Ponte Preta espera pela volta de Rodrigão que devido a sintomas gripais não participou do time na vitória contra o Brasil de Pelotas. (Foto destaque: Álvaro Jr./PontePress)

De antemão a Ponte Preta entra em campo na próxima quarta-feira (29), diante do CSA. De maneira que a partida acontece no estádio Rei Pelé e é válida pela 27ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro. Da mesma forma a pergunta é sobre a volta de Rodrigão que devido a sintomas gripais não participou do time na vitória contra o Brasil de Pelotas, no Moisés Lucarelli.

Da mesma forma a comissão técnica ainda espera o novo exame do futebolista. Por outro lado o centroavante foi preservado da partida por apresentar problemas gripais. Bem como passará por uma bateria nova de testes dentro do protocolo de Covid-19.

Eventualmente para a partida o técnico Gilson Kleina terá à disposição duas novas opções: o zagueiro Fábio Sanches e o volante André Luiz. Juntamente com isso os dois atletas cumpriram suspensão na última rodada contra o Brasil.

Tal como foram substituídos por Cleylton e Lucas Cândido. Assim como o desempenho dos futebolistas deixa ainda mais acirrada a disputa por uma vaga no time titular. Bem como a pergunta que fica é: e aí Gilson Kleina quem vai ganhar a vaga no time titular?

Em suma o time chega aos 32 pontos e está cada vez mais distante da zona de rebaixamento. Tal como ocupa a 13ª posição.

Ponte Preta

Desde já o retrospecto entre as equipes é favorável para o time alvinegro. Do mesmo modo se enfrentaram oito vezes, com cinco vitórias para a Macaca, dois empate e uma vitória para o Azulão. Assim como as equipes se encontraram pelo Brasileirão e pela série B.

Da mesma forma primeiro jogo entre as duas equipe foi pelo Brasileirão de 1978 no Rei Pelé, o CSA perdeu por 2 x 1. Eventualmente o último duelo foi agradável para a Ponte que venceu por 2×1 pela 8ª rodada,no Moisés Lucarelli.

 

(Foto destaque: Álvaro Jr./PontePress)

Ainah Carvalho
Ahhh o jornalismo, gosto muito do contato, de escrever, falar, questionar e lembro bem que desde pequena sonhava entrevistar os jogadores após o jogo. Aí cresci e o desejo continuava. Entrei para a faculdade de jornalismo e me formei em 2015. Na época da faculdade trabalhei em rádio-escuta em uma assessoria e fui repórter em um site de máquinas. Após a formação trabalhei em uma assessoria com artistas independentes e também já cuidei das redes sociais de um hotel. Fiz bons cursos no Senac como o jornalismo esportivo, grande amor, também fiz apresentação de programas jornalísticos e programas de variedades. Mas o que eu me identifiquei foi apresentar um programa esportivo. Ahhhh esse amor rsrs