A expectativa por um ‘recomeço' no Vitória está em alta. Antecipadamente, o ingrediente que deve determinar o desempenho do time na temporada é o foco. É justamente nesse sentido que a comissão técnica do Leão da Barra preparou o elenco para estrear com o pé direito em 2021. Foram oito dias de treinamento intenso, após oito dias de folga, a equipe do técnico Rodrigo Chagas encerrou a preparação para o pontapé inicial no Campeonato Baiano 2021. Agora, o Vitória visita nesta quarta-feira (17) o Unirb, às 19h30, no Estádio Carneirão, em Alagoinhas.

Em contrapartida aos acontecimentos dos últimos anos, a projeção do treinador mira o título. Conquista que, acima de tudo, não chega ao Barradão desde 2017. Em entrevista coletiva cedida na manhã desta terça-feira (16), Rodrigo afirmou que o principal objetivo nessa competição é, sobretudo, “não fugir da lógica” de chegar a final do estadual.

“A gente vive por títulos. O atleta, o treinador, sempre visa o melhor. O melhor é montar equipes competitivas que buscam título. O Vitória tem carência hoje, dois anos que não chega na final. Esse é o meu pensamento, não vou fugir dessa lógica. A gente sabe que tem potencial para chegar. Para que aconteça, temos que trabalhar muito e buscar melhora diária”, analisou.

WALLACE, FERNANDO NETO E MAIS 9 NA ESTREIA DO VITÓRIA

Enquanto busca alinhar os atletas remanescentes da última temporada com os jovens que subiram das categorias de base, Rodrigo Chagas afirmou que vai usar o que tem de melhor a sua disposição. Com 16 pratas da casa no elenco de 24 jogadores relacionados, ou seja, 66,6%, o comandante confirmou que a equipe terá a experiência do zagueiro Wallace, de 33 anos, e do meia Fernando Neto, 28.

“A gente tem ideia com jogadores como Fernando Neto, experiente e vai ser atleta que vai comandar o meio-campo dentro das ações. Temos Wallace. Vamos ter time equilibrado em conjunto com a garotada”, confirmou Rodrigo Chagas.

MISSÃO DE APAGAR OS RESULTADOS RUINS

Apesar da mini pré-temporada, de apenas oito dias, o Vitória deposita no seu treinador a esperança de vivenciar dias melhores. Em outras palavras, de acordo com Rodrigo, a ideia de usar força máxima nos jogos iniciais – contra Unirb e Vitória da Conquista -, e montar uma equipe alternativa, para o início da Copa do Nordeste, parte do princípio de espantar o desempenho abaixo da expectativa da temporada anterior.

“A impressão [ruim dos últimos anos], a única forma de tirar é chegando até a final. Esse é o objetivo. Em relação ao pouco tempo de trabalho, a gente sabe que é ruim, mas não temos como ir contra. Temos que trabalhar conforme o que está sendo pedido. É desumano, acredito. Você vê os atletas em uma semana tentar recuperar a parte física. Acredito que estamos no caminho certo. Esperamos que possamos ter uma equipe base nesses dois primeiros jogos para pensar no terceiro, já que tem um jogo de estreia na Copa do Nordeste”, avaliou o treinador rubro-negro.

Foto Destaque: Letícia Martins/Divulgação/EC Vitória

Avatar
Pedro Moraes
Falar e escrever sobre futebol é o que há! O Jornalismo Esportivo só me ajudou a ser amante deste esporte, seja ele estadual, nacional ou internacional. Copa do Mundo é vida! Libertadores é pra cardíaco!