Ponte Preta. (Foto destaque: Diego Almeida/PontePress)

Inicialmente, depois de enfrentar uma maratona de quatro jogos em dez dias, a Ponte Preta tem feito inédito. Tal como o o time tem um período de descanso extenso entre compromissos pela Série B. Assim como após o empate contra o Avaí, realizado na última terça-feira (5) a Macaca só voltará à campo no dia 16 de outubro, diante do Náutico.

Assim também após um tempo de preparação inédito, em sua campanha na temporada de 2021. Além disso o clube campineiro viu seu final de setembro e começo de outubro se desdobrar.

Bem como com as discussões sobre decisões da arbitragem, as últimas quatro rodadas da Macaca foram marcadas por pênaltis duvidosos. De maneira que marcados nos minutos finais das partidas contra CSA por 2×1 e Vila Nova ficou empatado em 1×1 que alteraram diretamente os resultados dos duelos.

Eventualmente a equipe foi capaz de acumular uma sequência inconstante de resultados, adquirindo duas vitórias, um empate e uma derrota.

Ponte Preta

Em suma tendo superado o ritmo intenso do calendário, os comandados de Gilson Kleina agora estão aproveitam dez dias de preparação diante do próximo compromisso. Do mesmo modo o período se mostra como o mais extenso que o time já pôde aproveitar até o momento na competição.

Afinal, o intervalo de tempo foi garantido após a mudança de data realizada pela CBF, na última terça-feira (5), que adicionou um dia ao período longe dos gramados da Ponte.

Simultaneamente para o próximo jogo o time deve contar com jogadores que estão no Departamento Médico. Bem Rodrigão tem tempo para se preparar fisicamente. A saber na última partida foram cinco desfalques por problemas físicos. Além de Rodrigão, não atuaram Ivan (dores no tornozelo direito), Felipe Albuquerque (trauma no tornozelo direito). Tal como Cleylton (coxa esquerda) e Fessin (tornozelo). Bem como Rayan que ficou de fora também pelo terceiro cartão amarelo.

 

 

Foto destaque: Diego Almeida/PontePress

Ainah Carvalho
Ahhh o jornalismo, gosto muito do contato, de escrever, falar, questionar e lembro bem que desde pequena sonhava entrevistar os jogadores após o jogo. Aí cresci e o desejo continuava. Entrei para a faculdade de jornalismo e me formei em 2015. Na época da faculdade trabalhei em rádio-escuta em uma assessoria e fui repórter em um site de máquinas. Após a formação trabalhei em uma assessoria com artistas independentes e também já cuidei das redes sociais de um hotel. Fiz bons cursos no Senac como o jornalismo esportivo, grande amor, também fiz apresentação de programas jornalísticos e programas de variedades. Mas o que eu me identifiquei foi apresentar um programa esportivo. Ahhhh esse amor rsrs