Passaporte Rússia – Top 5 ídolos iranianos

- Conheça os maiores ídolos da história da Seleção Iraniana

O Passaporte Rússia é mais uma coluna do Futebol na Veia que apresentará curiosidades de todas as seleções que participarão da Copa do Mundo deste ano. Este é o segundo de sete textos sobre a Seleção Iraniana desta edição. Confira os cinco maiores ídolos da história do Team Melli.

Estamos em contagem regressiva para a Copa do Mundo e, por isso, estamos trazendo uma série de matérias sobre as seleções e jogos históricos. Agora, vamos falar daqueles jogadores que movimentam o futebol: os ídolos de suas torcidas. Para a seleção do Irã, atletas que, para nós do ocidente não são muito conhecidos, mas que marcaram em importantes partidas e ficaram guardados no coração dos amantes do esporte bretão. Elencamos cinco grandes nomes para que possamos nos socializar melhor com o futebol dos amigos da “Seleção Melli”.

PASSAPORTE RÚSSIA – OS CINCO MAIORES ÍDOLOS DA SELEÇÃO IRANIANA

5 – KHODADAD AZIZI

Considerado o jogador mais valioso da Copa da Ásia em 1996 e o oitavo melhor jogador asiático de futebol do século XX, Azizi ficou marcado na história por fazer o gol que levou a equipe para a Copa do Mundo após vencer a Austrália na repescagem para o mundial disputado em 98.

Estreou como profissional em 1988, pelo Nasle Aboumoslem Football Club, e jogou pela seleção de 1996 a 2006, onde em 47 participações, marcou 11 gols. Atualmente está aposentado. Arriscou ser treinador e estava até 2017 no Meshki Pooshan Football Club.

Khodadad Azizi, o jogador mais valioso da Copa da Ásia em 1996 (Reprodução/FIFA)

4 – Ali Parvin

Conhecido pelos torcedores iranianos como “Sultão” e bastante associado ao clube Persépolis, time que defendeu por 18 anos, o que lhe rendeu uma estátua na sede do time e o título de um dos grandes jogadores da década de 1970.

Na seleção, fez parte do elenco que ganhou as edições de 1972 e 1976 da Copa da Ásia e das Olimpíadas de Munique e Montreal dos mesmos anos. Em 1978, participou do mundial, mas não marcou nenhum gol e sua equipe caiu na primeira fase. Ao todo foram 76 jogos pela seleção e marcou 8 gols.

No fim de sua carreira como atleta, em 1989, foi convidado a ser treinador da Seleção do Irã após ter tido um contato com a função no time em que ele fez sucesso, mas não foi muito feliz graças a queda na primeira fase na Copa da Ásia de 1992. Foi demitido da função um ano depois do campeonato.

Ali Parvin na década de 70 (Reprodução/Wikipédia)

3 – Mehdi Mahdavikia

Jogador que fez carreira na Alemanha jogando oito temporadas no Hamburgo, foi importantíssimo em alguns momentos da seleção do Irã na Copa de 98, fazendo o gol da única vitória na competição contra os Estados Unidos e foi considerado o melhor jogador do elenco.

Nas eliminatórias para o mundial de 2006, Mahdavikia ajudou o elenco a ir para o mundial, tendo a difícil missão de comandar o time em campo, após Ali Daei Yahya Golmohammadi anunciarem aposentadoria.

Já como capitão da Seleção Melli, por força política o meia foi obrigado a se aposentar da equipe após usar um bracelete, símbolo de protesto contra a eleição presidencial quando jogava uma partida eliminatória para a Copa de 2010. Ao todo foram 111 jogos e apenas 13 gols.

 

Mehdi Mahdavikia comemora gol com a Seleção Iraniana (Reprodução/These Football Times)

2 –  Ali Karimi

É considerado um dos mais importantes atletas mais importantes da história do Irã; seu primeiro jogo com a camisa da seleção foi em 1998 e no primeiro ano ganhou com a equipe a medalha de ouro nos Jogos Asiáticos de 1998 e depois jogou na apagada participação na Copa do mesmo ano.

A seleção lhe rendeu também visibilidade para o futebol mundial, no amistoso contra a Alemanha em 2004, os dirigentes do Bayern se interessaram e posteriormente o contrataram. Já no clube alemão, Karimi foi um dos destaques do elenco que levou os Melli ao mundial de 2006.

Em 2008, resolveu se aposentar, porém no ano seguinte voltou aos gramados para disputar as eliminatórias para a copa de 2010, mas não se classificaram. Karimi, estava entre os jogadores que usavam uma pulseira que era uma forma de protesto contra as eleições presidenciais daquele ano, gerando uma grande polêmica fora dos campos.

O atleta ainda jogou até 2014, onde esperava mais uma convocação, o que não aconteceu, mas ele veio para o Brasil como assistente de Carlos Queiroz, atual comandante do Irã. Foram 127 jogos e 38 gols; é o terceiro maior artilheiro da seleção.

 

Ali Karimi em partida pela Seleção Iraniana nas Eliminatórias da Copa do Mundo de 2010 (Reprodução/Flickr)

1 –  Ali Daei

Embora Karimi seja tecnicamente melhor, Daei teve um desempenho superior a todos os outros atletas. É o maior artilheiro da Seleção com 109 gols marcados em 149 jogos (somando os jogos em mundiais e Copa da Ásia).

Iniciou sua participação no elenco dos melhores do país em 1993. Nesse período foi para a Europa jogar em um dos maiores clubes do mundo: Bayern de Munique em 1998. Ele foi o primeiro jogador asiático a jogar a Champions League.

O artilheiro ainda aparece em 21º lugar na lista de jogadores que mais disputaram partidas pelas suas seleções. Após aposentar-se, virou técnico e empresário, chegou até a ser convidado para dirigir o Irã em 2008, mas recusou deixar o trabalho que estava fazendo na equipe Saipa FC.

Ali Daei atuando pela Seleção Iraniana da qual é o maior artilheiro da história (Reprodução/Scoopnest)
Luciano da Silva

Sobre Luciano da Silva

Luciano da Silva já escreveu 45 posts nesse site..

Luciano Santos da Silva, 20 anos, apaixonado por rádio, esportes (em especial o futebol) sou estudante de jornalismo.

BetWarrior


Poliesportiva


Luciano da Silva
Luciano da Silva
Luciano Santos da Silva, 20 anos, apaixonado por rádio, esportes (em especial o futebol) sou estudante de jornalismo.

    Artigos Relacionados

    Topo