Mastrángelo comemorando um gol do boca juniors

No dia 1º de agosto de 2020, o Boca Juniors comemora 42 anos da conquista do seu primeiro Campeonato Mundial Interclubes (atual Mundial de Clubes). Assim, o clube derrotou o Borussia Monchengladbach na decisão em dois jogos e venceu o vice-campeão da Taça de Clubes Campeões Europeus, já que o Liverpool desistiu de jogar a final da Copa Intercontinental. Deste modo, a coluna Catimbando conta a história desse título e a façanha do time argentino de conquistar o caneco no país do adversário.

JOGO DE IDA – BOCA JUNIORS  X  BORUSSIA MONCHENGLADBACH

A decisão aconteceu em dois jogos, primeiro na Argentina e o segundo na Alemanha. Contudo, os Xeneizes foram campeões da Libertadores de 1977 e o Gladbach foi vice da Taça Europeia em 1976-1977. No entanto, o vencedor foi o Liverpool, mas o clube não quis disputar o torneio e os duelos acabaram acontecendo em 1978. Um conflito de datas e o temor da equipe inglesa em expor seus jogadores a eventuais protestos pelas Malvinas em uma recém-instaurada ditadura militar minou a realização.

No dia 21 de março de 1978, na La Bombonera, a partida de ida terminou em 2 x 2 onde os visitantes vinham vencendo de virada antes dos 30 minutos do 1º tempo, mesmo sem contar com Simonsen. Assim, Mastrángelo abriu o placar aos 16, Wilfried Hannes e Rainer Bonhof (na seleção alemã na Copa de 1978) fizeram aos 24′ e 29′. No entanto, o empate veio aos 6′, da segunda etapa com outro reforço do técnico Lorenzo, Jorge Ribolzi.

Boca Juniors x Borussia - Final 1º jogo
Boca Juniors x Borussia Monchengladbach – final 1º jogo

JOGO DE VOLTA –  BORUSSIA MONCHENGLADBACH X BOCA JUNIORS

O jogo de volta ocorreu só quatro meses depois, nesse tempo, a Argentina foi campeã da Copa do Mundo de 1978, sem nenhum jogador do Boca Juniors. Além disso, o técnico Xeneize pôs-se a estudar o time alemão e mandou um espião, para obter informações. Deste modo, o El Toto sabia que os europeus estariam em pré-temporada e a necessidade argentina de vencer, uma vez que empates em até 1 x 1 dariam o título aos alemães, fez Lorenzo escalar um time ofensivo mesmo jogando fora de casa.

https://twitter.com/BocaJrsOficial/status/1024633904823787521?s=20

Ninguém acreditou em nós. Enviei um assistente para espionar a pré-temporada do Borussia e isso me ajudou a tirar conclusões. Eu sabia que eles seriam difíceis e que eu tinha que colocar um time rápido em campo

-  Juan Carlos Lorenzo , depois de vencer a Copa.

Cartaz do segundo jogo, na Alemanha Foto: Wikipédia
Cartaz do segundo jogo, na Alemanha – Foto: Wikipédia

“Ilustrei o time como uma flecha, muito rápido. Foi por isso que coloquei Tesare e Bordón em vez de Sá e Mouzo”, disse o treinador.

Deste modo, o time mudou os dois zagueiros centrais e o trio de ataque, colocando três pontas (Saldaño, Felman e Mastrángelo). Assim, não jogou com um centroavante e Saldaño foi para o choque contra os defensores de 1,90m alemães. Dessa maneira, as mudanças surtiram efeito no estádio Wildparkstadion de Karlsruhe. Logo, aos 2 minutos, abriram o placar com Felman. Seguindo, Mastrángelo anotou o segundo aos 33′ e seis minutos depois, Salinas deu números finais.

