Fábio Sanches, zagueiro do Goiás, pode chegar na Ponte Preta. (Foto destaque: Rosiron Rodrigues/ Goiás EC)

Em primeiro lugar pode chegar mais um reforço na Ponte Preta. Bem como após a contratação do zagueiro Cleylton o time busca mais um jogador para o sistema defensivo. Ou seja, trata-se de Fábio Sanches que após quatro temporadas e meia, pode dar adeus ao Goiás. Assim também o zagueiro negocia a rescisão com o time para ficar com o caminho livre.

Juntamente com isso o jogador de 30 anos decidiu respirar novos ares e virou opção para reforçar o sistema defensivo da Macaca. Da mesma forma o jogador está sem espaço no Goiás em 2021 (foram apenas seis jogos). Simultaneamente o acerto entre as partes está encaminhado, faltando as questões burocráticas da liberação junto ao Goiás para que o anúncio seja feito.

Do mesmo o atleta fará o caminho inverso de Apodi, que deixou a Macaca para defender o Esmeraldino na sequência da temporada.

Fábio Sanches

Inicialmente a Ponte será o quarto clube paulista no currículo do zagueiro. Assim também jogou no Mogi Mirim, onde foi revelado, Atlético Sorocaba e XV de Piracicaba.

Ao longo da carreira, o craque também já passou por América-RN, ASA-AL, Paysandu e Avaí antes de chegar ao Goiás em 2017. Da mesma forma foi o período em que trabalhou com Gilson Kleina, atual comandante da Ponte. O jogador carrega mais de 100 jogos pelo time.

A última vez que Fábio entrou em campo foi em 11 de abril, na derrota do Goiás para o rival Vila Nova, por 2 x 1, pelo Campeonato Goiano.

Em suma quando for oficializado pela Ponte, o craque será a nona contratação do time para a sequência da temporada. Só nesta semana o clube já confirmou três nomes: o zagueiro Cleylton, o meia Fessin e o atacante Rodrigão. Antes, a Macaca já tinha fechado com os laterais Kevin (direito) e Rafael Santos (esquerdo), com o volante Lucas Cândido e com os atacantes Richard e Josiel.

 

Foto destaque: Rosiron Rodrigues/ Goiás EC

Ainah Carvalho
Ahhh o jornalismo, gosto muito do contato, de escrever, falar, questionar e lembro bem que desde pequena sonhava entrevistar os jogadores após o jogo. Aí cresci e o desejo continuava. Entrei para a faculdade de jornalismo e me formei em 2015. Na época da faculdade trabalhei em rádio-escuta em uma assessoria e fui repórter em um site de máquinas. Após a formação trabalhei em uma assessoria com artistas independentes e também já cuidei das redes sociais de um hotel. Fiz bons cursos no Senac como o jornalismo esportivo, grande amor, também fiz apresentação de programas jornalísticos e programas de variedades. Mas o que eu me identifiquei foi apresentar um programa esportivo. Ahhhh esse amor rsrs

Deixe uma resposta