Passaporte Rússia - Análise dos convocados: Costa Rica

O Passaporte Rússia é mais uma coluna do Futebol na Veia que apresentará curiosidades de todas as seleções participantes da Copa do Mundo deste ano. Este é o sexto de sete textos sobre a Seleção da Costa Rica. Confira detalhes sobre os 23 jogadores convocados para defender a seleção tricolor.

Mesclando jogadores que atuam no país com outros dos mais diversos locais do mundo, o comandante costarriquenho, Óscar Ramírez, vem para o mundial da Rússia 2018 com a missão de repetir o feito no Brasil, quando parou na Holanda na decisão por pênaltis. Vejamos os jogadores que receberam a responsabilidade dentro das quatro linhas.

Goleiros

Keylor Navas (Real Madrid-ESP): com 31 anos, é natural de San Isidro de El General e foi revelado em 2005, aos 18 anos, pelo Deportivo Saprissa. Passou cinco anos no clube até ser contratado pelo Albacete, time da segunda divisão espanhola. Após dois anos no clube, foi emprestado ao Levante, recém-chegado à primeira divisão. Lá, Navas também passou duas temporadas, até ser contratado pelo gigante Real Madrid, em 2014 . Com o clube já conquistou diversos títulos, entre eles três Liga dos Campeões (2015-16, 2016-17, 2017-18) e três Mundiais de clubes (2014, 2016 e 2017).

Pela seleção, Navas defendeu a equipe sub-17 no Mundial da categoria em 2003 e sua estreia pela equipe principal ocorreu somente em 11 de outubro de 2008. Esteve também presente em duas edições da Copa Ouro da CONCACAF (2009 e 2011). Na Copa de 2014, Navas foi o destaque da melhor campanha feita pela seleção de seu país.

Patrick Pemberton (LD Alajuelense-CRC): aos 36 anos iniciou a carreira em 2003 na sua primeira passagem pelo clube, mas não chegou a atuar. Em 2004 foi para o Carmelita, onde defendeu o clube por 14 partidas até voltar ao Alajuelense, onde permanece até hoje. Em 2012, a UNAFUT o elegeu como o melhor goleiro do campeonato costarriquenho. Pela seleção costarriquenha, Patrick estreou aos 28 anos, em 2010. Disputou 21 partidas com a camisa da Costa Rica. Em 2013 esteve na Copa Ouro da CONCACAF e foi convocado para a Copa do Mundo do Brasil como primeiro goleiro reserva de Keylor Navas.

Leonel Moreira (CS Herediano-CRC): nascido em Heredia em 1990, o jovem goleiro de 28 anos é atual goleiro do time local de sua cidade, o Herediano. Conquistou a vaga para participar de sua primeira Copa do Mundo ganhando a confiança do técnico Óscar Ramirez. Fez sua estreia pela seleção em 2011 e disputou 7 jogos com a camisa Tica. Viaja para a sua primeira Copa do Mundo.

(Reprodução/Costa Rican Times)

Defensores

Jonny Acosta (Rionegro Águilas-COL): aos 34 anos, nascido em Quesada, foi recém contratado pelo Rionegro Águilas. O zagueiro iniciou sua carreira no clube costarriquenho Santos de Guápiles, onde atuou por seis anos. Passou também pelo Alajuelense, foi emprestado para o clube Dourados do futebol mexicano, até ir para o Herediano, onde estava até o início da temporada de 2018. Pela seleção tem 22 jogos pela Seleção Costarriquenha e provavelmente essa seja sua última Copa do Mundo. Jogador de confiança de Óscar, Acosta já marcou dois gols pela seleção e é conhecido por sua intensidade e força.

Giancarlo González (Bologna FC-ITA): aos 30 anos, natural de San José, Giancarlo Gonzáles Castro iniciou sua carreira no Alajuelense em 2009, onde permaneceu até 2012 e marcou 91 gols. Desde que deixou seu país, o zagueiro já jogou na Noruega e nos Estados Unidos, mas está no Campeonato Italiano desde 2014, primeiro com o Palermo agora com o Bologna. Líder da linha defensiva de lado, Pipo, como é carinhosamente chamado pela torcida, jogadores e familiares, iniciou sua trajetória na seleção pela equipe no sub 20 em 2007 e estreou na principal em 2010.

