Tito valoriza ponto conquistado e convoca torcida para jogo em casa

Depois de empatar com o Paysandu, fora de casa, por 1 × 1, o Figueirense agora foca suas atenções no duelo diante do São José, no próximo domingo (31). Mais um confronto direto pela frente na Série C do Campeonato Brasileiro. Desta vez, a partida será em casa.

Por outro lado, é justamente o fator Scarpelli que traz motivação extra ao grupo. E dessa forma, é o que afirma o centroavante Tito. Titular diante do Papão, o jogador fez questão também de exaltar o ponto conquistado longe de Florianópolis.

Acho que fizemos uma boa partida, era confronto direto e não podíamos perder. Buscamos a vitória, mas o empate não foi ruim, é do jogo, já estamos focados no São José, mais um confronto difícil. E claro que por ser em casa agora é mais especial, a gente conhece muito bem a força que a torcida do Figueira tem aqui no Scarpelli”, disse Tito.

Tito analisa próximo adversário do Figueirense

No entanto, para Tito, o Figueirense tem que saber aproveitar o torcedor do seu lado para conquistar três pontos ‘fundamentais’. Ao passo que o time alvinegro é hoje o sexto colocado na Série C, com 26 pontos. Enquanto o São José está na nona posição do campeonato. Assim sendo, fora do G8, que garante vaga na próxima fase, com 23 pontos somados.

Mais uma batalha, mais um adversário forte e um jogo difícil. Sabemos disso e estamos nos preparando, temos um grupo que trabalha muito. Como eu falei, temos o Scarpelli do nosso lado, estamos vendo que o torcedor está se mobilizando, vai jogar junto, vai nos empurrar. É jogar nosso jogo, ser inteligente e ir em busca da vitória que é fundamental” finalizou o camisa 9 do Figueirense.

A saber, Figueirense e São José medem forças no próximo domingo (31), às 19h (horário de Brasília), no estádio Orlando Scarpelli, em Florianópolis. Por fim, o duelo é válido pela 17ª rodada da Série C do Campeonato Brasileiro. Assim sendo, faltam apenas três para o término da 1ª fase da competição.

Foto destaque: Patrick Floriani / Figueirense

Tity Marx
Na verdade, não fui eu que escolhi o jornalismo e sim ele que me escolheu. Sem dúvidas, a profissão é como um oceano que precisa ser desvendado na sua profundeza, só assim é possível conhecer e respeitar toda sua beleza.

Deixe um comentário