Passaporte Rússia – Análise dos convocados: Bélgica

Passaporte Rússia é mais uma coluna do Futebol na Veia que apresenta curiosidades de todas as seleções participantes da Copa do Mundo deste ano. Este é o sexto de sete textos sobre a Seleção da Bélgica. Neste capítulo você vai conhecer mais detalhes sobre cada jogador convocado pelo técnico Roberto Martinez para enfim mostrar ao mundo a potência da grande geração belga.

O treinador anunciou os 23 jogadores da seleção belga que irão para a Copa do Mundo. Porém, o zagueiro Vincent Kompany se lesionou durante o jogo contra Portugal, foi convocado, mas será monitorado e terá a sua participação no Mundial decidida apenas na próxima semana. Por isso, o treinador deixou o Laurent Ciman de sobreaviso, como 24º jogador. Qualquer problema com Kompany fará com que Ciman seja inscrito na Copa.

Da lista de 27 nomes anunciada anteriormente, Jordan Lukaku (Lazio-ITA), Christian Kabasele (Warford-ING), Christian Benteke (Crystal Palace-ING) e Matz Sels (Newcastle-ING) foram cortados.

GOLEIROS

Koen Casteels (Wolfsbourg-ALE): como todos os goleiros dessa geração, possui bons reflexos e também uma concentração elevada na hora dos jogos. Casteels começou a carreira no Genk, depois assinou contrato com o VfL Wolfsburg, em janeiro de 2015, mas passou os primeiros seis meses do contrato de três anos e meio emprestado ao Werder Bremen. Quando Diego Benaglio deixou o Wolfsburg em junho de 2017, Casteels assinou um novo contrato de três anos com o clube e recebeu a camisa número 1. Apareceu em todos os 34 jogos da Bundesliga do clube durante a temporada 2017-18. Foi convocado pela primeira vez para a equipe da Bélgica em 2013. Faria parte do elenco da Copa do Mundode 2014, mas não conseguiu se recuperar de uma lesão e foi substituído por Silvio Proto e Sammy Bossut, mas agora, finalmente, terá sua chance. Será reserva.

Thibaut Courtois (Chelsea-ING): agilidade e reflexo como poucos de sua altura, ainda tem um posicionamento diferenciado. Mas peca na saída de bola com os pés como alguns goleiros atuais. Courtois começou a carreira Genk, aos 18 anos. Desempenhou um papel fundamental na vitória da equipe na Liga Belga. Em julho de 2011, se juntou ao Chelsea por um valor de £ 8 milhões, e foi imediatamente emprestado ao Atlético Madrid. Em três temporadas, venceu a Liga Europa, em 2012, a Copa del Rey, em 2013 e o título da La Liga, em 2014.

Também ganhou o Troféu Ricardo Zamora como melhor goleiro na La Liga por suas atuações em suas duas últimas temporadas. Courtois retornou ao Chelsea em julho de 2014 e, em sua primeira temporada, ajudou a conquistar a Copa da Liga e o título da Premier League. Fez sua estréia internacional em outubro de 2011, tornando-se o mais jovem goleiro a representar a Bélgica. Desde então, conquistou mais de 50 partidas e participou da Copa do Mundo da FIFA 2014 e da UEFA Euro 2016.

Simon Mignolet (Liverpool-ING): como pontos fortes em seu jogo, um ótimo posicionamento, um grande reflexo, agilidade e ainda é considerado um pegador de pênaltis. Porém, tem como ponto fraco a saída de bola com os pés. Iniciou a sua carreira no Sint-Truiden, da segunda divisão belga, em 2004, e passou seis anos no clube, fazendo 100 jogos no campeonato e marcando um gol, de pênalti. Se transferiu para o Sunderland, em junho de 2010, por 3 milhões de libras, passando três anos com eles e fazendo 101 aparições em todas as competições antes de se mudar para Liverpool, em junho de 2013, por 9 milhões de libras. O atleta representou a seleção da Bélgica em todos os níveis, com menos de 16 anos. Fez sua estréia profissional em 2011. Também foi nomeado para a seleção de 23 jogadores da Bélgica para a Copa do Mundo de 2014.

