Chance da Ponte Preta conquistar a terceira vitória consecutiva. (Foto destaque: Ailton Cruz/Gazeta de Alagoas)

Inicialmente já chegamos a 27ª rodada do Brasileiro faltando apenas 11 jogos para o fim da série B. De maneira que a Ponte Preta enfrenta o CSA nesta quarta-feira (29), às 21h30, no estádio Rei Pelé. De maneira que é a chance de conquistar feito inédito na temporada: terceira vitória consecutiva.

Juntamente com isso será possível conseguir o esse feito? Ainda mais que o time chega de duas vitórias consecutivas e respira mais aliviado na luta contra o rebaixamento. De maneira que as vitórias foram contra o Operário e Brasil de Pelotas.

Assim também para o jogo Kleina tem as voltas de Fábio Sanches e André Luiz, livres de suspensão. Bem como os dois podem retornar entre os titulares, já que o treinador citou que Rayan e Lucas Cândido como jogadores que merecem um “cuidado especial” devido ao desgaste físico. Simultaneamente essas são as únicas dúvidas na Macaca.

Do mesmo modo Rodrigão segue fora devido a sintomas gripais (testou novamente negativo para Covid-19), e deve ser ser substituído por João Veras, autor do gol sobre o Brasil-RS.

Afinal, a Macaca soma 32 pontos e tenta dar sequência ao embalo para manter ou até aumentar a vantagem de seis pontos para a degola.

Chance da Ponte Preta

Ou seja, o jogo será comandado por Paulo Henrique Schleich Vollkopf (MS) e será transmitido pelo Sportv e Premiere.

Contudo o histórico dos confrontos entre as equipes não é favorável para o time alagoano. Do mesmo modo se enfrentaram oito vezes, com cinco vitórias para a Macaca, dois empates e uma vitória para o Azulão. Assim como as equipes se encontraram pelo Brasileirão e pela série B.

Da mesma forma o primeiro jogo entre as duas equipe foi pelo Brasileirão de 1978. No Rei Pelé, o CSA perdeu por 2 x 1. Eventualmente o último duelo foi agradável para a Ponte que venceu por 2×1 pela 8ª rodada,no Moisés Lucarelli.

 

 

(Foto destaque: Ailton Cruz/Gazeta de Alagoas)

 

Ainah Carvalho
Ahhh o jornalismo, gosto muito do contato, de escrever, falar, questionar e lembro bem que desde pequena sonhava entrevistar os jogadores após o jogo. Aí cresci e o desejo continuava. Entrei para a faculdade de jornalismo e me formei em 2015. Na época da faculdade trabalhei em rádio-escuta em uma assessoria e fui repórter em um site de máquinas. Após a formação trabalhei em uma assessoria com artistas independentes e também já cuidei das redes sociais de um hotel. Fiz bons cursos no Senac como o jornalismo esportivo, grande amor, também fiz apresentação de programas jornalísticos e programas de variedades. Mas o que eu me identifiquei foi apresentar um programa esportivo. Ahhhh esse amor rsrs