Ian Smith (IFK Norrkoping-SUE): é o jovem talento da equipe costarriquenha. Aos 20 anos, Ian nasceu em Guápiles, Limón, em 1998. Já jogando no futebol internacional, o jovem que iniciou sua carreira no clube local de sua cidade natal em 2014, agora joga no futebol sueco. Iniciou sua trajetória na seleção na equipe sub 17 em 2015, passou pela equipe sub 20 e chega agora em sua primeira Copa do Mundo como uma das apostas do técnico Óscar Ramirez.

Ian Smith, à direita na foto (Reprodução/Zimbio.com)

Óscar Duarte (RCD Espanyol-ESP): Óscar Esaú Duarte Gaitán nasceu em Masaya, na Nicarágua e é naturalizado costarriquenho. Aos 29 anos, iniciou sua carreira na Costa Rica no Saprissa, em 2008, permanecendo lá até 2013, marcando 53 gols pelo clube. Atualmente joga no Espanyol, clube de Barcelona, na Espanha. Ficou conhecido na seleção após marcar um gol de cabeça na vitória da Costa Rica contra o Uruguai na Copa de 2014, no Brasil. Sua primeira aparição com a camisa dos Ticos foi em 2010.

Bryan Oviedo (Sunderland-ING): nascido na Ciudad Quesada em 18 de Fevereiro de 1990, Bryan é lateral-esquerdo e começou sua carreira no Saprissa em 2009. Atualmente joga no Sunderland da Inglaterra e apesar do time ter sido rebaixado, Oviedo é uma grande esperança da equipe costarriquenha para a Copa. Iniciou sua carreira na Europa com o Copenhague na Dinamarca onde passou 2 anos até ir para o Everton na Inglaterra. Jogador com boa qualidade no passe, Bryan começou sua trajetória na seleção em 2010 no jogo contra a Argentina, mas já havia passado pela seleção sub-20, na Copa do Egito em 2009. Na Copa do Mundo do Brasil, Bryan havia sofrido uma fratura na tíbia e ficou de fora.

Francisco Calvo (Minesota United-ING): aos 25 anos, Calvo iniciou sua carreira em 2005 nas categorias de base do Saprissa, até fazer sua estreia no profissional do tradicional Herediano onde teve duas passagens em 2011 e 2013, permanecendo até 2015, quando passou pelo Santos de Guápiles emprestado e depois pelo profissional do Saprissa, clube que o revelou. Atualmente joga no clube estadunidense Minnesota United. Com 36 jogos pela seleção, iniciou sua trajetória no sub 20 em 2011. Conhecido como defensor de fogo, Calvo é versátil e pode ser utilizado pelos Ticos tanto pela esquerda como pelo centro.

Cristian Gamboa (Celtic-ESC): o veloz e habilidoso Cristian Esteban Gamboa Luna, nasceu na Libéria, Costa Rica no dia 24 de Outubro de 1989. Em 2006, iniciou sua carreira no clube da sua cidade natal, o Municipal Libéria, onde ficou cerca de quatro anos até ir para o clube norueguês Fredrikstad onde jogou duas temporadas até ingressar no clube dinamarquês Copenhague. Foi emprestado ao Rosenborg em 2012 e contratado em 2013. Em 2014 foi jogar no clube no West Bromwich Albion, até ser contratado pelo Celtic, onde está atualmente. Participou da equipe sub-20 da Costa Rica na Copa do Mundo do Egito em 2009. Sua estreia na equipe principal foi em um Amistoso contra a Argentina em 2010. Participou da Copa do Mundo no Brasil em 2014, jogando 5 jogos até perder nas quartas de final para a Holanda.

Rónald Matarrita (New York City-EUA): nascido em Alajuela em 9 de julho de 1994, o jovem jogador é conhecido por sua versatilidade, mas preocupa por mesmo tão jovem e sofrer muitas lesões. Iniciou sua carreira no time local de sua cidade, o Alajuelense, onde ficou de 2012 a 2016 até ser vendido para o New York City onde joga atualmente. Começou na equipe sub-17 da Costa Rica em 2010, passou pela sub-20 em 2012, pela sub-22 em 2015 e chega a sua primeira Copa do Mundo.

