Vice-presidente do Vila Nova comenta sobre futuro de Higo Magalhães: “nossa intenção é mantê-lo”

Em entrevista ao programa Feras do Esporte, da Rádio Bandeirantes, de Goiânia, o vice-presidente do Vila Nova, Leandro Bittar, falou sobre a permanência do técnico Higo Magalhães. Em suma, depois de 12 dias comandando a equipe, Hemerson Maria pediu desligamento do clube colorado.

Acho que, pelo menos por enquanto, nossa intenção é mantê-lo. A gente entende que o Higo Magalhães tem totais condições e que não perde para ninguém que esteve no clube, tem méritos, nossa confiança. Portanto, vamos deixá-lo desenvolver o trabalho, o planejamento dele e, assim, tomara que a gente consiga o mais rápido possível engatar uma sequência de vitórias”, planejou o Bittar.

Dessa forma, Higo assumiu o time interinamente pela segunda vez nesta temporada. A partir disso, o dirigente colorado comentou também a respeito da vitória sobre o Avaí por 1 x 0, já sob o comando de Magalhães.

“Foi uma vitória importante. A gente tinha uma carga muito grande, não só no grupo de jogadores, mas em todo mundo ali. A gente vivia um momento tenso, mas foi ótimo, uma vitória boa, gostamos principalmente do desempenho do time. Além disso, passamos a partida atacando muito, criando na frente. No entanto, uma vitória não resolve nosso problema. Precisamos ter consciência de que temos que seguir nessa batida para sair de vez dessa zona, não estamos em uma situação confortável”, garantiu o dirigente.

Vice-presidente do Vila Nova abre o jogo sobre contratações 

Antes de mais nada, recentemente, o Tigre reforçou o time com mais duas contratações. Assim, o meia Tiago Real e o atacante argentino Nicolás Maná já treinam com o plantel em Goiânia. Apesar disso, o vice-presidente confessou que tem sido complicado trazer novas peças e ainda analisou o mercado da bola.

“Não é um cenário tão favorável para a gente. Os clubes de Série A estão se movimentando, principalmente aqueles que estão na parte de baixo, disputando a zona complicada. Os times de Série C estão entrando em uma reta final e buscam atletas. Além disso, tem a questão de números de jogos que, às vezes na Série B, a gente não consegue tirar atletas. Agora, uma ocasião, uma oportunidade ou outra, pode aparecer, e a gente acabar trazendo um atleta que não temos no elenco para cumprir uma carência”, finalizou.

Foto destaque: Divulgação/Núbia Alves/Vila Nova FC

Danyela Freitas
Sou goianiense, graduada em Letras pela Universidade Federal de Goiás (UFG), pós-graduada em Jornalismo Esportivo pela Estácio-SP e tenho três grandes paixões: a escrita, a leitura e o esporte (não necessariamente nessa ordem).