Thibaut Courtois é o nome para parar os ataques adversários durante a disputa do Mundial da Rússia de 2018 (Reprodução/Internet)

Defensores

Toby Alderweireld (Tottenham-ING): tem características fortes como o cabeceio, o desarme, força física e um ótimo marcador. Porém, não tem uma velocidade que o ajude a jogar. Começou sua carreira profissional no clube holandês Ajax, onde ganhou honras, incluindo três títulos consecutivos da Eredivisie. Em 2013, mudou-se para o Atlético de Madrid, onde venceu a La Liga e chegou à final da UEFA Champions League na sua primeira temporada. Se juntou ao Tottenham Hotspur com taxa de transferência foi estimada em 11,5 milhões de libras. No Spurs, se reuniu com os ex-companheiros do Ajax Christian Eriksen e Jan Vertonghen. Fez sua estréia sênior pela Bélgica em uma partida contra a República Checa. Foi nomeado para a Copa do Mundo de 2010, mas não foi utilizado.

Dedryck Boyata (Celtic-ESC): como o companheiro acima, é de uma força física invejável, uma boa bola aérea nos dois lados do campo e uma marcação muito forte. Como negativo em seu jogo, peca na técnica muito. Começou sua carreira na equipe juvenil do Manchester City, em 2006. Fez sua estréia na equipe principal em 2010, e foi o jovem jogador do ano 2009-10. Para a temporada 2011-12, foi emprestado ao Bolton Wanderers e, no primeiro semestre de 2012-13, estava no FC Twente. Em 2015, se mudou para o Celtic por cerca de 1,5 milhão de libras. Boyata fez sua estreia pela Bélgica em 2010.

Vincent Kompany (Manchester City-ING): força física que poucos têm e exímio marcador. Como negativo em seu jogo, não tem aquela técnica que muitos tem e também lesiona-se com frequência. Começou sua carreira profissional no Anderlecht, passando três anos no clube belga antes de se mudar para o Hamburgo em 2006. No verão de 2008, aos 22 anos, completou uma transferência para seu atual clube, o Manchester City. Desde então, se estabeleceu como parte integrante do time do City e é uma das aquisições de barganhas da revolucionada era City, se transformando em um dos melhores zagueiros da Premier League.

Foi incluído na Equipe do Ano da Premier League por dois anos consecutivos, em 2011 e 2012, além de ter sido incluído na equipe de 2014 e venceu o Melhor Jogador da Temporada da Premier League em 2012. Considerado um dos melhores defensores no mundo, Kompany fez sua estréia internacional com apenas 17 anos para a Bélgica em fevereiro de 2004, contra a França, como um dos mais jovens jogadores de sempre. Esteve na Copa do Mundo de 2014.

Thomas Meunier (PSG-FRA): dono de uma bela técnica de passes e gosta de jogar com bastante passes curtos. Meunier começou a jogar pelo Standard Liège. Deixou o Standard Liège em 2006 para se juntar ao Virton. Foi contratado pelo Club Brugge, em 2011. Em julho de 2016, o Paris Saint-Germain anunciou que Meunier havia acabado de se juntar a equipe francesa. Fez sua estréia pela seleção belga em 2013, na preparação para a Copa do Mundo de 2014 no Brasil.

Thomas Vermaelen (Barcelona-ESP): liderança muito forte é um ponto positivo em seu jogo, mas, como a maioria dos zagueiros deste time, tem pouca velocidade. Ingressou na academia de juniores do Ajax em 2000 e venceu o título da Eredivisie de 2003-04 em sua primeira temporada no clube. Após a saída de Klaas-Jan Huntelaar, em 2009, atuou como capitão do time pelo restante da temporada. Se juntou ao Arsenal em 2009 e foi incluído na Equipe do Ano da Premier League para aquela temporada. Após a transferência de Robin van Persie para o Manchester United, em agosto de 2012, foi nomeado capitão do time. Em agosto de 2014, completou uma transferência de £ 15 milhões para o Barcelona. Vermaelen fez sua estreia internacional pela Bélgica em 2006. Os representou nas Olimpíadas de 2008, onde ficou em quarto lugar. Esteve na Copa do Mundo de 2014 e na Euro 2016.

Jan Vertonghen (Tottenham-ING): ótimo marcador com belos desarmes, tem também uma boa técnica de cabeceio. A velocidade também não é seu forte. Começou a sua carreira no clube holandês Ajax, em 2006. Em 2012 foi nomeado o melhor jogador holandês. Se transferiu para o Tottenham em julho de 2012 e fez a equipe da PFA do ano em sua primeira temporada na Premier League, fazendo mais de 200 partidas pelos Spurs. Estreou-se internacionalmente pela Bélgica em 2007. Fez parte das equipes belgas que chegaram em quarto lugar nas Olimpíadas de 2008 e chegaram às quartas de final da Copa do Mundo de 2014 e da Euro 2016.

