Kleina diz que tinha noite que ia dormir sem saber se conseguiria evitar o rebaixamento. (Foto destaque: Reprodução SporTV)

De antemão, a permanência da Ponte Preta na Série B foi muita emoção para a torcida, para os jogadores e principalmente a Kleina que se ajoelhou e explicou emoção com permanência da Ponte na Série B.

Além disso, depois de cumprimentos e abraços em jogadores e outros integrantes da comissão técnica, limpou os olhos emocionados. Do mesmo modo, uma mistura de quem admitiu que tinha noite que ia dormir sem saber se conseguiria evitar o rebaixamento. Por outro lado, comparou o fim do sofrimento à conquista de um título.

“Não vou negar para vocês que tinha momento que eu ia para casa e não tinha resposta ou palavra para chegar no outro dia, como eu poderia conversar e mobilizar o grupo. Foram muitos processos. Fica o aprendizado para todos. Para mim foi um ano de muito aprendizado. A permanência para mim foi como um titulo, um sentimento de alívio, a responsabilidade era muito grande. Uma coisa que eu falei é que o trabalho é árduo, mas ele recompensa.

Por outro lado, como Ivan, o comandante pediu que a campanha na Série B e os problemas enfrentados nos bastidores sirvam de reflexão para o futuro do clube.

“Foram momentos muito difíceis, eu tinha anotado algumas coisas, durante a semana a gente pode conversar sobre os momentos mais difíceis. Dizer que se você não tiver uma energia, um entendimento de Ponte, vai ter muita dificuldade. De repente eu não fui na cabeça de alguns o primeiro nome, mas quando a Ponte me chamou, sabia que teria dificuldades, mas não poderia falar não pela Ponte”

Assim também, mencionou que em quase todas as cinco passagens pelo clube cumpriu a missão. De maneira que, a reflexão tem que ser para todos, pois a Série B, cada ano que passa, fica ainda mais difícil, quase uma Série A disfarçada, com tantos times tradicionais na elite.

Em suma, o resultado positivo sobre o Confiança, levou a Ponte aos 46 pontos, abrindo cinco de vantagem para o Londrina, primeiro time do Z-4,

Kleina

Além disso, o comandante trouxe o amor que tem pelo clube que abdicou até da minha família, eles não vieram para Campinas, vi muito pouco, mas tiveram o entendimento em prol de deixar a Ponte na Série B.

“Não é a luta que a gente queria, mas te que ter leitura pelo que aconteceu. O trabalho de toda a diretoria, com o presidente também, em reuniões periódicas. Sofremos juntos e estamos fazendo nossa entrega”.

Em conclusão, Kleina citou que não foi um grande ano, mas tiveram um final feliz. Bem como, pontuou sobre o próximo jogo diante do Coritiba no domingo (28), em que o time vai cumprir tabela.

“É reconhecer a nossa limitação co a permanência. Mesmo sendo o último jogo, não sei se será uma despedida, que a nossa torcida compareça no jogo do Coritiba, possa apoiar e incentivar o grupo que se dedicou. Estar perto da torcida e agradecer de coração por tudo que fez pela gente”

 

Foto destaque: Reprodução SporTV

Ainah Carvalho
Ahhh o jornalismo, gosto muito do contato, de escrever, falar, questionar e lembro bem que desde pequena sonhava entrevistar os jogadores após o jogo. Aí cresci e o desejo continuava. Entrei para a faculdade de jornalismo e me formei em 2015. Na época da faculdade trabalhei em rádio-escuta em uma assessoria e fui repórter em um site de máquinas. Após a formação trabalhei em uma assessoria com artistas independentes e também já cuidei das redes sociais de um hotel. Fiz bons cursos no Senac como o jornalismo esportivo, grande amor, também fiz apresentação de programas jornalísticos e programas de variedades. Mas o que eu me identifiquei foi apresentar um programa esportivo. Ahhhh esse amor rsrs

Deixe um comentário