Gilson Kleina evitou críticas à postura do time e preferiu focar no que a presença de público afeta no comportamento do time dentro de campo. (Foto destaque: Diego Almeida/ PontePress) 

Desde já o duelo da Ponte Preta contra o Cruzeiro pela parte de baixo da tabela que acontece no próximo sábado (11), terá uma novidade: volta da torcida. A saber após 18 meses e mesmo que na condição de visitante. Assim como Gilson Kleina evitou críticas à postura do time e preferiu focar no que a presença de público afeta no comportamento do time dentro de campo.

“Nós temos que nos preparar para a chegada do torcedor. Isso não resta a menor dúvida. Mas assim: deu para ver durante a semana que o Cruzeiro se mobilizou para ter público. Passamos para os atletas que isso vai acontecer com a gente daqui a pouco, e isso muda a atmosfera e muda a motivação de todos. Mas o espírito precisa ser o mesmo e tentar fazer da atmosfera positiva para nós”.

Eventualmente com uma liminar do STJD e contrariando o acordo do Conselho Técnico da Série B, o Cruzeiro levou o duelo para a Arena do Jacaré. Bem como em Sete Lagoas, com a expectativa de receber até 5,4 mil torcedores.

Juntamente com isso em reunião virtual na última quarta (8), a maioria dos clubes da Série B decidiu que após 80% das cidades envolvidas com a competição tenham o aval das autoridades. Ou seja, somente com esses números para liberar a presença de torcida. Ainda mais que um novo encontro vai acontecer em 17 de setembro para discutir sobre o assunto.

Em suma os outros clubes resolveram tentar derrubar a liminar concedida ao Cruzeiro, mas só devem ter uma resposta da ação a partir da próxima semana.

Gilson Kleina

Simultaneamente a Ponte vai em busca vai em busca da primeira vitória fora de casa na Série B.

“Nosso time está tendo um desempenho interessante, mas, claro que ainda oscila, e quando oscila, acabamos tomando os gols. Se você está consolidando uma plataforma de jogo, precisa ser dentro e fora. Acho que estamos mais próximos de conquistar esse resultado fora, mas também é preciso avaliar o momento nosso e do adversário.

Similarmente pontua que a Raposa levou o jogo para outro estádio para ter torcida. Do mesmo modo a presença de público faz com que o time tenha uma dinâmica maior. No entanto os visitantes tem o objetivo de fazer a primeira vitória fora, lembrou o comandante.

Em conclusão com 25 pontos, a Macaca tem dois a mais que o Vitória, que a abre a zona de rebaixamento. Assim também busca desencantar como visitante para abrir vantagem em relação à degola.

 

(Foto destaque: Diego Almeida/ PontePress) 

Ainah Carvalho
Ahhh o jornalismo, gosto muito do contato, de escrever, falar, questionar e lembro bem que desde pequena sonhava entrevistar os jogadores após o jogo. Aí cresci e o desejo continuava. Entrei para a faculdade de jornalismo e me formei em 2015. Na época da faculdade trabalhei em rádio-escuta em uma assessoria e fui repórter em um site de máquinas. Após a formação trabalhei em uma assessoria com artistas independentes e também já cuidei das redes sociais de um hotel. Fiz bons cursos no Senac como o jornalismo esportivo, grande amor, também fiz apresentação de programas jornalísticos e programas de variedades. Mas o que eu me identifiquei foi apresentar um programa esportivo. Ahhhh esse amor rsrs

Deixe um comentário