O xerife da zaga belga, é o atleta do Manchester City Kompany (Reprodução/Internet)

Meio-campistas

Yannick Carrasco (Dalian Yfang-CHN): um jogador com muita velocidade, aceleração e agilidade com bastantes dribles. O individualismo é seu mal. Se juntou ao Monaco vindo do clube belga Genk, em 2010. Estrou profissionalmente em 30 de julho de 2012. Em 10 de julho de 2015, o Atlético Madrid anunciou a contratação do belga por € 20 milhões. Em 26 de fevereiro de 2018, juntamente com o companheiro de equipe Nicolás Gaitán, mudou-se para o Dalian Yifang, da China, onde o time é lanterna do campeonato. Fez sua estréia internacional sênior em 28 de março de 2015, em partida contra o Chipre na classificação para a Euro 2016.

Nacer Chadli (West Bromwich Albion-ING): destaca-se pelos passes para gols e velocidade. Não é bom marcando e é, às vezes, displicente. Após uma passagem pela segunda divisão holandesa pelo AGOVV Apeldoorn, foi contratado pelo FC Twente em 2010. Em 21 de julho de 2013, o Tottenham fechou acordo com o Twente para contratá-lo por uma taxa de transferência de £ 7 milhões. Em 29 de agosto de 2016, o West Bromwich Albion o comprou por uma transferência recorde de 13 milhões de libras.

Possui dupla cidadania, da Bélgica e do Marrocos. Estreou pelo time do Marrocos em 17 de novembro de 2010, em um empate amistoso de 1 x 1 contra a Irlanda do Norte. Em 28 de janeiro de 2011, no entanto, anunciou sua intenção de representar a Bélgica a nível internacional, o que foi permitido porque ainda não tinha jogado em uma partida oficial com o Marrocos. Fez sua estréia pela equipe belga para um amistoso de 9 de fevereiro, contra a Finlândia e foi nomeado na seleção da Bélgica para a Copa do Mundo de 2014.

Kevin De Bruyne (Manchester City-ING): dono de uma técnica invejável, uma ótima finalização e uma bela cobrança de faltas, não tem o jeito algum para marcação. Joga principalmente como um meio campista central, mas também consegue jogar pelas pontas. É um dos melhores criadores de jogadas, por causa da sua técnica. Ficou entre os três melhores jogadores da Premier League 2018, perdendo para o egípcio Mohamed Salah. Fez parte do Dream Team da temporada inglesa.

Começou sua carreira no Genk, onde era um jogador regular quando venceu a Liga Pro da Bélgica 2010-2011. Em 2012, se juntou ao clube inglês Chelsea, onde não foi bem utilizado e emprestado ao Werder Bremen. Assinou com o Wolfsburg por £ 18 milhões, em 2014. Em 2015, foi nomeado futebolista do ano na Alemanha. Mais tarde, ainda naquele ano, se juntou ao Manchester City por um recorde de 54 milhões de libras. Debutou internacionalmente em 2010 e fez parte da campanha belga na última Copa e Euro.

Mousa Dembélé (Tottenham-ING): tem uma bela contribuição defensiva, belas entradas para recuperar a bola. Joga principalmente como meio-campista central, fazendo também as vezes de meia-atacante. Tem boa estatura e é tecnicamente talentoso, com bons drible, passes e sabe a hora certa de acelerar e cadenciar o jogo. Começou a carreira no Germinal Beerschot, da Bélgica, antes de atuar nos times da Eredivisie, Willem II e AZ, na Holanda. Se transferiu para o Fulham em 2010, antes de se juntar ao atual clube Tottenham por uma taxa de £ 15 milhões, em agosto de 2012. Ficou em 91º lugar na lista do The Guardian dos 100 melhores jogadores de futebol em 2012. Fez sua primeira aparição internacional em 20 de maio de 2006. Participou nos Jogos Olímpicos de 2008 e da Copa do Mundo de 2014.

Youri Tielemans (Monaco-FRA): tem uma potência do chute elevada, com pela técnica para passes curtos e longos. Possui uma deficiência no uso da perna “fraca”, esquerda. É um jovem das categorias de base do Anderlecht e assinou seu primeiro contrato profissional com o clube aos 16 anos de idade. Em julho de 2013, foi incluído na equipe principal por um preço de 25 milhões de euros. Em junho de 2015, foi convocado para a seleção principal da Bélgica para as eliminatórias da Eurocopa 2016.

