Marta, eleita seis vezes a melhor do mundo

Marta Vieira da Silva nasceu em 19 de fevereiro de 1986, em Dois Riachos. Atua como meia-atacante e atualmente defende o Orlando Pride, dos Estados Unidos. Foi escolhida como a melhor futebolista do mundo por seis vezes, sendo cinco de forma consecutiva, entre 2006 e 2010. A saber, o recorde não é só entre as mulheres, como também entre os homens. Além disso, desde 2015 é a maior artilheira da história da Seleção Brasileira (contando masculina e feminina) com 110 gols marcados. Também é a artilheira quando o assunto é Copa do Mundo. Na edição de 2019, marcou seu décimo sétimo gol.

Início da carreira

Natural de Alagoas e de família humilde, foi abandonada pelo pai quando tinha apenas um ano de idade. Dessa forma, cresceu ao lado da mãe e de seus três irmãos. Dona Tereza descobriu com horror que, em vez de ir à escola, sua filha pequena ia jogar futebol. E seus irmãos homens a trancavam em casa para afastá-la da bola.

A Rainha, como é conhecida no Brasil, começou a carreira no juvenil do Centro Sportivo Alagoano (CSA), em 1999. No ano seguinte, chegou ao Vasco da Gama, onde jogou no profissional entre os anos de 2000 e 2002. Ficou sem clube quando o clube acabou com o time feminino por problemas financeiros. Em seguida, foi para o Santa Cruz Futebol Clube, de Minas Gerais. Posto que permaneceu no clube até 2004.

Seleção Brasileira

O início com a Amarelinha foi em 2003, nos Jogos Pan-Americanos, em Santo Domingo. Uma vez que a Seleção Brasileira ganhou medalha de ouro. No mesmo ano, participou do Campeonato Sul-Americano e em 2004 mais uma medalha. Dessa maneira, sua equipe foi medalha de prata nos Jogos Olímpicos, em Atenas.

Carreira no exterior

Após defender a Seleção, Marta teve a primeira oportunidade no exterior. Visto que em 2004 assinou com o Umea IK, da Suécia. A passagem pelo clube foi bastante vitoriosa, com a jogadora sendo artilheira nos dois primeiros anos, com 22 e 21 gols. Conquistou títulos em 2006, 2007 e 2008, após terminar em segundo lugar nos anos anteriores. E permaneceu na equipe até 2009.

Voltou a vestir a camisa da Seleção Brasileira nos Jogos Pan-Americanos de 2007, realizados no Rio de Janeiro. Por certo, mais uma medalha de ouro e, para completar, foi artilheira com 12 gols. Já em 2008 a equipe foi campeã nas Olimpíadas de Pequim. E em 2009 seguiu para o Los Angeles Sol, dos Estados Unidos. No clube, mais uma artilharia. Posteriormente, no final do mesmo ano, voltou ao Brasil para defender o Santos, por empréstimo. Nesse ínterim, foi campeã da Copa do Brasil e da Copa Libertadores da América.

Nova oportunidade fora do Brasil

Seu clube seguinte foi o FC Gold Pride, ao qual chegou em 2011. Mais uma artilharia e mais um título, o de campeã da Liga de Futebol Feminino dos Estados Unidos. E retornou à Suécia em 2012, dessa vez para defender o Tyresö FF, pelo período de dois anos. Em julho desse mesmo ano, Marta passou mais uma vez pela Seleção Brasileira, que participou das Olimpíadas de Londres, onde nas quartas de final, o Brasil foi derrotado por 2 a 0 do Japão.

Após a falência do Tyresö em 2014, Marta foi contratada pelo FC Rosengård, por seis meses, e possibilidade de prorrogação. Com a equipe ela foi bicampeã da Liga da Suécia de Futebol Feminino em 2014 e 2015, além de acabar com o vice-campeonato em 2016. Em 07 de abril de 2017, a jogadora foi oficialmente anunciada pelo Orlando Pride, dos Estados Unidos.

Estilo de jogo

Jogadora pequena, rápida, porém robusta e tenaz, considerada por muitos no esporte a maior futebolista feminina de todos os tempos, Marta é conhecida por seu talento, pés rápidos e habilidade excepcional na bola. Inclusive, ganhou suas comparações com Ronaldinho, Romário e também Pelé, sendo apelidada de Pelé com saias. Além de sua visão e habilidades técnicas, a jogadora também é conhecida por seu ritmo ao driblar em alta velocidade.

 Marta é capaz de jogar em várias posições ofensivas: ela começou sua carreira em um papel ofensivo no meio-campo como número 10 clássico, embora mais tarde tenha sido destacada em um papel mais avançado, tanto como atacante de apoio e como atacante principal, ou mesmo na asa, uma posição que permite que ela corte no meio e atire no gol com o pé esquerdo mais forte.

Embora ela seja conhecida principalmente por sua criatividade, criação de chances e capacidade de se destacar de seus colegas de equipe como um craque avançado, Marta é uma marcadora de gols prolífica, conhecida por sua capacidade de golear. Ela também é precisa em pênaltis e lances de bola parada. Além de suas habilidades no futebol, a Rainha também se destacou por sua liderança.

Outras conquistas

Marta entrou na Calçada da Fama do Maracanã sendo a primeira e, até agora, a única mulher a deixar a marca dos pés no estádio. Foi homenageada pelo Museu do Futebol em 2015, no projeto Visibilidade para o Futebol Feminino. Marta foi a primeira jogadora, junto com Formiga, a integrar a Sala Anjos Barrocos, que até então era exclusiva de jogadores homens. Também recebeu do GloboEsporte o prêmio de Craque do Brasileirão em 2018. No mesmo ano, recebeu o Troféu Bola de Ouro, da ESPN.

Foto destaque: Assessoria / CBF.

Jéssica Albuquerque
Sou formada em Letras e atualmente curso Jornalismo. Sempre gostei de ler e de escrever, o que me levou a seguir nessas áreas.

Artigos Relacionados