Dérbi campineiro. (Foto destaque: Álvaro Jr/PontePress)

De antemão será jogo do ano: trata-se do Dérbi ducentésimo! Do mesmo modo para a Ponte Preta: vencer é fundamental. De tal forma que a equipe segue se recuperando na Série B do Campeonato Brasileiro, após a polêmica derrota para o Cruzeiro. Tal como a Macaca está próxima novamente da zona de rebaixamento e pode voltar para o Z4 se não conseguir somar pontos. Ocasionalmente é essencial conquistar os três pontos.

Juntamente com isso a diferença para o Vitória (primeiro time da zona de rebaixamento) é de apenas dois pontos. Analogamente pelos números se a Ponte pelo menos empatar no dérbi, sabe que não volta para a zona de rebaixamento. No entanto por esse campeonato bem disputado se vencer tem chances de dar um bom salto e ganhar pelo menos duas posições.

Com intuito de se distanciar cada vez mais da zona de rebaixamento o time quer poder contar com cinco atletas. Assim também começam a segunda-feira (13) no departamento médico. Simultaneamente são eles: Moisés, Rodrigão, Niltinho, Iago e Felipe Albuquerque.

Surpreendentemente será o dérbi 201 que traz uma longa história. Ocasionalmente a última vez que a Macaca perdeu duas vezes para o Guarani no mesmo campeonato foi na campanha de 2009. Juntamente com isso  os dois times seguem em acirrada disputada pela liderança no retrospecto.

Em suma nos últimos anos, a Macaca conseguiu se reaproximar e chegou na marca de 66 vitórias. Por outro lado o Guarani, com a vitória no primeiro turno, tem 68 triunfos em dérbis. Nesse ínterim dos 200 jogos disputados foram também 65 empates.

Afinal temos mais 6 dias para colocar os números em ação, as vantagens que a Ponte tem no jogo para enfrentar o grande dia.

 

 

(Foto destaque: Álvaro Jr/PontePress)

Ainah Carvalho
Ahhh o jornalismo, gosto muito do contato, de escrever, falar, questionar e lembro bem que desde pequena sonhava entrevistar os jogadores após o jogo. Aí cresci e o desejo continuava. Entrei para a faculdade de jornalismo e me formei em 2015. Na época da faculdade trabalhei em rádio-escuta em uma assessoria e fui repórter em um site de máquinas. Após a formação trabalhei em uma assessoria com artistas independentes e também já cuidei das redes sociais de um hotel. Fiz bons cursos no Senac como o jornalismo esportivo, grande amor, também fiz apresentação de programas jornalísticos e programas de variedades. Mas o que eu me identifiquei foi apresentar um programa esportivo. Ahhhh esse amor rsrs