Ponte Preta treinou e viajou rumo à Chapecó. (Foto destaque: Reprodução/ Diego Almeida/ PontePress)

Desde já, a Série B está disputada nessa reta final e a Ponte Preta treinou na manhã desta quarta-feira (20), antes de viajar para Chapecó. Bem como, após encerrar a preparação no Majestoso, o elenco alvinegro embarcou no início da tarde com a escalação praticamente definida para o duelo decisivo desta quinta (21), contra a Chapecoense, às 17h45.

Reprodução/ Diego Almeida/ PontePress
Reprodução/ Diego Almeida/ PontePress
Reprodução/ Diego Almeida/ PontePress

Do mesmo modo, Moreno tem o praticamente todo grupo à disposição, com exceção do goleiro Ivan (recuperação de cirurgia no punho) e de João Veras e Danrley, afastados após flagra em casa noturna desrespeitando o protocolo contra a Covid-19. Assim como, se nenhum imprevisto acontecer, a Macaca terá apenas uma novidade entre os titulares, com Dawhan no lugar do suspenso Barreto.

Ainda mais que Guilherme Lazaroni volta a ficar à disposição depois de se recuperar de um problema muscular no posterior da coxa esquerda. No entanto, Yuri, com duas assistências nos últimos dois jogos, será mantido na função para a reta final por opção de Fábio Moreno, comandante da equipe.

Da mesma forma, a intenção do treinador é dar moral para a base titular depois da boa atuação diante do Náutico – vitória por 2 x 0 no último domingO (17). Por outro lado, a partida contra a Chapecoense é decisiva para as chances alvinegras de acesso. Com os resultados de Juventude e CSA na terça (19) a diferença para o G-4 chegou a cinco pontos, mas pode cair para dois – era de quatro no início da rodada.

Ponte Preta com Yuri

Inicialmente a arrancada final do time na luta por um acesso que ganhou ares de esperança nesta reta final de Série B, conta com um atleta. Bem como Yuri voltou a assumir a lateral-esquerda da equipe campineira e agarrou bem a oportunidade, com direito a duas assistências para gols nos últimos dois jogos.

Segundo o atleta em entrevista coletiva nesta quarta-feira (20), o crédito a nova fase da carreira às reflexões provocadas pela pandemia do coronavírus

 Sempre trabalhei muito. Uma coisa que me fez muito bem foi o pós-pandemia. Acho que sou um outro jogador após a pandemia, sabendo do que quero, dos meus objetivos, e nosso grupo é muito qualificado. Os treinadores passados optaram por outras peças, e eu sempre respeitei. Uma hora ou outra, eu sabia que a oportunidade ia chegar, e eu tinha que estar pronto.

Falou também:

“Estou titular há dois jogos. Quando joguei contra o Cuiabá, sabia que, de repente, poderia ser só aquela partida, então tentei aproveitar da melhor forma. Jogador precisa de sequência, e a sequência é importante. Estou tentando fazer o meu melhor. Sempre trabalhei, me dediquei e agora estou colhendo os frutos do trabalho.”, disse.

Em conclusão, a Ponte tem 51 pontos, contra 56 do CSA. Ainda mais que agora atual quarto colocado e o Juventude caiu para quinto, com 55. Bem como com foco voltado totalmente para o confronto contra a Chapecoense, o elenco está confiante de que, mesmo diante do favoritismo da Chape, é possível mostrar um bom futebol em campo e lutar por mais três pontos.

 

Foto destaque: Reprodução/ Diego Almeida/ PontePress

Ainah Carvalho
Ainah Carvalho
Ahhh o jornalismo, gosto muito do contato, de escrever, falar, questionar e lembro bem que desde pequena sonhava entrevistar os jogadores após o jogo. Aí cresci e o desejo continuava. Entrei para a faculdade de jornalismo e me formei em 2015. Na época da faculdade trabalhei em rádio-escuta em uma assessoria e fui repórter em um site de máquinas. Após a formação trabalhei em uma assessoria com artistas independentes e também já cuidei das redes sociais de um hotel. Fiz bons cursos no Senac como o jornalismo esportivo, grande amor, também fiz apresentação de programas jornalísticos e programas de variedades. Mas o que eu me identifiquei foi apresentar um programa esportivo. Ahhhh esse amor rsrs

Artigos Relacionados