Foco da Ponte Preta é na vitória. (Foto destaque: Álvaro Jr./PontePress)

De antemão o foco da Ponte Preta no jogo dessa quarta-feira (22), às 21h30, no Germano Kruger contra o Operário é ‘assombrar' o time. Além disso fugir da zona de rebaixamento. Bem como é um jejum de 15 duelos longe do Majestoso na temporada. Do mesmo modo a partida acontece no Estádio Germano Kruger.

Eventualmente para este confronto em Ponta Grossa, Gilson Kleina não tem o zagueiro Cleylton à disposição por três cartões amarelos. Em contrapartida Fábio Sanches, recuperado de lesão muscular na coxa é provável para atuar no ao lado de Rayan.

Por outro lado Ednei, está entregue ao Departamento Médico por desconforto muscular na coxa direita e fica fora pelo segundo jogo consecutivo. De maneira que é provável que Gustavo Cipriano ou Douglas, fiquem no banco de reservas.

Ainda mais que Moisés é nome garantido na escalação alvinegra. Vale lembrar que o atacante foi dúvida no Dérbi 201 frente o Guarani por pancada no joelho direito. Juntamente com isso o atacante está recuperado e será confirmado no sistema ofensivo ao lado de Richard e Rodrigão.

Foco

Ainda sem o volante Léo Naldi à disposição, Ponte deve manter o meio-campo com André Luiz, Marcos Júnior e Fessin. Ou seja, Camilo ainda deve ficar à disposição no banco de reservas

Apesar de nove sistemas defensivos diferentes em 24 duelos, Rayan celebrou o fato de a Alvinegra não ter sofrido gols no clássico com o Guarani para continuidade da Série B.

“É importante não sofrer gol e cria aquela casca, como a gente fala. Dá uma confiança a mais para nós. Eu acho que a gente suportou bem ali. Deu tudo certo e agora é manter essa sequência”.

Afinal a Ponte soma 26 pontos enfrenta o Operário, ás 21h30. O jogo tem transmissão no Sportv e Premiere.

 

(Foto destaque: Álvaro Jr./PontePress)

Ainah Carvalho
Ahhh o jornalismo, gosto muito do contato, de escrever, falar, questionar e lembro bem que desde pequena sonhava entrevistar os jogadores após o jogo. Aí cresci e o desejo continuava. Entrei para a faculdade de jornalismo e me formei em 2015. Na época da faculdade trabalhei em rádio-escuta em uma assessoria e fui repórter em um site de máquinas. Após a formação trabalhei em uma assessoria com artistas independentes e também já cuidei das redes sociais de um hotel. Fiz bons cursos no Senac como o jornalismo esportivo, grande amor, também fiz apresentação de programas jornalísticos e programas de variedades. Mas o que eu me identifiquei foi apresentar um programa esportivo. Ahhhh esse amor rsrs