Rodrigo Chagas pontua falhas do Vitória taticamente

- Treinador destaca falta de eficiência da equipe rubro-negra para conseguir o resultado
Para o treinador, faltou mais atitude para o time do Vitória na partida contra o Operário. Resultado deixa time a um ponto do Z-4

Lutando contra o fantasma da zona do rebaixamento, o Vitória pecou mais uma vez na Série B do Campeonato Brasileiro. Na noite deste domingo (3), diante do Operário-PR, pela 32ª rodada, o Rubro-Negro até saiu na frente do placar, mas cedeu o empate ao time paranaense, que logo empatou a partida. No Barradão, o atacante Vico, de falta, abriu o marcador. Já, aos 6 minutos, o experiente Ricardo Bueno deixou tudo igual. Por fim, o placar terminou em 1 a 1. Com o resultado, o Leão da Barra alcançou a marca do terceiro jogo consecutivo sem triunfo nessa edição da segunda divisão.

Logo após o encerramento do duelo, o técnico Rodrigo Chagas frisou, em entrevista coletiva, que o resultado fugiu das expectativas do trabalho realizado na última semana. Entendendo a necessidade de conseguir somar triunfos, visto que o Rubro-Negro está a um ponto do Z-4, o treinador comentou sobre o desempenho do time contra o Fantasma.

“Fizemos um primeiro tempo razoável, conseguimos um gol logo no início. Tomamos um gol de bola parada, que trabalhamos muito. Infelizmente cedemos o empate. Ainda no primeiro tempo não funcionamos da maneira que trabalhamos. No intervalo fizemos a correção, conseguimos ter o controle do jogo, onde o adversário veio bem fechado, buscando transição, jogando no nosso erro. Tivemos muita dificuldade pelo fato da equipe deles jogar defensivamente. A gente encontrou pouco espaço, mas no segundo tempo melhoramos, tivemos o controle do jogo, mas não foi efetivo para conquistar o resultado”, explicou o treinador do Vitória, Rodrigo Chagas. 

Questionado sobre as alterações que fez na equipe ao longo da partida, o técnico – efetivado após a demissão de Mazola Júnior -, mencionou que a produtividade do time não compactou com as intervenções nos treinos diários.

“Enfrentamos um adversário que veio jogar no nosso erro, jogando o tempo todo em transições. Ajustamos no intervalo, principalmente quando a gente entra em um 3-5-2, os atacantes de beirada procuram criar espaço para a ultrapassagem dos laterais. Isso já vinha acontecendo. Não só nesse jogo, também em outros jogos. Acho que, na realidade, não fomos felizes ou eficazes dentro daquilo que trabalhamos diariamente“.

Acima de tudo, preocupado com a situação do time na tabela da Série B, ele enfatizou o que será preciso para que para se distanciar da zona de rebaixamento. Além do resultado positivo, sorte. “Agora é trabalhar, corrigir mais ainda esses aspectos, principalmente defensivos, para minimizar os erros para o jogo contra o América-MG”, finalizou o comandante rubro-negro.

Foto Destaque: Pietro Carpi/EC Vitória/Divulgação

Pedro Moraes
Pedro Moraes
Falar e escrever sobre futebol é o que há! O Jornalismo Esportivo só me ajudou a ser amante deste esporte, seja ele estadual, nacional ou internacional. Copa do Mundo é vida! Libertadores é pra cardíaco!

Artigos Relacionados

Topo