Axel Witsel (Tianjin Quanjian-CHN): muito bom em duelos aéreos e dono de um belo passe, é o responsável pela transição defesa-ataque dessa famosa “geração belga”. Começou sua carreira no Standard Liège, vencendo cinco troféus nacionais. Depois de uma temporada em Portugal, com Benfica, assinou com o Zenit São Petersburgo por uma taxa de € 40 milhões, em 2012. Depois foi para o Tianjin Quanjian, em janeiro de 2017. Estreou internacionalmente na equipe principal em 2008 e representou o país na Copa do Mundo de 2014 e na UEFA Euro 2016.

Leander Dendoncker (Anderlecht-BEL): atleta com maior capacidade defensiva na contenção, é um jogador capaz de executar desarmes e uma melhor cobertura nas laterais, além do bom passe.

Marouane Fellaini (Manchester United-ING): poder de desarme, belo cabeceio (ajudado pela altura) e uma boa finalização são as virtudes do cabeludo. Como ponto negativo, é lento. Jogou futebol juvenil do Anderlecht antes de ingressar no Standard Liège. Depois de vencer a Primeira Divisão da Bélgica, se mudou para a Inglaterra para se juntar ao Everton. No time de Liverpool foi o jovem jogador da temporada em 2008-2009, quando perderam a final FA Cup. Depois de cinco anos no Everton, se transferiu para o Manchester United em um acordo no valor de £ 27,5 milhões, em setembro de 2013. Na Bélgica desde 2007, é presença constante em todas as convocações.

Kevin De Bruyne é aquele que divide a responsabilidade com Hazard de ser o protagonista da Geração Belga (Reprodução/ Internet)

Adnan Januzaj (Real Sociedad-ESP): um jovem de bela técnica, habilidoso, com dribles velozes e dono daquele passe final capaz de deixar atacantes na cara do gol. Como negativo, não é dono de uma boa força física. Começou a carreira no Anderlecht antes de ingressar no Manchester United em 2011, aos 16 anos. Januzaj entrou no time principal do Manchester United durante a temporada 2013-14. E teve empréstimos no Borussia Dortmund e no Sunderland, antes de ingressar na Real Sociedad em julho de 2017. Januzaj fez sua estréia internacional em 2014 e mais tarde, naquele ano, jogou pela Bélgica na Copa do Mundo.

Atacantes

Dries Mertens (Napoli-ITA): é dono de uma boa velocidade, aceleração e agilidade. Somando isso tudo com dribles, finalizações e cobranças de faltas. Mertens começou a carreira com o AGOVV Apeldoorn, em 2009. Utrecht comprou o jogador com uma taxa de transferência de € 600 mil. Em 2011, se transferiu para o PSV, da Eredivisie. Dois anos depois, em 2013, assinou um contrato com o Napoli, clube que permanece até hoje. Mertens fez sua estreia na seleção em 2010, na fase de classificação para a UEFA Euro 2012.

Thorgan Hazard (Borussia Mönchengladbach-ALE): rápido, técnico e com belos passes. Além de tudo, um bom jogador nas bolas paradas. Aos 14 anos foi descoberto pelo clube francês Lens, enquanto jogava pelo Tubize, em um torneio local. Semelhante à mudança de seu irmão para Lille, em abril de 2010, Hazard assinou seu primeiro contrato profissional. Em julho de 2012, o Chelsea comprou os direitos do Hazard junto aos Lens. Em 2014, foi emprestado ao Borussia Mönchengladbach e, em fevereiro do ano seguinte, assinou um contrato para ficar permanentemente no clube alemão. Em 2013, foi chamado pela primeira vez para representar a Bélgica. Foi um dos sete jogadores a ser cortado da lista da seleção para a Copa do Mundo de 2014. Esse ano, foi escolhido para fazer parte do grupo que vai para a Copa do Mundo de 2018, na Rússia.

Michy Batshuayi (Borussia Dortmund-ALE): um atacante oportunista, veloz, com boa força física e boa finalização com destaque para o cabeceio. Mas como alguns atacantes, falta técnica. Começou sua carreira profissional no Standard Liège em 2011. Então se transferiu para Marselha por 4,5 milhões de libras, ajudando-os a chegar à final de 2016 da Coupe de France. Em julho de 2016, foi contratado pelo Chelsea por 33 milhões de libras e marcou o gol que conquistou o título da Premier League em sua temporada de estréia. Marcou em sua estréia internacional pela Bélgica, contra o Chipre, em março de 2015. Fazia parte de sua equipe que chegou às quartas de final do UEFA Euro 2016.

