Volta do público. (Foto destaque: Álvaro Jr/ PontePress)

De antemão a notícia da última quinta-feira (23) que se estende até essa sexta-feira (24): a liberação do governo de São Paulo sobre a volta do público aos estádios. Do mesmo João Dória, governador do Estado anunciou, a liberação do público nas partidas de futebol a partir de 4 de outubro. Assim também a ocupação inicial permitida será de 30% de cada setor dos estádios.

Segundo Doria, o retorno ocorrerá de forma gradual. De maneira que em 15 de outubro, a flexibilização aumentará para 50% da capacidade dos estádios. Da mesma forma a previsão de retomada com 100% de ocupação está prevista para 1º de novembro.

Juntamente com isso foi feito um pedido da Ponte Pretajunto ao Guarani para a liberação da volta do público aos estádios de Campinas. Vale lembrar  que os estádios de Campinas não recebem torcida desde março de 2020. Assim como o documento, será encaminhado ao Devisa (Departamento de Vigilância em Saúde) para análise.

Além disso fiz uma enquete sobre a volta e parte da nação pontepretana acredita que ainda não é a hora.

Volta do público

Por outro lado sou do time que ainda não é a hora mesmo com todas as recomendações como o uso obrigatório de máscara. Além disso o governador anunciou que será exigida comprovação do esquema vacinal completo, com as duas doses ou a dose única do imunizante. Eventualmente coloco uma questão vai ter fiscalização?

Assim como os torcedores vão ficar de máscara em um dia quente, por exemplo? Tal como quem tiver recebido apenas a primeira dose precisará apresentar teste com antígeno até 24 horas antes da partida e PCR em até 48 horas. O torcedor pode até fazer, mas quem vai monitorar chegando ao estádio?

Muitas dúvidas e certamente todos estão com saudade, inclusive eu, mas confesso que ainda tenho um resguardo sobre esse retorno. No entanto quem tiver coragem grita por nós!

 

(Foto destaque: Álvaro Jr/ PontePress)

Ainah Carvalho
Ahhh o jornalismo, gosto muito do contato, de escrever, falar, questionar e lembro bem que desde pequena sonhava entrevistar os jogadores após o jogo. Aí cresci e o desejo continuava. Entrei para a faculdade de jornalismo e me formei em 2015. Na época da faculdade trabalhei em rádio-escuta em uma assessoria e fui repórter em um site de máquinas. Após a formação trabalhei em uma assessoria com artistas independentes e também já cuidei das redes sociais de um hotel. Fiz bons cursos no Senac como o jornalismo esportivo, grande amor, também fiz apresentação de programas jornalísticos e programas de variedades. Mas o que eu me identifiquei foi apresentar um programa esportivo. Ahhhh esse amor rsrs