Rayan, zagueiro concedeu entrevista coletiva nessa segunda-feira (20). (Foto destaque: Álvaro Jr./PontePress)

À primeira vista na última sexta-feira (17) no dia do Dérbi 201, a Ponte Preta começou o pagamento das pendências salariais. A saber os jogadores encerraram a greve de silêncio em protesto aos atrasos que durava desde o fim de agosto. Simultaneamente com o fim da greve, Rayan foi escolhido para conceder a primeira entrevista coletiva da semana na manhã desta segunda-feira (20).

A saber o zagueiro recuperado de lesão, a volta ao time titular após seis rodadas. Ocasionalmente projetou uma sequência boa na equipe.

“No tempo que estou na Ponte, acabei me machucando algumas vezes e voltar em um jogo assim é especial, claro pela grandeza do jogo e também para mim, querer fazer um bom jogo, que nosso time saísse com a vitória. Mas acho que no todo foi importante aquele ponto e agora, se Deus quiser, ter uma sequência longa”.

Simultaneamente o futebolista negou que a rotatividade na zaga possa prejudicar o sistema defensivo time.

“Não prejudica muito porque a gente treina sempre junto. Acho que até minha outra estreia contra o CRB foi o primeiro jogo que tive com o Fábio, foi bem tranquilo também depois na sequência contra o Botafogo. O entrosamento, a gente ganha também nos treinos e no jogo a gente só dá sequência a isso”.

Rayan

Afinal o o zagueiro disse que a disputa por uma vaga entre os titulares só ajuda no crescimento da equipe. Do mesmo modo pontuou que a competitividade começa no treino com todos os jogadores tentando melhorar para poder conquistar a titularidade. Em suma informou quando têm essas disputas quem ganha é o time.

Afinal o adversário da Ponte Preta é o Operário-PR, na quarta-feira (22). Juntamente com isso partida da 25ª rodada está marcada para as 21h30, no Germano Kruger no Paraná. Em conclusão fora da zona de rebaixamento há oito rodadas, a Macaca ocupa atualmente a 15ª colocação, com 26 pontos. Em suma vai em busca da primeira vitória como visitante na Série B. Similarmente em 12 jogos fora, a equipe somou apenas quatro pontos dos 36 pontos disputados.

 

 

 

(Foto destaque: Álvaro Jr./PontePress)

Ainah Carvalho
Ahhh o jornalismo, gosto muito do contato, de escrever, falar, questionar e lembro bem que desde pequena sonhava entrevistar os jogadores após o jogo. Aí cresci e o desejo continuava. Entrei para a faculdade de jornalismo e me formei em 2015. Na época da faculdade trabalhei em rádio-escuta em uma assessoria e fui repórter em um site de máquinas. Após a formação trabalhei em uma assessoria com artistas independentes e também já cuidei das redes sociais de um hotel. Fiz bons cursos no Senac como o jornalismo esportivo, grande amor, também fiz apresentação de programas jornalísticos e programas de variedades. Mas o que eu me identifiquei foi apresentar um programa esportivo. Ahhhh esse amor rsrs