Passaporte Rússia é mais uma coluna do Futebol na Veia que apresentará curiosidades de todas as seleções que participarão da Copa do Mundo deste ano. Este é o segundo de sete textos sobre a Seleção Sueca desta edição. Confira os cinco maiores ídolos da história da Seleção Sueca.

PASSAPORTE RÚSSIA – OS CINCO MAIORES ÍDOLOS DA SELEÇÃO SUECA

5 – Klas Ingesson

Falecido em 2014, vítima de câncer, Ingesson disputou as Copas do Mundo de 1990 e 1994 e foi outro destaque da seleção que marcou história na Copa do Mundo dos Estados Unidos. Ele jogou pela Suécia por 57 vezes. Era meio-campo, e inclusive deu muito trabalho aos jogadores da Seleção Brasileira no empate por 1 x 1 na primeira fase daquela Copa (94).

(Reprodução/Stefan Jerrevång)

4 – Martin Dahlin

Lembrado não apenas pela trajetória em campo, mas também por ser o primeiro jogador não branco a vestir a camisa da Suécia, Dahlin serviu à seleção durante 6 anos, de 1991 a 1997.

(Reprodução/Getty Images)

3 – Tomas Brolin

Com 27 gols marcados em 47 participações pela seleção, Tomas Brolin é lembrado como um dos principais responsáveis pela surpreendente campanha da Suécia na Copa de 1994, quando os nórdicos ficaram com o terceiro lugar, mais uma vez derrotados pelo Brasil. Brolin se afastou da seleção em decorrência de uma lesão, que o impediu de vestir a camisa azul e amarela com mais frequência, a partir de 1996.

(Reprodução/Mirror)

2 – Henrik Larsson

Larsson jogou 3 Copas do Mundo com a camisa da seleção sueca (1994, 2002 e 2006). Inclusive, Ibra já foi reserva do craque em algumas ocasiões no início da participação pela seleção. Larsson também jogou três Eurocopas (2000, 2004 e 2008). Anunciou a aposentadoria em 2009. Atualmente, é treinador de um modesto clube na Suécia e referência no país quando o assunto é futebol.

(Reprodução/Talksport)

1 – Zlatan Ibrahimovic

O craque, que atualmente joga no futebol dos Estados Unidos, é sem dúvidas o maior ídolo do futebol na história da Suécia. Aposentado da seleção desde o fim da Eurocopa em 2016, o atacante viu os companheiros conquistarem a vaga para o mundial da Rússia. Foi aí que o interesse em voltar floresceu, mas em meio a problemas envolvendo o ego do próprio jogador, a volta para vestir a camisa azul e amarela na Copa do Mundo foi descartada. Mas nem mesmo esse fato anula a história de Ibra pela Suécia. Em 116 jogos, foram 62 gols. A estreia, em 2001 contra Ilhas Faroe, marcou o início da trajetória jogador. Em 15 anos, Zlatan participou de Copas do Mundo e Eurocopas, sem grande sucesso em todas as competições.

(Reprodução/The18)
Samuel Bonicontro
Samuel Bonicontro, 21 anos, natural de Governador Valadares-MG, Cruzeirense, apaixonado por futebol desde a infância. Minha frase é: "Não existe ninguém no mundo que ame tanto futebol, e que ao mesmo tempo seja tão ruim com a bola nos pés!" Vejo o futebol de forma romântica, amo os clubes do interior, e valorizo a tradição e não o dinheiro. Há camisas enormes que não são valorizadas por não ter crescido financeiramente, pego exemplos de Bangu e América-RJ. O futebol foi a maior invenção da história da humanidade.

Artigos Relacionados