Apesar de sofrer muito com lesões, é uma aposta do técnico Óscar (Reprodução/Zimbio.com)

Kendall Waston (Vancouver Whitecaps-CAN): aos 30 anos, nascido em San José, Kendall tem impressionantes 1,96m de altura. Revelado pelo Saprissa, onde se desenvolveu nas categorias de base, passou por clubes como o Carmelita, Nacional do Uruguai e pelo Bayamón por empréstimo. Até voltar para a Costa Rica e jogar no UCR, clube da universidade da Costa Rica e pelo Pérez Zeledón até ser contratado pelo Vancouver, onde joga desde 2014. Começou na equipe sub-20 em 2007 e passou pela sub-23 em 2008, chegando na seleção principal em 2013. Waston não foi convocado para a Copa de 2014, mas já é promessa para a Copa da Rússia, desde as eliminatórias, onde marcou o gol contra Honduras. Seu forte temperamento será o maior desafio do técnico Ramirez.

Meio-campistas

Celso Borges (Deportivo La Coruña-ESP): dono de um chute potente, Celso é filho do ídolo costarriquenho Alexandre Guimarães, que jogou a primeira Copa da história da Costa Rica em 1990 e foi técnico em 2002 e 2006. Nascido em San José em maio de 1988, Borges iniciou sua carreira no Saprissa em 2009. Pelo Fredrikstad FK da Noruega passou dois anos até ir para o ALK, clube de futebol sueco. Em 2015 foi emprestado pelo La Coruña, onde foi contratado na sequência e permanece até hoje. Atuou nas seleções sub-17 e sub-20 até sua estreia pela equipe principal em junho de 2008 contra Granada, pelas eliminatórias para a Copa de 2010, onde a Costa Rica não conseguiu se classificar.

Christian Bolaños (Deportivo Saprissa-CRC): a experiência da equipe costarriquenha tem nome e sobrenome: Christian Bolaños. Iniciou sua carreira na categoria de base do Saprissa. Tem três passagens pelo clube, entre 2001 e 2007; em 2015 e agora em 2018. Nesse meio tempo, passou pelo Odense e pelo Copenhague da Dinamarca, pelo Start da Noruega e pelo Cartaginés da Costa Rica. Além disso jogou no Al Gharafa e pelo Vancouver Whitecaps FC. Integra a seleção desde 2005, disputou sua primeira Copa do Mundo na Alemanha, em 2006. Foi também titular da Copa de 2014 no Brasil, na melhor campanha da Costa Rica em Copa.

O meio campista é a experiência do clube costarriquenho (Reprodução/Goal.com)

Daniel Colindres (Deportivo Saprissa-CRC): nascido em Alajuela em 10 de janeiro de 1985, Daniel tem 33 anos e tem ótima precisão nos chutes de médio-longa distância. Foi formado pelo Saprissa e fez sua estreia no profissional em 2010. Após três partidas foi emprestado para o Guápiles e para o Puntarenas, até voltar para o Saprissa. Estreou pela seleção principal em setembro de 2011 em um amistoso em um amistoso contra os Estados Unidos e vai a Rússia disputar sua primeira Copa do Mundo.

Bryan Ruiz (Sporting-POR): bom cabeceador. Esse é Bryan Jafet Ruiz González, que nasceu em San José da Costa Rica em 18 de agosto de 1985. Iniciou a carreira no Alajuelense em 2003. Permaneceu lá até 2006 quando foi vendido para o Gent da Bélgica, onde também ficou por três anos. Passou pelo Twente e pelo PSV da Holanda e pelo Fulham da Inglaterra até chegar no Sporting da Espanha onde está até hoje. Estreou no amistoso contra a Nova Zelândia em 2007 e participou da Copa de 2014, onde ao lado de Campbell e Navas foi considerado um dos destaques do elenco costarriquenho.

Rodney Wallace (New York City-EUA): natural de San José, na Costa Rica, Rodney nunca jogou no seu país de origem, pois a família se mudou para os Estados Unidos quando ele era criança. Estreou no profissional em 2009, jogando pelo DC United. Além disso atuou no Arouca de Portugal, e logo depois no Sport Recife. Em 2017 foi contratado pelo New York City, onde atua até hoje. Estreou em 2011 pela seleção nacional em um amistoso contra os Estados Unidos e fará sua em Copas do Mundo, na Rússia. É meio-campo de origem, mas pode atuar como lateral-esquerdo e até como atacante no time da Costa Rica.

