Kleina falou após o jogo a Ponte Preta que segue imbatível em casa venceu mais uma vez. (Foto destaque: Álvaro Jr/ PontePress)

Antes de mais nada a Ponte Preta segue imbatível em casa e venceu mais uma vez. De maneira que a vítima deste domingo (26) foi o Brasil de Pelotas. Tal como se engana quem acredita que a vitória foi tranquila já que o adversário era o último colocado. Ainda mais que o visitado teve dois gols anulados pelo VAR, bola na trave e gol apenas aos 43 minutos do segundo tempo gol de João Veras. Kleina falou após o jogo sobre a partida:

Hoje foi um jogo em que propusemos nós conseguimos trabalhar no campo ofensivo dentro do campo do adversário. O adversário esperava só um contra-ataque, uma transição e às vezes nos pecávamos e essa não era a melhor escolha”

Da mesma forma o comandante diz que a parte mental do time após os últimos três jogos: dérbi, primeira vitoria fora de casa e consolidação da vitória no Majestoso aumentou a confiança:

“Depois você enfrentar o Brasil um jogo que nós sabíamos que íamos enfrentar o lanterna, mas uma coisa que pedimos para que não olhássemos a tabela é um jogo difícil  perigoso a proposta do pelotas era jogar por uma bola esperar nosso erro e eu acho que o grande mérito dessa vitória foi que a equipe não desequilibrou e manteve o foco, manteve a plataforma do jogo “

Assim como pontua que a grande valia pra você fazer os três pontos em uma vitoria difícil que foi muito merecedora. Eventualmente questionado sobre a titularidade de Richard, o treinador aproveitou para destacar o comprometimento do grupo com o clube:

“O Richard às vezes faz uma função que não aparece para o torcedor. É um jogador muito comprometido. A gente quer, claro, que todos façam gols. Quando o Richard estava no banco, o titular era o Niltinho, e o Niltinho lesionou. Aí o Richard entrou e está fazendo uma função muito importante para o time. É um jogador muito profissional, que se lesiona pouco”

Kleina

Simultaneamente Kleina também destacou o equilíbrio emocional da Ponte para não se abalar com os lances anulados. Do mesmo modo destacou a maturidade para não cair na estratégia que o adversário e o time criou situações para sair do ‘ferrolho' deles.

“Tivemos a tranquilidade. Claro que em alguns momentos não encaixamos as jogadas e levamos transições. O Ivan trabalhou pouco, mas realmente fica um jogo perigoso, com dois gols anulados, duas bolas na trave. Isso vai tirando você da execução. Mas a gente manteve a concentração, e saímos com os três pontos”.

Nesse ínterim o próximo desafio da Ponte acontece na próxima quarta-feira (29), às 21h30, contra o CSA, no Rei Pelé. Bem como á de olho Kleina falou em observar a condição física de determinados atletas, como o zagueiro Rayan e o volante Lucas Cândido.

“A gente sempre tem que acreditar, fazer ajustes e melhorar. Tivemos algumas situações para esse jogo depois de uma atuação muito competitiva lá contra o Operário. Ainda perdemos jogadores importantes, como o Rodrigão e o Iago. É trabalhar nessas situações. Temos alguns jogadores que precisamos avaliar de maneira minuciosa, são jogadores especiais, como o Lucas, o Rayan. Precisamos ter minutagem para eles, mas respeitar a condição de cada um também”.

(Foto destaque: Álvaro Jr/ PontePress)

Ainah Carvalho
Ahhh o jornalismo, gosto muito do contato, de escrever, falar, questionar e lembro bem que desde pequena sonhava entrevistar os jogadores após o jogo. Aí cresci e o desejo continuava. Entrei para a faculdade de jornalismo e me formei em 2015. Na época da faculdade trabalhei em rádio-escuta em uma assessoria e fui repórter em um site de máquinas. Após a formação trabalhei em uma assessoria com artistas independentes e também já cuidei das redes sociais de um hotel. Fiz bons cursos no Senac como o jornalismo esportivo, grande amor, também fiz apresentação de programas jornalísticos e programas de variedades. Mas o que eu me identifiquei foi apresentar um programa esportivo. Ahhhh esse amor rsrs