Gols de Moisés garantiram três vitórias e um empate à Ponte durante a Série B. (Foto destaque: Álvaro Jr/ PontePress)

À primeira vista, que Moisés foi um dos responsáveis pela permanência da Ponte Preta na Série B, é a verdade. Do mesmo modo, no último sábado (20), contra o Confiança, aos 28 min do 2º tempo, o artilheiro foi decisivo, mais uma vez. A saber, das sete vezes que marcou, o futebolista deu diretamente dez pontos à Macaca. Assim, foram três vitórias e um empate graças aos gols.

Juntamente com isso, se não fossem os gols de Moisés em compromissos contra Confiança, a Macaca não teria vencido Londrina e CSA no primeiro turno, ambos por 2 x 1, no Majestoso. Do mesmo modo, nem empatado com o Náutico no Recife, por 1 x 1, também no primeiro turno.

Por outro lado, o atacante ainda foi às redes na vitória por 3 x 0 sobre o Brusque, contra o Confiança por 4 x 2. Logo, os gols não foram determinantes para o resultado final. Da mesma forma, na derrota recente por 2 x 1 de virada contra o Londrina.

Vale lembrar, que até o jogo com o Londrina, no Estádio do Café, pela rodada 36, Moisés amargou um  jejum de 14 partidas sem marcar. No entanto, voltou a ser decisivo:

“Para um atacante é muito difícil ficar muitas rodadas sem balançar as redes, mas continuei trabalhando e com muita fé acreditei que o gol viria e, graças a Deus, veio no momento certo. Ele proporcionou esse momento e me abençoou com os gols no momento mais difícil”, disse o craque.

Gols de Moisés garantiram três vitórias e um empate à Ponte

Simultaneamente, ao todo, o futebolista marcou 13 vezes com a camisa alvinegra na temporada (foram seis pelo Paulistão). De maneira que, para se despedir da Série B contra o Coritiba, na sexta-feira (26), às 19h, no Majestoso, Moisés faz um balanço individual e coletivo da temporada.

“Minha temporada foi de altos e baixos, mas acredito que consegui mostrar uma evolução de 2020 para 2021. São 13 gols na temporada e acredito que fiz um bom ano individualmente, apesar de que infelizmente não conseguimos atingir os objetivos da equipe. Mas fica a expectativa para que 2022 seja melhor”.

Afinal, o jogador é visto como um dos principais ativos da Ponte para fazer caixa. Em abril, a Macaca pagou R$ 500 mil por 50% dos direitos econômicos. Bem como, com contrato até 30 de abril de 2024 e o restante está dividido entre Concórdia (10%) e jogador (40%).

 

Foto destaque: Álvaro Jr/ PontePress

Ainah Carvalho
Ahhh o jornalismo, gosto muito do contato, de escrever, falar, questionar e lembro bem que desde pequena sonhava entrevistar os jogadores após o jogo. Aí cresci e o desejo continuava. Entrei para a faculdade de jornalismo e me formei em 2015. Na época da faculdade trabalhei em rádio-escuta em uma assessoria e fui repórter em um site de máquinas. Após a formação trabalhei em uma assessoria com artistas independentes e também já cuidei das redes sociais de um hotel. Fiz bons cursos no Senac como o jornalismo esportivo, grande amor, também fiz apresentação de programas jornalísticos e programas de variedades. Mas o que eu me identifiquei foi apresentar um programa esportivo. Ahhhh esse amor rsrs

Deixe um comentário