Flamengo: Conselho Deliberativo rejeita extensão de mandato presidencial e reunião termina em confusão

Em sessão na Gávea, três importantes emendas entraram em votação. Reunião terminou em confusão generalizada e reforçou a grave crise do Flamengo dentro e fora de campo.

Na noite desta quinta-feira (14), o Conselho Deliberativo do Flamengo realizou reunião na Gávea para votação de três emendas no estatuto do clube. Duas tiveram resultado final, e a última acabou suspensa, com direito a confusão e até troca de socos entre conselheiros. A proposta de extensão do mandato presencial de três para quatro anos foi rejeitada por unanimidade. Com isso, o atual modelo, que prevê um triênio e a possibilidade de reeleição, foi mantido.

Posteriormente, foi votada a proposta de emenda estatutária que prevê a criação de um plano estratégico trienal ou sua readequação para Quadrienal. O projeto foi aprovado pela maioria dos presentes. Sendo assim, o plano da próxima gestão eleita deverá ser apresentado pelo Conselho Diretor, com pareceres técnicos do Conselho Fiscal e da Comissão Permanente de Finanças.

Confusão teve início durante votação da terceira emenda

Por fim, a terceira emenda a ser votada, que tratava da exclusão de candidatos com cargos políticos das eleições presidenciais do Flamengo, causou divergência e muita confusão na Gávea.

Conselheiros contrários à emenda garantem que Antônio Alcides, presidente do Conselho Deliberativo do clube, decretou o resultado da eleição com a maioria aprovando rejeição à proposta. Em contrapartida, as pessoas favoráveis ao projeto afirmaram que não ficou claro se houve o fim da sessão.

Eduardo Bandeira de Mello, ex-presidente do Flamengo e possível candidato para a próxima eleição presidencial do clube, concedeu entrevista após a sessão e criticou veementemente a maneira como a violência tomou conta da reunião. Vale destacar que o ex-mandatário é contrário a proposta, já que exerce cargo de deputado federal e, como citado, pretende se candidatar novamente ao pleito rubro-negro.

“Antes dessa sessão do Conselho, vocês tinham me perguntado o que eu achava e achei que era um golpe. Mas achei que era só um golpe estatutário. Mas foi muito mais. A emenda foi lida, apreciada, votada, ganhamos de 80% a 20%. Todo mundo viu. O presidente do Conselho declarou o resultado. E aí, foi pressionado com violência, tomaram o microfone da mão dele, e se viu obrigado a anular a sessão. O que era um golpe estatutário, virou um golpe com truculência. Não tinha tanque de guerra porque não dá para entrar, mas vimos um ato de violência para tentar mudar uma decisão democrática. Se não fraudarem a decisão da ata da reunião, vai estar o presidente proclamando o resultado”, disse Bandeira de Mello, antes de completar:

“Agora não sei o que vai acontecer. Vão convocar uma outra reunião? Quarta a tarde, com quórum reduzido? Nós ganhamos. Os conselheiros do Flamengo manifestaram a sua opinião soberana pela democracia, mas isso foi manchado pela decisão de alguns conselheiros inconformados”, encerrou o ex-presidente.

Landim marca presença e nega influência em primeira emenda votada

Atual presidente do Flamengo, Rodolfo Landim marcou presença na reunião do Conselho Deliberativo. Logo no começo da sessão, o mandatário rubro-negro pediu a palavra e garantiu que não teve qualquer influência na proposta que previa a extensão de mandato presidencial. No fim do discurso, afirmou categoricamente que deixará a presidência clube em 31 de dezembro de 2024.

Presidente do Conselho Deliberativo é xingado durante sessão

Presidente do Conselho Deliberativo do Flamengo, Antônio Alcides foi xingado pela oposição ao propor a recontagem de votos em relação à terceira emenda discutida. Diverso conselheiros presentes pontuaram que o formato de votação mudou diversas vezes.

Em síntese, o formato da votação estabelecia que quem levantasse da cadeira estava de acordo com a emenda em questão. Já quem permanecesse sentado reprovaria a mesma. Conselheiros então asseguraram que nas recontagens propostas, a instrução foi modificada. A confusão irritou a oposição, que passou a xingar o presidente do conselho. Alcides, por sua vez, garantiu transparência e seriedade no processo eleitoral.

Guilherme Calvano

Guilherme Calvano

Carioca, 23 anos. Cobri o Flamengo no Coluna do Fla e o Chelsea no Blues of Stamford. Repórter de futebol nacional e sul-americano no Futebol na Veia.