Gilson Kleina falou sobre a derrotada da Ponte Preta por 2x0. (Foto destaque: André Durão)

Antes de mais nada após a derrota diante do Vasco da Gama por 2×0, Gilson Kleina considerou insucesso da Ponte Preta na tarde deste domingo (29) no estádio São Januário, no Rio de Janeiro:

“Nós batemos a semana inteira que sabíamos do momento do adversário. Sabíamos que eles iam competir, e que a gente tinha de igualar. Vejo que a gente iniciou bem, as primeiras chances de gol foram da Ponte. Até falei para eles aqui. Uma coisa que temos de aprender fora de casa é saber que tivemos coragem e confiança, mas, no momento que a gente estava controlando o jogo, não aproveitamos. Uma vitória do Vasco que foi definida em detalhes”.

Decerto o treinador também reconheceu que a Ponte caiu de rendimento depois do intervalo. Por outro lado o primeiro tempo foi equilibrado, com chances reais para os dois lados, mas na etapa final a Macaca só passou a ameaçar o Vasco nos minutos finais, quando o placar já estava 2 x 0.

Ao passo que o treinador ainda comentou a mudança feita na escalação inicial, com a entrada de Marcos Júnior no lugar de Vini Locatelli: .

“Marcos Júnior ia fazer um golaço hoje, em uma jogada muito interessante, ele atacou a última linha. Ele chama atenção pelos recursos que tem. Quando chegamos, único jogo dele pela Ponte tinha sido como lateral-direito. Entendemos que ele pode fazer o meio, conversando também com o jogador. Estamos ganhando mais um jogador, mais uma opção. Quando a estratégia do adversário mudou, trocamos”.

Gilson Kleina

Eventualmente com a análise do jogo Kleina ressaltou que o time pegou um jogo difícil e sabiam da pressão que estava o adversário. No entanto,   perderam mais um jogo com totais condições de pontuar.

“O erro tem que ser coletivo. O erro é meu, a gente passa para os atletas. A gente sabia que o Lisca faria uma pressão na saída de bola, e eu encorajei que a gente tivesse a postura de sair jogando, sem abusar do chutão. Mas erramos e, fora de casa, estamos pagando um preço caro. É tentar corrigir isso, os jogadores estão tentando fazer da melhor maneira possível”.

Ocasionalmente sobre novas mudanças o comandante foi direto:

“Hoje trocamos peças para tentar melhorar nossa dinâmica, nossa intensidade, vinha com jogadores mais técnicos, de construção. Vamos ver durante a semana como armar a equipe, esperar a reapresentação para ver como os jogadores vão estar”.

Nesse ínterim com o resultado, a Macaca chegou aos 22 pontos, continua fora da zona de rebaixamento, mas agora a apenas um ponto de distância da degola.

Enfim, o próximo desafio será na próxima sexta-feira (3), contra o Sampaio Corrêa, às 19h, no Majestoso.

“Agora é pensar no Sampaio. Um time que, há alguns anos, vem fazendo bons campeonatos na Série B. Que a gente possa reagir o mais rápido possível nos nossos domínios para fazer as vitórias importantes para as nossas pretensões”, finaliza o comandante.

(Foto destaque: André Durão)

Ainah Carvalho
Ahhh o jornalismo, gosto muito do contato, de escrever, falar, questionar e lembro bem que desde pequena sonhava entrevistar os jogadores após o jogo. Aí cresci e o desejo continuava. Entrei para a faculdade de jornalismo e me formei em 2015. Na época da faculdade trabalhei em rádio-escuta em uma assessoria e fui repórter em um site de máquinas. Após a formação trabalhei em uma assessoria com artistas independentes e também já cuidei das redes sociais de um hotel. Fiz bons cursos no Senac como o jornalismo esportivo, grande amor, também fiz apresentação de programas jornalísticos e programas de variedades. Mas o que eu me identifiquei foi apresentar um programa esportivo. Ahhhh esse amor rsrs