Kleina sobre a situação de João Veras na Ponte: "Deixa eu falar uma coisa. Problema do Veras é indisciplina. É isso" (Foto destaque: Ricardo Chicarelli/Londrina EC)

À primeira vista, sobre a derrota de virada da Ponte Preta diante do Londrina, Kleina foi questionado sobre outros assuntos como a situação de João Veras, que pelo sexto jogo seguido sequer foi relacionado, mesmo com a ausência de Rodrigão.

Bem como, o comandante disse que a questão é extracampo, mas sem entrar em detalhes – antes, o treinador falava em escolha técnica:

“Deixa eu falar uma coisa. Problema do Veras é indisciplina. É isso”

Simultaneamente, com a derrota para o Londrina a Ponte viu a distância para a degola cair de cinco para dois pontos, com mais seis em disputa e Kleina falou sobre a situação.

“A derrota é ruim, faltando seis pontos. Chega todo mundo vivo, mas a gente depende das nossas forças. É acreditar e gerar otimismo e ser positivo. Quem acredita pode sair dessa situação. Não posso colocar todo mundo no buraco. Temos de levantar a cabeça e deixar o pessimismo de lado, mas não a realidade”.

Kleina

A saber, o próximo compromisso do time será contra o Confiança. Do mesmo modo, em novo duelo direto, também fora de casa, aconteceno próximo sábado (20), às 16h30. Nesse ínterim, depois, o time fecha a campanha diante do Coritiba, dia 28, no Majestoso.

Por outro lado, sobre uma análise do jogo:

A gente chegou com o emocional fortalecido aqui. Eram cinco jogos pontuando, decisão em cima de decisão, e vai continuar assim. Esses erros técnicos passam também pela situação de querer resolver”.

Ou seja, também ressaltou:

“Acho que o justo seria o empate pelo que os times fizeram. A intensidade de hoje foi prejudicada, mas também vejo que o Londrina só tinha o trabalho pelo lado. Tivemos a transição ofensiva, e em dois lances que o Iago sairia na cara do gol, puxaram a camisa, e o árbitro nem falta deu”.

 

Foto destaque: Ricardo Chicarelli/Londrina EC

 

Ainah Carvalho
Ahhh o jornalismo, gosto muito do contato, de escrever, falar, questionar e lembro bem que desde pequena sonhava entrevistar os jogadores após o jogo. Aí cresci e o desejo continuava. Entrei para a faculdade de jornalismo e me formei em 2015. Na época da faculdade trabalhei em rádio-escuta em uma assessoria e fui repórter em um site de máquinas. Após a formação trabalhei em uma assessoria com artistas independentes e também já cuidei das redes sociais de um hotel. Fiz bons cursos no Senac como o jornalismo esportivo, grande amor, também fiz apresentação de programas jornalísticos e programas de variedades. Mas o que eu me identifiquei foi apresentar um programa esportivo. Ahhhh esse amor rsrs