O Grêmio continua não obtendo bons resultados. Ainda com um jogo faltando, o time gaúcho se encontra na 18ª posição na tabela e corre o risco de cair. E, como resultado desse cenário, o vestiário pós-jogo contra o Sport, no último domingo (3), foi caótico. Jogadores acusaram uns aos outros e problemas na parte técnica do time, ou seja, em como Felipão trabalha. Ao que parece, o técnico do Grêmio segue mais a diretoria e tem menos contato com os jogadores. Portanto, o trabalho de treinar e definir as estratégias tem ficado com Paulo Turra e gerado atritos.

Ainda assim, as comparações entre o antigo e novo técnico não param. Para os jogadores, Renato Portaluppi era alguém que tinha uma relação mais leve e tentava manter as posições do elenco. Já com Felipão, é o contrário – uma relação profissional, e o técnico segue as decisões da diretoria do clube.

Problemas em campo com o Grêmio

Outra reclamação que tem tido quanto ao time são as estratégias em jogos. Felipão insiste em arrumar a escalação de forma defensiva, mas o elenco acredita que tem potencial para serem agressivos. E isso tem mostrado insatisfação porque dois jogadores com o perfil mais ativo tem ficado no bando sem oportunidades.

O que resta saber é se após as conversas entre o elenco, a diretoria e Felipão, alguma coisa será mudada no jogo de hoje (6) entre Grêmio x Cuiabá, na Arena do Grêmio. Para que o time gaúcho saia da zona de rebaixamento, é importante que hoje deixe o gramado com uma vitória. Ainda mais quando quando não contará com Borja, lesionado, e Villasanti, escalado na seleção do Paraguai.

Foto destaque: Lucas Uebel/Grêmio FBPA

Eduarda Esposito
Formada em jornalismo pela Universidade de Brasília (UnB), apaixonada por esportes e futebol. Escritora livre e apaixonada por leitura, incentivadora dos esportes femininos e da representatividade das mulheres em todas as áreas. Brasiliense de nascença e 24 anos de mistura brasileira.