AFA decide encerrar a temporada 2020

A Associação de Futebol Argentino (AFA) decretou, na segunda-feira passada (27), o fim da temporada 2020, devido à pandemia causada pelo novo Corona Vírus. A medida incluía, ainda, a decisão de que os clubes não sofreriam descenso até 2022.

O clube Gmnasia La Plata, comandado por Diego Maradona, escapou do rebaixamento com essa medida. Cláudio Tapia, presidente da AFA  explicou, em entrevista ao TNT, que:

“Não vai haver descensos nesta temporada que acabou. O próximo torneio, em 2021, também vai ser jogado sem descensos, mas haverá o cálculo da média, para que o rebaixamento seja retomado no torneio de 2022”.

Vale ressaltar que: os critérios de rebaixamento na Argentina, levam em consideração a média de desempenho das equipes em três temporadas. Por isso, essa medida se torna importante durante a crise.

Desse modo, Tapia, adiantou quem seriam os classificados para as competições sul-americanas de 2021. River Plate, Racing, Argentinos Júnior e o campeão do Argentino, Boca Juniors são as quatro equipes classificadas para a Libertadores. Já na Sulamericana, Vélez Sarsfield, San Lorenzo, Newell's Old Boys, Talleres, Defensa y Justicia e Lanús já têm sua vaga garantida.  Ainda restam duas vagas a serem definidas.

Além de o campeonato Argentino, que teve seu campeão definido ainda no começo de março, a Copa Superliga e a Copa da Argentina tiveram duas rodadas iniciadas antes da paralisação, e as vagas que sobram ficam por conta dessas duas competições, que retornarão apenas quando o Ministério da Saúde permitir.

https://twitter.com/afa/status/1256779072820121600?s=12

 

Jogadores x AFA

A Associação de Futebol Argentino estava bem segura quanto a sua decisão de encerrar a temporada e, principalmente, quanto ao rebaixamento. No entanto, não agradou muita gente, principalmente entre os atletas.

Segundo o Olé da Argentina, capitães de equipes que disputam os principais campeonatos do país realizaram uma reunião virtual para falar sobre o assunto. Em nota divulgada pelo Sindicato dos Jogadores, a entidade afirma:

“A resolução disposta pela Associação de Futebol Argentino (…) torna-se irracional e contrária à dignidade de jogadores e jogadoras, ao mesmo tempo claramente prejudicial aos seus direitos, produzindo uma perda na competitividade do futebol argentino, a qual sempre deve ser a razão de ser deste esporte”.

Sergio Marchi, secretário-geral do sindicato, disse que os jogadores temem pela renovação do futebol no país, além das questões contratuais que envolvem clubes e atletas, já que, cerca de 2 mil deles terão seus contratos encerrados ainda no meio deste ano.

“Os jogadores de futebol não estão de acordo em jogar por nada e se opõem a um torneio sem rebaixamento em 2021” – Afirmou Marchi.

No entanto, indo na contramão dos colegas de profissão, o presidente do Lanús, Nicolás Russo, apoiou a medida de suspender os rebaixamentos e disse que pode salvar de 25 a 30 clubes, que não teriam condições de sobreviver à crise financeira causada pelo vírus.  A Tupi FM publicou um trecho da entrevista de Nicolás em seu portal:

“Nenhum dirigente quer um torneio sem rebaixamento, porém a situação econômica e sanitária nos obriga. Não só aqui na Argentina, mas em todo o mundo. A sorte está lançada e não vamos voltar atrás. O fim dos rebaixamentos é a única maneira de acomodar os orçamentos dos clubes. Estamos em uma obrigação de manter os clubes de pé. Para mim, se não tomarmos este tipo de determinações, poderiam desaparecer de 25 a 30 clubes”.

https://twitter.com/afa/status/1254972606803034113?s=12

O Corona na Argentina

Atualmente o país tem mais de 5.700 casos confirmados da doença, e chegou à marca das 300 mortes registradas. Recentemente Eduardo López, infectologista argentino, afirmou que uma possível volta do futebol só poderia ocorrer no final do ano em meados de dezembro.

“Para o retorno do futebol, o corona vírus deve ser um vírus ocasional de contágio e é preciso que o número de casos atinja uma taxa inferior a 1% ao dia”

Além disso, ele completou sua declaração afirmando que “Se o vírus não tem uma queda clara, você não pode começar a planejar nada. Hoje não é viável ter futebol e, no momento, nenhum treinamento também deve ser feito”.

Vale ressaltar que, de acordo com as entidades de saúde, a orientação é que as pessoas evitem aglomerações, e contatos diretos, usem máscaras e, se possível, não saiam de casa. Orientações que são totalmente contrárias aos métodos do futebol.

Opinião: A AFA acertou

O Corona vírus está causando muitos prejuízos financeiros em grandes empresas e, principalmente, nos esportes. No entanto, muitas vidas estão sendo ceifadas em decorrência da doença. No mundo, o número de mortes já ultrapassou os 200 mil, e sobe cada dia mais.

Contudo, famílias perdem seus entes queridos. As vidas são importantes. Essas pessoas são pais, mães, maridos, esposas ou amigos de alguém. Existe uma pessoa que fica viva sentindo falta de seu ente querido. Antes de mais nada, é preciso ter respeito pela vida e pelas pessoas.

Assim, muita gente sente falta do esporte e se preocupa com sua vida financeira, mas é de extrema importância respeitar o momento e cuidar das pessoas. Consequentemente, o futebol envolve a participação de muita gente, não só atletas e comissão técnica. Existe staff, segurança, pessoas que cozinham, que lavam os uniformes, que dirigem os ônibus das delegações, que limpam os CT’s e academias.

Mas, é preciso pensar em todos. Assim, encerrar a temporada de 2020 foi a decisão mais responsável, e algo que já deveria ter sido adotada em muitos outros países, inclusive no Brasil. As coisas irão apertar, mas o futebol é paixão e move muita gente. As pessoas irão arrumar um jeito de se reerguer, quando tudo isso passar.

Foto Destaque: Reprodução/Boca Juniors

Valéria Contado
Eu sou a Val Contado, finalmente jornalista (uhul!), apaixonada por futebol há 24 anos, desde quando meu pai colocou em mim o uniforme do nosso time do coração. Adepta da arte da resenha, falar e respirar futebol é o que eu mais gosto de fazer.

Artigos Relacionados