Vitória: redução de receita e punição da FIFA atrapalha nas contratações

O time Rubro-Negro baiano rebaixado para a série C irá enfrentar dificuldades na temporada 2022. Sendo assim, o Vitória precisará de reforços para tentar subir para a série B e reconquistar a confiança da sua torcida.

No entanto, o Leão da Barra terá que lidar com um orçamento apertado e uma punição da Fifa.  Desse modo, o clube está impossibilitado de registrar novos jogadores até 2023.

Divída com o Boca Juniors

O EC Vitória  sofreu um baque próximo ao seu rebaixamento para a série C. Sendo assim, o clube foi notificado pela Fifa e punido mais uma vez e ficou com um bloqueio nas próximas três janelas de transferências.

Por conta de uma divída pela contratação do atacante Walter Bou do Boca Juniors, o Rubro-Negro somente ficará livre dessa punição se conseguir saldar essa dívida. De acordo com informações dos sites de notícias o valor das parcelas atrasadas chegam a 300 mil dólares.

Vitória tenta parcelamento

Após notificação da Fifa o presidente em exercício do Vitória, Fábio Mota, concedeu entrevista e explicou que o clube está se mobilizando para resolver essa questão. Dessa forma, o Leão da Barra  tentará parcelar a dívida.

“Nosso departamento jurídico está em contato com o departamento jurídico do jogador, estamos conversando para tentar fazer o parcelamento. Entendemos e temos plena convicção de que haverá isso. O trabalho é nesse sentido. Estamos também tentando arrumar recursos para fazer frente a essa despesa, da mesma forma como o Boca Juniors. Estamos em contato com o Boca Juniors para tentar parcelar os 300 mil dólares que o clube deve ao Boca Juniors.”

Por fim, Fábio também destacou que o Vitória corre contra o tempo para inscrever novos atletas até o dia 17 de dezembro, quando começa o recesso da CBF.   E dessa forma,  apresentar os novos jogadores pensando no Campeonato Baiano.

Foto Destaque: Divulgação/ASCOM /EC Vitória 

Ivana Moreira
Sou jornalista por formação e acredito que essa profissão é indispensável para a sociedade. Passei pela área de assessoria de comunicação e estou em busca de novas experiências dentro do jornalismo. Desde a infância o esporte sempre fez parte da minha vida principalmente o futebol sempre assistia aos jogos e torcia! Acredito também na representatividade das mulheres dentro desse espaço tão masculino, afinal mulher também entende de futebol!