BOCA JUNIORS 1976-1978

O clube nesse período faturou 5 títulos (Campeão Mundial Interclubes 1977, Bicampeão da Copa Libertadores 1977 e 1978, e Bicampeão Argentino). Assim, depois de brilhar na década de 50 e 60, o começo dos anos 70 prometiam muitas conquistas, mas que demorou a acontecer. Deste modo, iniciou com a conquista do Metropolitano e Nacional (nome dado ao Campeonato Argentino, o primeiro com equipes da capital e o segundo com times de todo o país). Todavia, na campanha do primeiro o clube emplacou oito vitorias em 11 jogos.

Equipe do Boca em 1976 – Foto: Imortais do Futebol

No Nacional, o time terminou empatado com o Quilmes no Grupo A, e venceu a partida desempate por 2 x 1. Logo depois, nas quartas derrotou o Banfield, por 2 x 1. Seguindo, nas semifinais derrotou o Huracán, por 1 x 0. No entanto, na final enfrentou seu rival River Plate, o jogo foi disputado e muito pegado. Contudo, no final o clube triunfou com um gol de falta de Suñé em uma bobeira dos Los Millonarios. 

Na Libertadores o caminho foi difícil, mas o clube teve uma defesa forte e um ataque econômico. Deste modo, foi passando até chegar a final, diante do Cruzeiro. O Boca venceu o primeiro jogo em casa, por 1 x 0, com gol de Veglio no início do jogo. Na volta, no Mineirão, a Raposa impôs a primeira e única derrota do time argentino na competição: 1 x 0, gol de Nelinho. Seguindo, a partida decisiva foi em Montevidéu, acabou empatada e nos pênaltis os xeneizes levaram o torneio.

Time-Base: Hugo Gatti, Vicente Pernía, Miguel Ángel Bordón, José Luis Tesare, Roberto Mouzo, Sá, Alberto Tarantini, Jorge Benítez (Jorge Ribolzi) (Daniel Pavón), Rubén Suñé, Mario Zanabria, Ernesto Mastrángelo, Carlos Veglio, Darío Felman e Salinas. T: Juan Carlos Lorenzo.

BORUSSIA MONCHENGLADBACH 1970-1979

A década de 70 foi dourada para o clube e também para o futebol alemão. Deste modo, conquistou o Bicampeonato da Copa da UEFA (1974-1975 e 1978-1979), Pentacampeonato Alemão (1969-1970, 1970-1971, 1974-1975, 1975-1976 e 1976-1977), Copa da Alemanha (1972-1973), Supercopa da Alemanha (1977) e Vice-campeão da Liga dos Campeões da UEFA (1976-1977).

O clube contava com jovens talentos como Vogts, Wittkamp, Stielike, Bonhof, Netzer, Simonsen e Heynckes. Assim, sob o comando do técnico Hennes Weisweiler que era ambicioso e queria títulos.  Seguindo, em pouco tempo alguns jovens já figuravam na seleção Alemã e o time rivalizava com o Bayern de Munique, em uma era inesquecível. O treinador implantou um método de trabalho que aliava disciplina dentro de campo e fora dele, com objetivo de manter os jovens (maioria no elenco) focado nas metas curtas e longas.

Borussia Monchengladbach em 1976-1977 / Foto: pesmitidecalcio

Time-Base: Kleff (Kneib); Vogts, Wittkamp (Hannes/ Klinkhammer) e Schäffer (Surau); Wimmer, Stielike (Kulik), Bonhof e Wohlers (Danner/ Le Fevre); Simonsen (Netzer), Jensen (Nielsen/ Laumen) e Heynckes (Lienen). Técnicos: Hennes Weisweiler (1970-1975) e Udo Lattek (1975-1979).

GOLS DO 2º JOGO DA COPA INTERCONTINENTAL 1977

Foto Destaque: Reprodução/Site/ArchivoFutbol 

Avatar
Nicollas Almeida
Escolhi o jornalismo porque queria contar histórias, participará dela também. Já estagiei na assessoria de imprensa de um órgão do governo do Rio de Janeiro. Fiz trabalhos voluntários no meio religioso e político, participei de um programa de debate na rádio na faculdade.

Artigos Relacionados