Volta do público. (Foto destaque: Álvaro Jr/ PontePress)

Primeiramente sexta-feira (17) chegou o grande dia do dérbi 201. Similarmente anota aí, às 21h30, no Moisés Lucarelli, tem Ponte Preta X Guarani. Assim também é o último dia do nosso capítulo especial da semana. Por outro lado em jogo naquel 16/03/2019, o encontro era uma briga pela liderança ou confirmação da vaga na fase decisiva do Campeonato Paulista.

Simultaneamente ganhou quem sentiu mais o espírito do jogo em Campinas. Da mesma forma com gols de Thalles, Diego Renan e Gerson Magrão, a Macaca fez a alegria dos cerca de 11 mil torcedores no Moisés Lucarelli. Juntamente com isso que saudade da torcida no estádio, hein. Ainda mais que o time venceu por 3 x 0.

Tal como o Guarani até começou melhor e criou possibilidades de sair na frente, mas baixou a guarda, foi superado por uma equipe mais organizada e motivada para vencer o dérbi. Ocasionalmente essa partida foi tão marcante que acabou com a mínima chance que o arquirrival tinha de se classificar.

“Falar de déris é sempre difícil selecionar apenas um, mas em 2019 debaixo de chuva foi o dérbi que marcou. Estava lá e foi maravilhoso sentir a torcida. O placar foi 3×0 gols de Diego Renan e Talles, Guilherme Lázaroni. Foi muita festa”.

Eventualmente a derrota custou o emprego de Osmar Loss, técnico na época do Guarani. Do mesmo modo o presidente Palmeron Mendes Filho e o executivo Fumagalli anunciaram, logo após a partida, a demissão do treinador, que dirigiu o Bugre por 12 jogos e perdeu metade deles.

Por outro lado sempre conhecido por levar multidões o Moisés Lucarelli vai ficar mais uma vez no silêncio nas arquibancadas nesta sexta-feira (17). Eventualmente seja torcer, reclamar de um lance ou de um jogador, pedir para a entrada do craque do jogo.

Especial semana do dérbi- 16/03/2019

(Foto destaque: Álvaro Jr/ PontePress)

Ainah Carvalho
Ahhh o jornalismo, gosto muito do contato, de escrever, falar, questionar e lembro bem que desde pequena sonhava entrevistar os jogadores após o jogo. Aí cresci e o desejo continuava. Entrei para a faculdade de jornalismo e me formei em 2015. Na época da faculdade trabalhei em rádio-escuta em uma assessoria e fui repórter em um site de máquinas. Após a formação trabalhei em uma assessoria com artistas independentes e também já cuidei das redes sociais de um hotel. Fiz bons cursos no Senac como o jornalismo esportivo, grande amor, também fiz apresentação de programas jornalísticos e programas de variedades. Mas o que eu me identifiquei foi apresentar um programa esportivo. Ahhhh esse amor rsrs