Hoje não dá tem jogo da Ponte! (Foto destaque: Marcos Oliveira)

À primeira vista sabadão e a frase Hoje não dá tem jogo da Ponte faz parte do cotidiano do pontepretano em dias que o time entra em campo. Do mesmo modo hoje não é diferente a partida será contra o Vila Nova, às 21h, no Moisés Lucarelli, em Campinas.

De maneira que o confronto é válido pela 28ª rodada da Série B os dois times chegam por um ponto na tabela. Ainda mais que tentam se afastar da zona de rebaixamento. Tal como a Ponte chega com 32 pontos e busca a reabilitação após a derrota por 2 x 1 para o CSA.

Assim como a aposta é no retrospecto em casa já que são seis vitórias em sete jogos seguidos de invencibilidade no Majestoso. Além disso da análise dos jogos entre as equipes que evidencia uma superioridade da Macaca. Assim como nos 21 duelos já registrados o time campineiro venceu 10 vezes, enquanto viu o placar ficar empatado em outras sete vezes. Bem como foi superada pelo Tigre somente em quatro partidas.

Ocasionalmente a Ponte deve ter mudanças. Tal como Ivan suspenso por três cartões amarelos, Ygor Vinhas assume a vaga. Bem como  o zagueiro Rayan, preservado em Maceió, deve reassumir um lugar na zaga ao lado de Fábio Sanches ou Cleylton.  Além disso, o próprio técnico Gilson Kleina não ficará no banco, pois foi expulso contra o CSA.

Assim como   Léo Naldi disputa posição com André Luiz no meio. Por outro lado Fessin, com dores no tornozelo, é dúvida. Juntamente com isso Camilo e Thalles são as principais opções.

Hoje não dá tem jogo da Ponte!!

Simultaneamente essa é a provável escalação: Ygor Vinhas, Felipe Albuquerque, Fábio Sanches (Cleylton), Rayan e Rafael Santos; André Luiz (Léo Naldi), Marcos Júnior e Camilo (Fessin ou Thalles); Richard, Moisés e Veras.

Em conclusão você confere no Premiere, a partida que terá Adriano Barros Carneiro (CE) apitando.

 

 (Foto destaque: Marcos Oliveira)

Ainah Carvalho
Ahhh o jornalismo, gosto muito do contato, de escrever, falar, questionar e lembro bem que desde pequena sonhava entrevistar os jogadores após o jogo. Aí cresci e o desejo continuava. Entrei para a faculdade de jornalismo e me formei em 2015. Na época da faculdade trabalhei em rádio-escuta em uma assessoria e fui repórter em um site de máquinas. Após a formação trabalhei em uma assessoria com artistas independentes e também já cuidei das redes sociais de um hotel. Fiz bons cursos no Senac como o jornalismo esportivo, grande amor, também fiz apresentação de programas jornalísticos e programas de variedades. Mas o que eu me identifiquei foi apresentar um programa esportivo. Ahhhh esse amor rsrs