Plaza Colonia: o Leicester Uruguaio que conquistou o Clausura em 2016, com ‘ajuda’ de Diego Lugano

- O Picapiedras surpreendeu a todos ao sair da lanterna na 2ª divisão uruguaia e superar o Peñarol um ano e meio depois, conquistando o título épico
Plaza Colonia campeão Clausura 2016

Diego Lugano foi revelado pelo Nacional, do Uruguai, mas antes de ir para o São Paulo, jogou com a camisa do Plaza Colonia, por empréstimo em 2002. Ao todo foram 46 partidas e quatro gols marcados pelo Patas Blancas. E 14 anos depois, de certa forma, ajudou a pequena equipe uruguaia a conquistar o Clausura Uruguaio em 2016. Um título e tanto. No mesmo ano, o Leicester conquistou a Premier League, e desde então, por essa conquista o modesto Plaza virou o ‘Leicester Uruguaio'.

Quando Eduardo Espinel chegou ao Plaza a equipe brigava contra o rebaixamento para 3ª divisão em 2014. E então, numa brincadeira com os auxiliares, o treinador aceitou a sugestão de que, caso o clube não fosse rebaixado, eles comeriam uma pizza no centro do gramado do Centenario. O intuito naquele momento era estimular o time para solucionar um grande problema que seria o rebaixamento.

A PARTICIPAÇÃO DE LUGANO

Espinel foi atrás de um ex-companheiro de zaga, no mesmo Plaza Colonia, no início deste século, ou seja, Diego Lugano. O ex-zagueiro, atualmente dirigente do São Paulo, naquele momento estava treinando no Uruguai, para se recuperar de uma lesão e então procurar um clube para dar continuidade em sua carreira. E ao receber o convite para treinar com os jogadores albiverdes Diego aceitou.

Diego foi muito importante para nós. Ele passou quase um mês treinando com a gente. Estávamos passando por um mau momento na segunda divisão, brigando para não cair para a terceira. Ele ajudou muito dando conselhos e também pela forma como treinava. Os nossos garotos o viam e pensavam; ‘Esse jogador ganhou tudo e ainda está colocando muchapasión no treino, tentando voltar ao futebol mesmo sem ter um time para jogar'.” 

O LEICESTER URUGUAIO

Coincidentemente, a equipe passou a conquistar bons resultados. Assim, o modesto Plaza Colonia escapou do rebaixamento, permanecendo na 2ª divisão, e na temporada seguinte conquistou o acesso para a elite do futebol uruguaio. Dessa forma, um ano e meio depois, a equipe surpreendeu a todos conquistando o Clausura de 2016, com uma rodada de antecedência, vencendo o Peñarol, de Diego Forlán, em seu mais novo estádio, o Campeón del Siglo. Portanto, foi o Plaza Colonia quem estreou a volta olímpica na casa do time mais vitorioso do Uruguai.

Um fato curioso é que as bilheterias nos jogos do time nas divisões de acesso sequer vendiam 40 ingressos por partida. O clube teve 200 mil reais por mês para cobrir todos os custos ao disputar a elite do futebol uruguaio, para estar em dia com funcionários administrativos, tudo o que estava envolvido com o clube. Para se ter uma ideia, apenas Diego Forlán, hoje técnico do Peñarol, mas naquela ano ainda era jogador, recebia duas vezes mais que o orçamento do Plaza.

“Os próprios atletas se encarregavam de vender as entradas para os familiares. Aquele que conseguisse vender mais de cinco garantia a titularidade“, brincou um dirigente ao lembrar dos tempos da cancha vazia.

Naquele mesmo ano, em 2016, o pequeno Leicester conquistou a gigante Premier League. Sendo assim, o apelido do Plaza no Uruguai passou a ser ‘Leicester Uruguaio“, pela conquista surpreendente, ainda se consagrando campeão diante do Peñarol, maior clube do país.

“Nós sentimos orgulho por essa comparação com o Leicester, porque é um time que também fez história em um futebol muito competitivo. Há muitos exemplos similares pelas trajetórias particulares dos jogadores. Mas nós gostamos que se fale especificamente do Plaza Colonia no futebol uruguaio. Acho que esses garotos merecem que todo este esforço seja comentado”, disse Espinel após a conquista.

A CAMPANHA DO PLAZA

No Apertura, a equipe não havia realizado uma boa campanha, conquistando apenas três vitórias em 15 jogos, assim, ficando na 14ª colocação. Até por isso, o título no Clausura foi ainda mais surpreendente, tendo sofrido apenas uma derrota, esta para o Juventud, em casa, por 2 x 1. Então, depois de vencer Nacional e o Montevideo Wanderers, a nona vitória veio sobre o Peñarol, por 2 x 1, no novíssimo estádio Campeón del Siglo.

Os gols da vitória foram marcados por Nicolás Milesi e Alejandro Villoldo, de pênalti. Graças ao resultado, o Plaza abriu cinco pontos sobre o “campeão do século”, faltando uma rodada para o fim do torneio, e garantiu o título. Embora a equipe tenha sido eliminada para o própria Peñarol na semifinal do Campeonato Uruguaio – na prorrogação – não apagou o grande feito dos Patas Blancas.

Para entender melhor como funciona o regulamento uruguaio, clique aqui.

PROMESSA CUMPRIDA

E lembra da promessa envolvendo a pizza? Pois é, antes de Espinel ir para o Santiago Wanderers, do Chiles, ele cumpriu a promessa. Sendo assim, o que era para brigar contra o rebaixamento, terminou celebrando um título épico para todos os envolvidos no Plaza Colonia.

“Depois de garantir a permanência na primeira divisão, estávamos concentrando (para o jogo contra o Peñarol) no estádio Centenario. Há um lugar lá onde ficam os times do interior que vêm jogar na capital. Foi um pouco de loucura. Achamos que poderíamos pagar a promessa naquela mesma noite. Chegamos no círculo central, abrimos as caixas de pizza e comemos. Claro que tiramos uma foto para deixar a prova de que a promessa tinha sido cumprida”.

Comissão do Plaza cumprindo a promessa comendo a pizza. Foto: Twitter/ Plaza Colonia

Apenas cinco jogadores remanesceram no time. Entretanto, Matías Caseras, Facundo Waller e Nicolás Dibble, por exemplo, saíram por empréstimo e retornaram ao Plaza. Por outro lado, Nicolás Guirin e Ezequías Redín, jovens revelados pelo clube, estão até hoje. Inclusive, o primeiro, até a paralisação devido ao coronavírus, já havia marcado cinco gols em cinco jogos.

Em contrapartida, já os demais seguiram outro rumo, outros estão em clubes sul-americanos, outros se aposentaram, ou estão até sem vínculo. Como é o caso de Eduardo Espinel, que já retornou duas vezes para o Uruguai, seu último trabalho foi no Rampla Juniors, em 2019, mas dessa vez, ele não conseguiu evitar o rebaixamento dos Picapiedras.

Foto destaque: Divulgação/FIFA – Plaza Colonia

Thiago Lopes

Sobre Thiago Lopes

Thiago Lopes já escreveu 491 posts nesse site..

Thiago Lopes, 20 anos. Estudante de jornalismo - 6º semestre.

BetWarrior


Thiago Lopes
Thiago Lopes
Thiago Lopes, 20 anos. Estudante de jornalismo - 6º semestre.

Artigos Relacionados

Topo