Prefeitura de Campinas nos jogos a partir do dia 4 de outubro. (Foto destaque: ÁlvaroJr/ PontePress)

A princípio a notícia da última segunda-feira (27) foi a liberação da Prefeitura de Campinas nos jogos a partir do dia 4 de outubro. Simultaneamente a primeira coisa que vem: quantos torcedores vão poder frequentar? Diante da liberação de 30% do total o Estádio Moisés Lucarelli tem a capacidade de receber  o público de 19.221 e com 30% ficam 5.766 torcedores felizardos.

Por outro lado os números do Brinco de Ouro e do Majestoso foram atualizados nesta segunda-feira (27). Do mesmo modo seguindo os dados do AVCB (Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros) de cada estádio que está em vigência no site da Federação Paulista de Futebol.

Da mesma forma seguindo todos os protocolos como uso de máscara que será obrigatório em todo o estádio. Assim como os clubes terão de exigir dos torcedores que forem aos estádios um comprovante com esquema vacinal completo. Do mesmo modo (duas doses da vacina Coronavac, Astrazeneca e Pfizer ou dose única da Janssen).

Juntamente com isso aqueles que tiverem apenas uma dose das vacinas de duas doses precisam apresentar um teste negativo. Assim também aquele com validade de 48 horas para o tipo PCR ou de 24 horas para o de antígeno.

Em suma não estamos muito distantes da liberação total. Com o cumprimento de todas as normas sanitárias e de prevenção contra a Covid-19 a previsão é que a capacidade seja ampliada para 50% em 16 de outubro. Do mesmo modo para 100% em 1º de novembro.

Prefeitura

Contudo com a decisão, a Ponte vai voltar a receber público no Majestoso a partir do jogo contra o Náutico, ainda sem data definida pela CBF.

Assim também os estádios de Campinas não recebem torcida desde março de 2020. Ainda mais que a CBF aumentou para 30 o número de convidados por clube para os jogos e as diretorias têm chamado alguns torcedores nesse meio.

 

 

(Foto destaque: ÁlvaroJr/ PontePress)

Ainah Carvalho
Ahhh o jornalismo, gosto muito do contato, de escrever, falar, questionar e lembro bem que desde pequena sonhava entrevistar os jogadores após o jogo. Aí cresci e o desejo continuava. Entrei para a faculdade de jornalismo e me formei em 2015. Na época da faculdade trabalhei em rádio-escuta em uma assessoria e fui repórter em um site de máquinas. Após a formação trabalhei em uma assessoria com artistas independentes e também já cuidei das redes sociais de um hotel. Fiz bons cursos no Senac como o jornalismo esportivo, grande amor, também fiz apresentação de programas jornalísticos e programas de variedades. Mas o que eu me identifiquei foi apresentar um programa esportivo. Ahhhh esse amor rsrs