Orientação ao público (Foto destaque: Álvaro Jr/ PontePress)

Antes de tudo, como anda a ansiedade para o reencontro com a Ponte Preta contra o Náutico no Majestoso? Ainda mais que após 583 dias longe do estádio, a torcida estará de volta ao Majestoso. Assim como vai ao jogo? Como a pandemia ainda não acabou, o número máximo será de 8700 lugares.

Da mesma forma a permissão é para 50% do público, porém, devem ser descontadas as pessoas que estarão trabalhando no jogo.  Primeiramente só entra quem estiver vacinado, com as duas doses ou dose única no caso de vacinas que só precisam de uma aplicação.

Por outro lado  o torcedor que tiver somente uma dose de vacina que exige duas, deverá apresentar obrigatoriamente os resultados de testes de ANTÍGENO (realizado até 24 horas antes da partida) e PCR (até 48 horas antes da partida).

Do mesmo os ingressos (vendidos exclusivamente na Internet), são nominais e na hora de entrar no estádio o torcedor terá que mostrar o certificado de vacinação.

Vai ao jogo?

Simultaneamente no Majestoso serão indicados locais onde não se deve ficar, para respeitar o distanciamento. Juntamente com isso nos camarotes onde normalmente ficam até seis pessoas, poderão comportar no máximo três.

Bem como os bares do Majestoso estarão fechados. De maneira que ambulantes com opções de kit alimentação, previamente embalados e higienizados, irão até o torcedor que quiser comprar a alimentação.

Similarmente é a forma de evitar aglomeração. Assim também, os sanitários terão quantidade limitada de pessoas permitida e não deverá haver aglomeração em filas.

Afinal, é recomendado ainda que ao acessar o estádio o torcedor vá diretamente para o seu assento. Por fim, ao sair do estádio, é solicitado que o torcedor mantenha uma distância segura. Do mesmo modo que recomenda-se a evacuação de forma organizada.

 

 

Foto destaque: Álvaro Jr/ PontePress

Ainah Carvalho
Ahhh o jornalismo, gosto muito do contato, de escrever, falar, questionar e lembro bem que desde pequena sonhava entrevistar os jogadores após o jogo. Aí cresci e o desejo continuava. Entrei para a faculdade de jornalismo e me formei em 2015. Na época da faculdade trabalhei em rádio-escuta em uma assessoria e fui repórter em um site de máquinas. Após a formação trabalhei em uma assessoria com artistas independentes e também já cuidei das redes sociais de um hotel. Fiz bons cursos no Senac como o jornalismo esportivo, grande amor, também fiz apresentação de programas jornalísticos e programas de variedades. Mas o que eu me identifiquei foi apresentar um programa esportivo. Ahhhh esse amor rsrs

Deixe um comentário