Moisés segue trabalhando de fora. (Foto destaque: Diego Almeida/PontePress)

Em primeiro lugar dérbi sempre reserva surpresas na escalação e na manhã desta quarta-feira (15), Gilson Kleina vai preparando a Ponte Preta para o dérbi 201. Ou seja, enquanto espera pela recuperação de Moisés o comandante trabalha com o que tem à disposição. Da mesma forma o técnico comandou no Majestoso, mais um trabalho de olho no clássico de sexta-feira (17), às 21h30, no Moisés Lucarelli.

Eventualmente o atacante realiza em tratamento intensivo no joelho. Do mesmo modo além do mistério envolvendo o jogador, existe a possibilidade de outras mudanças no time titular da Macaca. Assim também no ataque, a expectativa fica em cima das condições de Rodrigão e Niltinho. Tal como  os atletas treinam normalmente desde o início da semana.

Além disso Rodrigão, desfalque contra o Cruzeiro devido a uma virose, deve reassumir a referência ofensiva no lugar de João Veras. Analogamente Niltinho, estava em transição desde o fim da semana passada e disputa posição com Richard.

Juntamente com isso no meio de campo, a tendência é que a dupla de volantes seja mantida, com André Luiz e Marcos Júnior. Do mesmo modo Lucas Cândido, Yago Henrique e Vini Locatelli são alternativas.

Simultaneamente a principal dúvida na defesa vai envolver a lateral esquerda, com o retorno de Rafael Santos ou a manutenção de Marcelo Hermes.

Moisés segue no DM e Ponte se preparando

Afinal a Ponte encerra a preparação na quinta-feira (16) pela manhã. Assim também o local não tem sido divulgado com antecedência na semana do dérbi.

Em suma nos últimos anos, a Macaca conseguiu se reaproximar e chegou na marca de 66 vitórias. Por outro lado o Guarani, com a vitória no primeiro turno, tem 68 triunfos em dérbis. Nesse ínterim dos 200 jogos disputados foram também 65 empates.

Em conclusão com 25 pontos, a Macaca caiu uma colocação e agora aparece à beira da degola, em 16º. Juntamente com isso ao menos a diferença para o Z-4 continuou em dois pontos.

 

(Foto destaque: Diego Almeida/PontePress)

Ainah Carvalho
Ahhh o jornalismo, gosto muito do contato, de escrever, falar, questionar e lembro bem que desde pequena sonhava entrevistar os jogadores após o jogo. Aí cresci e o desejo continuava. Entrei para a faculdade de jornalismo e me formei em 2015. Na época da faculdade trabalhei em rádio-escuta em uma assessoria e fui repórter em um site de máquinas. Após a formação trabalhei em uma assessoria com artistas independentes e também já cuidei das redes sociais de um hotel. Fiz bons cursos no Senac como o jornalismo esportivo, grande amor, também fiz apresentação de programas jornalísticos e programas de variedades. Mas o que eu me identifiquei foi apresentar um programa esportivo. Ahhhh esse amor rsrs