Vila Nova quita oito processos, e presidente exalta departamento jurídico

Em publicação no Twitter, Hugo Jorge Bravo, presidente do Vila Nova, comemorou o encerramento de alguns processos envolvendo o clube. Dessa forma, o Tigre quitou oito processos na Justiça do Trabalho. A saber, o departamento jurídico do clube conseguiu diminuir as dívidas e, assim, poupou cerca de R$ 571 mil por conta de acordos conseguidos e de descontos. Na declaração, o presidente garantiu: “Com R$ 594.196,88 quitamos R$ 1.165.196,88”.

As quitações foram dos processos de Luizinho (lateral-direito), Pitol (goleiro), Ricardinho (volante), Gustavo Geladeira (zagueiro), Alípio (meia-atacante) e Luizão (zagueiro). Além disso, Lindolfo (eletricista) e Zé Roberto (treinador das categorias de base) também tiveram a situação finalizada com o pagamento da ação.

Contudo, ainda corre em processo a ação do atacante Bérgson, a mais antiga do clube. Em 2011, na época com 20 anos, o jogador foi emprestado pelo Grêmio ao Vila Nova. O litígio ocorre Tribunal Regional do Trabalho do Rio Grande do Sul (TRT-RS), em Porto Alegre. 

Conselheiro do Vila Nova explica situação 

No programa Hora do Esporte, da Rádio Sagres, o advogado Rodrigo Menezes, conselheiro do Vila Nova e associado ao escritório Pinheiro Advogados, esclareceu as quitações e, além disso, falou sobre a forma de pagamento.

“Estes acordos foram os que o clube quitou somente no início do ano. Não foi o que pagamos ao todo no decorrer da gestão, porque tem várias outras ações já quitadas. Somente a do Gustavo Geladeira era um parcelamento longo, que fizemos em 2020 e terminamos de pagar agora. Todas as outras foram pagas à vista. Ainda há muitas ações e execuções a serem resolvidas, mas as coisas estão caminhando. Desde o início da gestão, o valor total já pago pelo Vila atualmente, reduzido no seu passivo, é de R$ 3.379.072. Há muita coisa ainda, mas já é um bom passo para resolver. Até pela situação de pandemia, com ausência de público e, na temporada passada, estávamos na Série C, entendemos como um valor expressivo”, declarou.

Por fim, o advogado calculou quanto o Vila Nova deixou de gastar a partir de acordos feitos pelo departamento jurídico do clube e também graças aos descontos. Ademais, Rodrigo ainda apresentou o valor total da dívida colorado.

A redução bruta da dívida são esses R$ 3.379 milhões, só que o que saiu do caixa do clube é cerca de R$ 1,8 milhão. Então, conseguimos um desconto de cerca de 40% da dívida. […] No convênio, onde as execuções estão reunidas, temos cerca de R$ 6 milhões ainda a serem pagos. Há um processo no Sindicato dos Atletas, que, atualmente, é a maior execução no clube, cerca de R$ 1,5 milhão, só que 99% desse valor já foi pago diretamente aos atletas”, garantiu Rodrigo Menezes.

Foto destaque: Divulgação/Vila Nova FC

Danyela Freitas
Danyela Freitas
Sou goianiense, graduada em Letras pela Universidade Federal de Goiás (UFG), pós-graduada em Jornalismo Esportivo pela Estácio-SP e tenho três grandes paixões: a escrita, a leitura e o esporte (não necessariamente nessa ordem).

Deixe uma resposta