Ponte Preta terá o retorno de André Luiz. (Foto destaque: Álvaro Jr/ PontePress)

De antemão, a Ponte Preta vai ter ao menos uma mudança para enfrentar o Coritiba, na próxima terça-feira (17). Do mesmo modo o jogo acontece, às 21h30, no Couto Pereira. Ainda mais que André Luiz recebeu três cartões amarelos e vai cumprir suspensão.

Por outro lado após a vitória sobre o Confiança por 4 x 2 no último sábado (14), o técnico Gilson Kleina avaliou as opções. Assim também citou três candidatos a substituto: Léo Naldi, Marcos Júnior e Lucas Cândido.

“O André, até pela função, a gente sabe que toma muito cartão. Vamos pensar na situação. Vamos ver como o Léo Naldi faz o primeiro volante, tem o próprio Marcos Júnior também e ver a recuperação do Lucas Cândido. É fazer a análise apurada para ter um jogador muito intenso nessa posição”.

André Luiz de fora

Juntamente com isso Lucas Cândido não atua desde 23 de julho, e estava em transição física até o fim da semana. Do mesmo modo após se recuperar de dores musculares. Ou seja,  a tendência é que a disputa fique entre Léo Naldi e Marcos Júnior.

Da mesma forma com os dois Marcos Júnior é quem tem características mais defensivas. Bem como normalmente atuando como primeiro volante – função exercida pelo volante no sistema de Kleina.

Em suma, o elenco alvinegro já se reapresentou na manhã deste domingo (15). Por outro lado com Lucas Cândido, volante e o zagueiro Ednei treinando normalmente. Do mesmo modo o meia Thalles continua em transição, e ainda tem uma atividade na segunda-feira (16) antes da viagem para Curitiba.

Em conclusão, a Veterana chega para o duelo de ânimo renovado após conquistar duas vitórias consecutivas pela primeira vez na Série B. Ainda mais que com os resultados positivos sobre Londrina e Confiança em casa, a Ponte chegou aos 19 pontos e deixou a zona de rebaixamento.

Foto destaque: Álvaro Jr/ PontePress

Ainah Carvalho
Ahhh o jornalismo, gosto muito do contato, de escrever, falar, questionar e lembro bem que desde pequena sonhava entrevistar os jogadores após o jogo. Aí cresci e o desejo continuava. Entrei para a faculdade de jornalismo e me formei em 2015. Na época da faculdade trabalhei em rádio-escuta em uma assessoria e fui repórter em um site de máquinas. Após a formação trabalhei em uma assessoria com artistas independentes e também já cuidei das redes sociais de um hotel. Fiz bons cursos no Senac como o jornalismo esportivo, grande amor, também fiz apresentação de programas jornalísticos e programas de variedades. Mas o que eu me identifiquei foi apresentar um programa esportivo. Ahhhh esse amor rsrs