Kleina e Tiãozinho. (Foto: Álvaro Jr/ PontePress)

Inicialmente, na gestão de Tiãozinho, Gilson Kleina chega a 28 jogos consecutivos à frente da Ponte Preta. Além disso, o empate contra o Avaí na última terça-feira (5), por 1 x 1, transformou como o técnico mais duradouro em número de partidas com oito vitórias, 10 empates e 10 derrotas.

Da mesma forma o comandante estava empatado com Fábio Moreno que tinha 27 jogos. Bem como dirigiram a Ponte durante a administração de Tiãozinho, desde novembro de 2019, João Brigatti (24 jogos), Marcelo Oliveira (14) e o próprio Gilson na passagem anterior (26).

Juntamente com isso no aproveitamento, o atual retrospecto supera o seu último trabalho na Macaca. No entanto, deixa o treinador atrás de João Brigatti e também Fábio Moreno.

Kleina

Simultaneamente, o comandante tem 215 partidas à frente da Ponte em cinco passagens (2011-2012, 2017, 2018, 2019-2020 e agora). Imediatamente com 83 vitórias, 62 empates e 70 derrotas ao todo.

Em suma, é  o quarto treinador que mais vezes comandou a Macaca na história, atrás de Zé Duarte (245), Nico (260) Cilinho (345).

Assim como, o trabalho neste momento é marcado pela luta contra o rebaixamento na Série B. Vale lembrar que neste momento, a Macaca tem quatro pontos de vantagem para a degola 34, contra 30 do Londrina, que abre o Z-4.

Afinal, sem vencer há três rodadas, a Ponte volta a campo no sábado (16), quando recebe o Náutico. Ainda mais que o jogo acontece às 16h, e terá a volta da torcida ao Majestoso.

Nesse ínterim, Ponte Preta x Náutico se enfrentaram 24 vezes pelo Brasileirão, Série B e Copa do Brasil. Por outro lado a Macaca venceu 9 vezes, o Timbu venceu 7. Assim também  esses encontros ficaram empatados 8 vezes. Afinal, os números são equilibrados e até a data os dois times buscam recuperar atletas que estão no Departamento Médico.

 

Foto: Álvaro Jr/ PontePress

Ainah Carvalho
Ahhh o jornalismo, gosto muito do contato, de escrever, falar, questionar e lembro bem que desde pequena sonhava entrevistar os jogadores após o jogo. Aí cresci e o desejo continuava. Entrei para a faculdade de jornalismo e me formei em 2015. Na época da faculdade trabalhei em rádio-escuta em uma assessoria e fui repórter em um site de máquinas. Após a formação trabalhei em uma assessoria com artistas independentes e também já cuidei das redes sociais de um hotel. Fiz bons cursos no Senac como o jornalismo esportivo, grande amor, também fiz apresentação de programas jornalísticos e programas de variedades. Mas o que eu me identifiquei foi apresentar um programa esportivo. Ahhhh esse amor rsrs

Deixe um comentário