Rándall Azofeifa (Herediano-CRC): aos 33 anos, Rándall nasceu em San José e iniciou sua carreira na base do Saprissa, onde ficou de 1997 até 2006, estreando no principal em 2001. Além disso passou pelo belga Gent e pelo Gençlerbirligi e Kayseri Erciyesspor até fazer curta passagem pelo futebol uruguaio pelo CS Uruguay. Desde 2015 está no Herediano, clube local da Costa Rica. Fez sua estreia na seleção na Copa da Alemanha em 2006, onde a Costa Rica foi eliminada ainda na primeira fase. Não foi convocado para a Copa no Brasil, mas é de extrema confiança de Óscar

Yeltsin Tejeda (FC Lausanne-SUI): aos 26 anos nascido em Limón, Costa Rica, o jovem jogador começou sua carreira na base do Sprissa. Funciona muito bem como volante no meio campo. Passou 3 anos no Saprissa até ser contratado pelo Évian, clube do futebol Francês. Permaneceu lá até 2016 quando foi contratado pelo clube suíço FC Lausanne onde está até hoje. Estreou na seleção ainda no sub-17 em 2009, passou pelo sub-20 em 2011 e estreou no mesmo ano pela seleção principal. Jogou a Copa do Mundo no Brasil em 2014, e vai para a Rússia como uma das promessas entre os jovens.

David Guzmán (Portland Timbers-EUA): nascido em San José, em 18 de fevereiro de 1990, o volante foi formado na base do Saprissa onde ficou de 2009 até 2016, quando foi contratado pelo Portland Timbers, seu atual clube. Defendeu o país pela Copa do Mundo sub-17 em 2007 e a Copa do Mundo sub-20 em 2009. Estreou na seleção principal em 2010 no amistoso contra o Peru. Não foi convocado para a Copa do Mundo do Brasil em 2014 e vai para sua primeira Copa em 2018 na Rússia.

Atacantes

Johan Venegas (Deportivo Saprissa-CRC): natural de Puerto Limón, o atacante tem 29 anos começou sua carreira no Santos de Guápiles em 2009, onde permaneceu até 2012, mas teve breve passagem no Barrio do México, por empréstimo. Entre 2012 e 2015, jogou no no Montreal Impact e no Minnesota United. Em 2017, voltou a jogar em casa pelo Saprissa, mas ainda pertence ao Minnesota. Estreou na seleção em 2014, mas não jogou na Copa do Mundo no Brasil. Nas eliminatórias para a Copa da Rússia se destacou e é jogador de confiança ao técnico Óscar Ramirez. Na temporada, fez 27 jogos e marcou cinco gols.

Joel Campbell (Real Bétis-ESP): Campbell iniciou sua carreira no Alajuelense em 2002, mas foi para a base do Saprissa em 2004 onde ficou até estrear no time principal em 2009, permanecendo até 2001. Foi emprestado para o Puntarenas, até ser contratado pelo Arsenal, clube a qual pertence. Já foi emprestado para diversos clubes, como o Betis, pelo qual atua. Jogou pela seleção sub-17 em 2008 e 2009 e pela seleção sub-20 em 2010 e 2011, até estrear no principal em 2011. Em sua primeira atuação marcou gol na Copa Ouro da Copa CONCACAF de 2011 em jogo contra Cuba. Jogou e foi destaque da Copa do Brasil em 2014, marcando um gol no torneio, contra o Uruguai.

Campbell foi destaque em 2014 e uma das esperanças de gol costarriquenho na Copa.(Divulgação/Delegação Costarriquenha de Futebol)

Marco Ureña (Los Angeles FC-EUA): aos 28 anos, o atacante Marco Daniel Ureña Porras, iniciou sua carreira no Alajuelense em 200. Jogou também na Rússia e Dinamarca antes de ser contratado pelo San José Earthquakes em 2007 e pelo Los Angeles FC, onde atualmente joga. Estreou na seleção em 2009, participou das eliminatórias que tirou a Costa Rica da Copa de 2010 e jogou a Copa do Mundo no Brasil. Marcou gol contra o Uruguai, quando Los Ticos passaram para as quartas de final.

Avatar
Joyce Marcolino
Da pelada na rua aos clássicos dos clássicos, dos melhores jogadores aos nunca revelados, o futebol me cativou desde cedo. Hoje, a mulher de 20 anos que estuda jornalismo continua se apaixonando pelo esporte e tirando dele uma sensibilidade que poucos sabem que existe. Falar de futebol para mim, é falar da minha essência e da minha paixão e apesar de ser aquela são paulina super protetora, o estádio e um bom jogo sempre será um programa que me cativa. É como diz Bill Shankly "O futebol não é uma questão de vida ou de morte. É muito mais importante que isso..."

Artigos Relacionados