Ufaaa!!! Ponte Preta vence o Confiança e garante permanência na Série B

Antecipadamente, neste sábado (20), o grito é: ufaaa! Por outro lado, a Ponte Preta enfrentou o Confiança, agora rebaixado, no Batistão, em Aracaju e com Moisés garantiu o placar de 1×0 e o mais importante a permanência na Série B.

Da mesma forma, a fala de Ivan, líder, capitão e defensor do time resumiu o que foi esse ano difícil pelo lado da Alvinegra. Assim como, o clube tem decisão do novo presidente neste sábado (20), e os silêncios dos jogadores por atraso do recebimento dos salários foi colocado:

“Quero pedir desculpa ao grupo, fizemos um pacto de não falar. São 16 jogadores com salários atrasados, a gente poderia estar comemorando… A Ponte tem tradição de brigar por acesso, faltou organização, eu to aqui de passagem, não sei se vou continuar, mas torcida e clube ficam. Foi um ano difícl, de muita guerra. Parabenizo os jogadores que não deixaram, de se esforçar, de jogar. Mas que sirva de lição, fizemos nossa parte, agora o staff precisa se unir. Eu me sinto muito triste pela guerra dentro de campo, a Ponte é grande, não merece brigar contra o rebaixamento”

Ufaa!

Vale lembrar, que sobre a partida o primeiro tempo do jogo diz muito sobre a situação dois times na Série B. Do mesmo modo, apenas poucos lances de cada lado. Dessa forma, os times apresentaram um futebol muito pobre.

Assim, já no segundo tempo a Ponte quase tomou um gol logo no comecinho com Caíque França. Do mesmo modo, o torcedor Pontepretano afirma que assistir a um jogo da Ponte é um pouco sofrido por parte do que o time está apresentando. No entanto, a Macaca tem o Moisés, que aos 28′ Moisés fez seu sétimo gol na Ponte na Série B depois de ter ficado 14 jogos sem marcar. Ou seja, o atleta vai às redes pela segunda partida consecutiva.

Fim de jogo, alívio, ufaaa, abraços, desabafos e no último jogo que recebe o Coritiba, líder da Série B e quer o campeonato.

 

Foto destaque: Lucas Almeida

 

Ainah Carvalho
Ahhh o jornalismo, gosto muito do contato, de escrever, falar, questionar e lembro bem que desde pequena sonhava entrevistar os jogadores após o jogo. Aí cresci e o desejo continuava. Entrei para a faculdade de jornalismo e me formei em 2015. Na época da faculdade trabalhei em rádio-escuta em uma assessoria e fui repórter em um site de máquinas. Após a formação trabalhei em uma assessoria com artistas independentes e também já cuidei das redes sociais de um hotel. Fiz bons cursos no Senac como o jornalismo esportivo, grande amor, também fiz apresentação de programas jornalísticos e programas de variedades. Mas o que eu me identifiquei foi apresentar um programa esportivo. Ahhhh esse amor rsrs

Deixe um comentário