Felipe Albuquerque, lateral-direito da Ponte Preta. (Foto destaque: Diego Almeida/PontePres) 

Antecipadamente Felipe Albuquerque chegou como lateral-direito à Ponte Preta, ganhou as primeiras oportunidades na esquerda e hoje se firmou como opção para os dois lados.

Analogamente o jogador de 21 anos soma 13 jogos jogos consecutivos como titular da Macaca na Série B, na posição de origem (lateral-direito), inesperadamente também improvisado. Eventualmente à disposição de Gilson Kleina para atuar onde for preciso, o atleta considera a versatilidade importante para a sequência da carreira.

“Primeiramente, tenho que agradecer ao Kleina por me dar a oportunidade de estar jogando, tanto na direita quanto na esquerda. Sou lateral-direito de origem, mas acredito que jogando no lado oposto só tem a agregar na minha carreira. Consegui me adaptar bem, talvez até tenha jogado mais pela esquerda do que na direita aqui na Ponte, então isso vai me ajudar a evoluir bastante”.

Da mesma forma o atleta está emprestado pelo Grêmio à Macaca até o fim da Série B e já entrou em campo 24 vezes com a camisa alvinegra.

É provável que se atuar contra o Vasco, no próximo domingo (29), em São Januário, o futebolista vai chegar à maior marca de jogos. Do mesmo modo em um ano na carreira, superando quando atuou pelo Brasil-RS, em 2020/2021.

Felipe Albuquerque

Juntamente com isso o atleta não comemora apenas o espaço conquistado, mas também a recuperação da Ponte na competição. Assim também depois de passar boa parte do primeiro turno na zona do rebaixamento, a Macaca venceu três dos últimos quatro jogos e deixou a degola, com 22 pontos.

“Não conseguimos começar muito bem a Série B, infelizmente. Até tínhamos bom desempenho, mas as coisas não estavam dando certo e acabamos perdendo pontos importantes por alguns detalhes. Mas acredito que agora nós conseguimos encaixar nosso modelo de jogo e estamos tendo boas atuações”.

Dessa forma o time vai em busca da primeira vitória fora de casa na Série B para se manter fora da zona de rebaixamento. Do mesmo modo a Ponte soma 22 pontos e ocupa 0 15º lugar.

 

(Foto destaque: Diego Almeida/PontePress) 

Ainah Carvalho
Ahhh o jornalismo, gosto muito do contato, de escrever, falar, questionar e lembro bem que desde pequena sonhava entrevistar os jogadores após o jogo. Aí cresci e o desejo continuava. Entrei para a faculdade de jornalismo e me formei em 2015. Na época da faculdade trabalhei em rádio-escuta em uma assessoria e fui repórter em um site de máquinas. Após a formação trabalhei em uma assessoria com artistas independentes e também já cuidei das redes sociais de um hotel. Fiz bons cursos no Senac como o jornalismo esportivo, grande amor, também fiz apresentação de programas jornalísticos e programas de variedades. Mas o que eu me identifiquei foi apresentar um programa esportivo. Ahhhh esse amor rsrs