Orientação ao público (Foto destaque: Álvaro Jr/ PontePress)

À primeira vista a Ponte Preta x Náutico marca a volta da torcida ao estádio e a ansiedade do pontepretano é grande. Da mesma forma para aumentar ainda mais essa inquietação a CBF passou o jogo da sexta-feira (15), para sábado (16). O intuito da mudança é a possibilidade do Majestoso receber um público superior à capacidade atual permitida que é de 30%.

Eventualmente a previsão do governo de São Paulo é que a liberação passe para 50% da capacidade justamente no dia 16 de outubro. De maneira que a AVCB (Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros) em vigência no site da Federação Paulista de Futebol indica que o limite do estádio é de 19.221 torcedores. Juntamente com isso a metade disso seria 9.610.

Por outro lado o retorno gera expectativa para todo o time e Gilson Kleina ressalta:

“Que esse encontro seja de apoio. Vi muitas torcidas indo e tendo protesto, briga de torcedor com treinador. Nosso time é jovem. A gente sabe que, dentro do Moisés, a torcida faz a diferença. Esse encontro é mágico. Vamos preparar para fazer de tudo para dar uma vitória para eles” disse.

Ponte Preta x Náutico- como vai funcionar

De acordo com comunicado do Governo, a capacidade está limitada para 30% desde 4 de outubro, com o cumprimento de todas as normas sanitárias . Tal como a previsão é que a capacidade seja ampliada para 50% em 16 de outubro e para 100% em no dia 1 de novembro.

Além disso os clubes terão de exigir dos torcedores que forem aos estádios um comprovante com esquema vacinal completo (duas doses das vacinas ou dose única da Janssen).

Ou seja, aqueles que tiverem apenas uma dose das vacinas de duas doses precisam apresentar um teste negativo com validade de 48 horas para o tipo PCR ou de 24 horas para o de antígeno. Segundo o protocolo, o uso de máscaras será obrigatório em todo o estádio.

Em conclusão a Ponte não faz um jogo com torcida em seu próprio estádio desde o dia 12 de março de 2020, quando enfrentou o Afogados pela terceira fase da Copa do Brasil e a expectativa pelo retorno é grande.

 

(Foto destaque: Álvaro Jr/ PontePress)

Ainah Carvalho
Ahhh o jornalismo, gosto muito do contato, de escrever, falar, questionar e lembro bem que desde pequena sonhava entrevistar os jogadores após o jogo. Aí cresci e o desejo continuava. Entrei para a faculdade de jornalismo e me formei em 2015. Na época da faculdade trabalhei em rádio-escuta em uma assessoria e fui repórter em um site de máquinas. Após a formação trabalhei em uma assessoria com artistas independentes e também já cuidei das redes sociais de um hotel. Fiz bons cursos no Senac como o jornalismo esportivo, grande amor, também fiz apresentação de programas jornalísticos e programas de variedades. Mas o que eu me identifiquei foi apresentar um programa esportivo. Ahhhh esse amor rsrs