Lembra quando foi o último jogo? (Foto destaque: PontePress/ ÁlvaroJr)

De antemão a Prefeitura de Campinas negou o pedido de Guarani e Ponte Preta para o retorno imediato do público aos estádios. Da mesma forma decidiu acompanhar a data estipulada pelo governo do estado de São Paulo: a partir de 4 de outubro, com 30% da capacidade.

Assim também os times tinham protocolado em conjunto um documento na última quinta-feira (23). Juntamente com isso aguardavam uma resposta das autoridades locais. Vale lembrar que a permissão a partir de 4 outubro também vai valer para ginásios e jogos de vôlei, basquete e futsal

Assim como em nota, a entidade informou que a liberação também vale para os ginásios da Paineiras, do Taquaral e o Rogê Ferreira. Simultaneamente recebem jogos das equipes de basquete, vôlei e futsal da cidade.

Contudo com a decisão, o Guarani vai ser o primeiro a reencontrar a torcida em 9 de outubro (sábado), às 16h30, contra o Londrina. Em contrapartida a Ponte vai voltar a receber público no Majestoso a partir do jogo contra o Náutico, ainda sem data definida pela CBF.

Assim também os estádios de Campinas não recebem torcida desde março de 2020. Ocasionalmente a CBF aumentou para 30 o número de convidados por clube para os jogos. Assim como as diretorias têm chamado alguns torcedores nesse meio.

Prefeitura

Assim como com o comunicado do Governo, a capacidade será limitada para 30% a partir de 4 de outubro. Do mesmo modo com o cumprimento de todas as normas sanitárias e de prevenção contra a Covid-19. De maneira que a previsão é que a capacidade seja ampliada para 50% em 16 de outubro. E para 100% em 1º de novembro.

Em suma aqueles que tiverem apenas uma dose das vacinas de duas doses precisam apresentar um teste negativo com validade de 48 horas. Ou seja, para o tipo PCR ou de 24 horas para o de antígeno.

Afinal o uso de máscara, segundo o protocolo, será obrigatório em todo o estádio.

Em conclusão é aguardar pela divulgação no dia do jogo entre o Náutico.

 

(Foto destaque: PontePress/ ÁlvaroJr)

 

Ainah Carvalho
Ahhh o jornalismo, gosto muito do contato, de escrever, falar, questionar e lembro bem que desde pequena sonhava entrevistar os jogadores após o jogo. Aí cresci e o desejo continuava. Entrei para a faculdade de jornalismo e me formei em 2015. Na época da faculdade trabalhei em rádio-escuta em uma assessoria e fui repórter em um site de máquinas. Após a formação trabalhei em uma assessoria com artistas independentes e também já cuidei das redes sociais de um hotel. Fiz bons cursos no Senac como o jornalismo esportivo, grande amor, também fiz apresentação de programas jornalísticos e programas de variedades. Mas o que eu me identifiquei foi apresentar um programa esportivo. Ahhhh esse amor rsrs