Ponte Preta conhece seus adversários na Copa São Paulo de Futebol Júnior de 2022. (Foto destaque: Divulgação/ PontePress)

Desde já, na última segunda-feira (13), a Ponte Preta conheceu os adversários na Copa São Paulo de Futebol Júnior de 2022. Analogamente, a Federação Paulista de Futebol divulgou as sedes e os grupos. A saber, a Copinha acontece em solo paulista entre os dias 2 e 25 de janeiro- data escolhida para a final- como de costume.

Assim também, o maior torneio de base do Brasil, não foi realizado em 2021 devido a pandemia de covid-19. Da mesma forma, para o próximo ano também serão escolhidas as gerações de jogadores nascidos em 2002, 2003, 2004, 2005 e 2006. Tal como, o torneio poderá ter atletas de 15 até 21 anos.

Por outro lado, contará com 128 times, divididos em 32 chaves. Simultaneamente, a Macaca vai fazer parte do Grupo 5 e terá como primeiros adversários Francana-SP, Juventude-RSConfiança-PB.

A saber, na primeira fase, as equipes se enfrentam dentro dos grupos. Bem como, partir daí, os confrontos são eliminatórios até a final.

Vale lembrar, a Copinha era disputada regularmente desde 1969. No entanto, em 2021,  a FPF decidiu não realizar o torneio em 2021 ao notar que não haveria condições de segurança sanitária. Ou seja, para os atletas e população das cidades que receberiam as partidas.

Ponte Preta

De maneira que, um dos destaque é Matheus Alisson, que foi o artilheiro da competição e marcou sete gols. Juntamente com isso, Eduardo Abdo será o comandante da equipe.

Eventualmente, a Macaca coleciona dois títulos da Copa São Paulo. Do mesmo modo, em 1981, quando venceu o São Paulo por 1 x 0. Além disso, 1982, em resultado positivo diante do Santos por 2 x 1.

Por fim, 2020 a sede foi na cidade de Osvaldo Cruz e a Veterana caiu na terceira fase diante do Londrina. Ainda mais, que o time acabou derrotado pelo placar de 1 x 0, em Jaú.

Foto destaque: Divulgação / PontePress

Ainah Carvalho
Ahhh o jornalismo, gosto muito do contato, de escrever, falar, questionar e lembro bem que desde pequena sonhava entrevistar os jogadores após o jogo. Aí cresci e o desejo continuava. Entrei para a faculdade de jornalismo e me formei em 2015. Na época da faculdade trabalhei em rádio-escuta em uma assessoria e fui repórter em um site de máquinas. Após a formação trabalhei em uma assessoria com artistas independentes e também já cuidei das redes sociais de um hotel. Fiz bons cursos no Senac como o jornalismo esportivo, grande amor, também fiz apresentação de programas jornalísticos e programas de variedades. Mas o que eu me identifiquei foi apresentar um programa esportivo. Ahhhh esse amor rsrs