Passaporte Rússia – Top 5 ídolos sérvios

Passaporte Rússia é mais uma coluna do Futebol na Veia que apresentará curiosidades de todas as seleções que participarão da Copa do Mundo deste ano. Este é o segundo de sete textos sobre a Seleção Sérvia desta edição. Confira os cinco maiores ídolos da história das Águias Brancas.

Para falar a respeito dos grandes ídolos da Sérvia nas quatro linhas, antes de mais nada é preciso fazer uma importante ponderação. Embora o país tenha declarado sua independência em junho de 2006, sua história dentro de campo é bem mais antiga do que isso. De forma oficial, a FIFA reconhece a seleção sérvia como a sucessora da Iugoslávia. Portanto, graças à herança reconhecida pela entidade máxima do futebol, será levado em conta para a escolha dos ídolos jogadores atletas que tenham atuado pelas seleções da Iugoslávia, Sérvia e pela união entre Sérvia e Montenegro.

PASSAPORTE RÚSSIA – OS CINCO MAIORES ÍDOLOS DA SELEÇÃO SÉRVIA

5 – Drazan Jerkovic

Por conta das lesões que sofreu ao longo da carreira, Jerkovic teve uma carreira curta que foi encerrada antes dos 30 anos. No entanto, a falta de longevidade no esporte não impediu que o atacante se tornasse uma lenda do Dínamo Zagreb e um dos grandes ídolos da seleção iugoslava.

Pelo clube croata, Drazan foi uma máquina de gols e um dos maiores artilheiros do Leste Europeu ao balançar as redes 300 vezes em 315 jogos. Já pela seleção, Jerkovic foi o artilheiro da Copa do Mundo de 1962 com 5 gols e foi o principal nome da campanha dos azuis até às semifinais.

Drazan fez 21 jogos pelos azuis e marcou 11 gols. Após encerrar a carreira chegou a treinar as seleções da Croácia (foi o primeiro técnico do país após sua independência) e da Iugoslávia.

(Reprodução/Alchetron.com)

4 – Predrag Mijatović

Artilheiro nato, Mijatović era um atacante completo. Além de ser um exímio finalizador, o montenegrino se destacava por sua velocidade, capacidade de cabeceio e pelas incríveis cobranças de falta. O atacante, que jogou pela Iugoslávia e pela União Estatal de Sérvia e Montenegro, fez sua carreira em grandes clubes, tendo atuado pelo Partizan, da Sérvia, pelos espanhóis Valencia e Real Madrid, e pela Fiorentina na Itália, dentre outras equipes do velho continente.

Dentre os grandes feitos de sua carreira, destacam-se o segundo lugar na briga da Bola de Ouro em 1997 (vencida por Ronaldo) e o gol do título do Real Madrid na final da Liga dos Campeões da temporada 1997/1998. Os merengues derrotaram a Juventus por 1 a 0.

Com a camisa da Iugoslávia, Mijatović fez 25 gols em 68 jogos e foi campeão mundial sub-20 em 1987. Contudo, apesar de ser um dos grandes ídolos do país, ficou marcado também de forma negativa. Isso por ter perdido um pênalti na derrota por 2×1 de sua seleção para a Holanda na Copa de 1998. A partida válida pelas oitavas de final foi a última dos azuis em mundiais. Pela Sérvia e Montenegro foram apenas 5 jogos disputados e 1 gol marcado.

(Reprodução/Fifa)

3 – Dejan Savićević

Quando um jogador ganha os apelidos de “Showman” e de “II Gênio” da torcida do Milan, é porque ele é muito bom de bola. O montenegrino é, com todos os méritos, mais um grande atacante a integrar a lista dos maiores ídolos iugoslavos.

Savićević é amado pela torcida rossonera, mas foi com a camisa do Estrela Vermelha que o mundo do futebol se rendeu aos seu talento. Pelo clube sérvio ele foi tricampeão nacional e conquistou o título da Liga dos Campeões da temporada 1990/1991 sobre os franceses do Olympique de Marseille. Já pelo Milan, o atacante se sagrou novamente campeão continental em 1993/1994, tendo inclusive marcado dois gols na final contra o Barcelona. O jogo terminou 4×0.

Atual presidente da Associação de Futebol de Montenegro, o ex-atleta fez 56 jogos com a camisa da Iugoslávia e disputou as Copas do Mundo de 1990 e 1998. Pelos azuis foram 19 gols marcados.

(Reprodução/Calciopedia)

2 – Siniša Mihajlović

Único defensor da lista, Mihajlović foi um dos zagueiros mais técnicos de sua geração. E além de ser um pilar no sistema defensivo nos clubes por onde jogou (sua carreira toda foi feita na Sérvia e na Itália), o atleta, que brilhou com camisas pesadas como a do Estrela Vermelha e as das grandes rivais da capital italiana, Roma e Lazio (com destaque maior no lado azul da cidade), foi um verdadeiro craque nas cobranças de falta – não à toa ele é simplesmente o recordista de gols de falta do campeonato italiano. Em sua carreira profissional foram mais de 100 gols marcados, um feito e tanto para um jogador de defesa.

Mihajlović tem como principal título na carreira a Liga dos Campeões de 1990/1991 com o Estrela Vermelha. Além disso, ele foi campeão italiano em duas oportunidades: 1999/2000 com a Lazio e na temporada 2005/2006 com a Internazionale.

Jogando com a camisa da Iugoslávia, o zagueiro disputou a Copa do Mundo de 1998 e a Eurocopa de 2000. Além disso, foi considerado em 1999 o atleta iugoslavo do ano. Ao todo, foram 62 internacionalizações e 11 gols feitos pelo selecionado. E 1 jogo por Sérvia e Montenegro.

(Reprodução/Hotsport.com)

1 – Stjepan Bobek

Nunca é fácil montar uma lista de ídolos, afinal, a filtragem sempre vai deixar algum craque de fora. Entretanto, seja qual for o top 5, top 10 ou top qualquer número montado de ídolos iugoslavos, é uma heresia deixar um jogador de fora: Stjepan Bobek.

O atacante é considerado por muitos como o maior ídolo da Iugoslávia em todos os tempos. Se o feito já é grande, em 1995 a torcida do Partizan, tradicional clube sérvio onde o artilheiro anotou 403 gols em 468 partidas, o escolheu como o maior ídolo da história do time.

Bobek disputou as Copas do Mundo de 1950 e 1954 e as Olimpíadas de 1948 e 1952 pela Iugoslávia. E nas 63 partidas que jogou pelos azuis, ele se tornou o maior artilheiro da seleção com 39 bolas na rede.

(Reprodução/Internet)
Bruno Piai

Artigos Relacionados