corinthians, com preferência pelos jogos do feminino. Sou formada em marketing e estou em formação para jornalismo, que iniciei pela identificação com a área de comunicação e por querer sentir além do "ser torcedor". Pretendo me especializar no jornalismo esportivo, para trabalho dedicado à área e futuramente, ao futebol feminino.

Artigos Relacionados