Fabiano Xhá. (Foto destaque: Álvaro Jr./PontePress)

A saber Fabiano Xhá comentou sobre outros pontos em partida polêmica pelo lado da arbitragem entre Ponte Preta x Vila Nova no último sábado (2). Segundo o auxiliar sobre o desempenho ruim dos passes comentou que tiveram sim e não criaram em comparação ao que vinham criando nos jogos, principalmente em casa:

“Deixamos de ser um pouco efetivos nos contra-ataques, nos passes, mas eles marcaram bem também, a gente tem que valorizar a equipe deles, marcaram bem. Eles estão vindo também de uma recuperação boa, então foi um jogo difícil”.

Juntamente com isso:

“Em cima disso a gente tem que comentar que nós fizemos um jogo muito difícil e desgastante contra o CSA, e teve essa viagem longa. A nossa logística também não é fácil com a rede aérea lá, que tem poucos voos, e nós tivemos que nos deslocar ainda para outros locais. Tanto é que nós tentamos fazer uma recuperação boa dos atletas colocando eles dois dias para concentração. Então realmente houve muito desgaste”.

Por outro lado o desagaste foi psicológico. Além disso a equipe sabe o momento que está passando, e foi um desgaste físico também. Do mesmo modo tanto com o jogo pesado quanto com o deslocamento do time. Bem como a estratégia foi tentar recuperar o máximo possível, mas isso influenciou no desempenho dos atletas.

Fabiano Xhá

Ainda mais sobre as oportunidades desperdiçadas:

“Nós tivemos alguns contra-ataques em que a gente poderia ter sido mais eficiente, ter matado o jogo realmente em algumas oportunidades. Mas como eu falei, é uma equipe que marca muito bem, que está vindo em uma progressão grande. Então a gente também tem que ver que o adversário teve as suas qualidades. Mas independentemente disso, a gente conseguiu criar, conseguiu ter esses contra-ataques”.

Nesse ínterim:

“A gente não pode depender apenas do Moisés, nós temos outros atletas também que vêm crescendo em produção, vem subindo a produção deles, melhorando muito. E a gente tem também não só que viver de contra-ataques de um lado, mas ter todo o grupo, confiança em todo o grupo. E é isso que a gente precisa, ser eficiente na hora de resolver e de matar o jogo para poder sair com a vitória mais tranquia”.

 

(Foto destaque: Álvaro Jr./PontePress)

Ainah Carvalho
Ahhh o jornalismo, gosto muito do contato, de escrever, falar, questionar e lembro bem que desde pequena sonhava entrevistar os jogadores após o jogo. Aí cresci e o desejo continuava. Entrei para a faculdade de jornalismo e me formei em 2015. Na época da faculdade trabalhei em rádio-escuta em uma assessoria e fui repórter em um site de máquinas. Após a formação trabalhei em uma assessoria com artistas independentes e também já cuidei das redes sociais de um hotel. Fiz bons cursos no Senac como o jornalismo esportivo, grande amor, também fiz apresentação de programas jornalísticos e programas de variedades. Mas o que eu me identifiquei foi apresentar um programa esportivo. Ahhhh esse amor rsrs

Deixe um comentário