Romelu Lukaku (Manchester United-ING): um baita pivô, com características marcantes com sua força física e ótima finalização destacando as bolas aéreas. Como um ponto negativo, não é veloz e não utiliza bem sua perna “fraca”, a perna direita. Começou sua carreira com o time local Rupel Boom, antes de se juntar ao Lierse. Onde conseguiu uma transferência para o Anderlecht da Pro League Belga em 2006. Fez sua estréia profissional ainda na escola aos 16 anos, e se tornou o artilheiro de 2009-10, na Bélgica. Na janela de transferências de 2011, entrou para o Chelsea. Não apareceu regularmente em sua primeira temporada lá, e passou as duas temporadas seguintes emprestadas ao West Bromwich Albion e Everton, respectivamente, assinando permanentemente para o último clube por um recorde de £ 28 milhões em 2014. Três anos depois, assinou pelo Manchester United. Fez sua estréia pela Bélgica em 2010 e é o seu melhor goleador de todos os tempos, com 34 gols marcados. Também representou o país na Copa do Mundo de 2014 e na Euro 2016.

Eden Hazard (Chelsea-ING): destaque da geração, é veloz, ágil, driblador, muita técnica e, além do passe final para deixar atacantes na cara do gol, finalização de forma certeira. Como um ponto fraco, tem um individualismo em seus times. Começou sua carreira no futebol na Bélgica, jogando pelos clubes locais Royal Stade Brainois e Tubize. Em 2005, se mudou para a França se juntando ao primeiro clube da divisão Lille. Hazard passou dois anos na academia do clube e, aos 16 anos, fez sua estreia profissional em novembro de 2007.

Em sua primeira temporada completa como titular. Ganhou o prêmio de melhor jogador do ano da União Nacional de Profissionais de Futebol (UNFP). Tornando-se o primeiro jogador não francês a ganhar o prêmio. Na temporada seguinte conquistou o prêmio novamente, tornando o primeiro jogador a ganhar duas vezes. Na temporada 2010-2011, fez parte da equipe do Lille que venceu o campeonato e copa. Foi eleito o Jogador do Ano da UNFP da Ligue 1. Tornando-se o jogador mais jovem a ganhar o prêmio.

Em junho de 2012, depois de passar oito anos no Lille, Hazard contratou o clube inglês Chelsea. Onde venceu a UEFA Europa League em sua primeira temporada. E o Jovem Jogador do Ano da PFA em sua segunda temporada. Na temporada 2014-2015, ajudou o Chelsea a vencer a Copa da Liga e a Premier League. O que lhe valeu o prêmio de melhor jogador do ano. Dois anos depois, conquistou seu segundo título inglês, com o Chelsea garantindo o primeiro lugar na temporada 2016–17.

Hazard fez sua estréia internacional sênior em novembro de 2008, aos 17 anos. E foi membro da seleção belga, que alcançou as quartas-de-final da Copa do Mundo de 2014. E da UEFA Euro 2016.

Eden Hazard é o destaque no ataque da Seleção da Bélgica (Reprodução/Internet)

Lista de espera

Laurent Ciman (Los Angeles Galaxy/EUA) – Um jogador bastante concentrado e bom desarmador.

Ciman começou sua carreira no sistema juvenil de Charleroi e fez sua primeira equipe em 2004. Sua jogada com o Charleroi atraiu o interesse dos principais clubes belgas. A Ciman foi transferida de Charleroi para o Club Brugge em junho de 2008. Em junho de 2010, se juntou ao Standard Liège. Assinou um contrato com o Montreal Impact, clube da Major League Soccer, em janeiro de 2015. Em sua primeira temporada com a equipe, foi nomeado Defensor MLS do Ano. Em julho de 2016, foi incluído na lista do jogo All-Star da MLS de 2016. Em dezembro de 2017, o atleta foi para o time de LA, o Los Angeles FC.

Ciman foi um membro da equipe belga que ficou em quarto lugar nas Olimpíadas de 2008. Em 2014, foi chamado pela seleção da Bélgica para a Copa do Mundo daquele ano. Foi chamado também para a UEFA EURO 2016.

Os jogadores da Bélgica para a Copa do Mundo de 2018 na Rússia (Reprodução/@BelRedDevils)
Matheus Carvalho
Sou Matheus Carvalho, carioca, tenho 20 anos e curso Jornalismo. O esporte sempre esteve na minha vida e provavelmente sempre estará. E como todo brasileiro sou apaixonado por futebol

Artigos Relacionados