Volta da torcida? (Foto destaque: AssCom Dourado)

À primeira vista o Conselho Técnico da CBF definir pela volta imediata de público nos jogos da Série B. Assim também os clubes têm se organizado para voltar a receber o público. Eventualmente Campinas ainda não tem a presença da torcida liberada nos eventos esportivos. Tal como isso afeta diretamente Guarani e Ponte Preta.

Simultaneamente os outros 14 clubes da competição já podem vender ingressos para seus jogos e as diretorias dos dois times pensam da situação. Da mesma forma o Guarani, foi um dos clubes mais resistentes à volta antecipada da torcida nas últimas reuniões sobre o tema. Ainda mais que agora respondeu que, diante do cenário, vai “buscar uma reunião de urgência com a prefeitura para viabilizar a liberação em Campinas”.

Por outro lado a posição da Ponte Preta não foi muito diferente. Do mesmo modo a Macaca afirmou que se houver uma liberação do município para a volta do público, vai avaliar o cenário para saber qual posição vai tomar. Eventualmente a equipe alvinegra ressaltou que “no momento, vai seguir a determinação das autoridades competentes”.

Ainda mais que o time tem o compromisso fora de casa nessa quarta-feira (22) quando enfrenta o Operário, às 21h30, no Germano Kruger em Ponta Grossa. Bem como só volta a jogar no Moisés Lucarelli no próximo domingo (26) quando recebe o Brasil de Pelotas, pela 26ª rodada. Ocasionalmente caso aconteça uma liberação até o meio da semana, seria possível trabalhar para vender ingressos já para esta partida.

Vale lembrar que essa liberação deve partir de um acordo entre os clubes. De maneira que a Prefeitura de Campinas. Além disso também o Governo de São Paulo. Do mesmo modo que a tendência, nesse momento, tem sido que o governo estadual aceite as decisões tomadas em âmbito municipal.

 

(Foto destaque: AssCom Dourado)

 

Ainah Carvalho
Ahhh o jornalismo, gosto muito do contato, de escrever, falar, questionar e lembro bem que desde pequena sonhava entrevistar os jogadores após o jogo. Aí cresci e o desejo continuava. Entrei para a faculdade de jornalismo e me formei em 2015. Na época da faculdade trabalhei em rádio-escuta em uma assessoria e fui repórter em um site de máquinas. Após a formação trabalhei em uma assessoria com artistas independentes e também já cuidei das redes sociais de um hotel. Fiz bons cursos no Senac como o jornalismo esportivo, grande amor, também fiz apresentação de programas jornalísticos e programas de variedades. Mas o que eu me identifiquei foi apresentar um programa esportivo. Ahhhh esse amor rsrs